Deus seja amado com todas as forças do nosso coração e de nossa alma!

Hoje, 19/08/2020, às 19h30, teremos mais uma live oracional.

CONVIDEM MAIS PESSOAS PARA ORAREM CONOSCO.
Clique neste link: https://youtu.be/RGsUDDBKQYY
Ou digite: VOCAÇÃO DE JESUS no YouTube

Semana passada, no artigo “O QUE PENSO QUE SEJA FÉ? (Parte 1)“, falamos sobre:

  • Jesus quer que nossa fé esteja sempre vendo.
  • Os discípulos não tinham fé?
  • A fé de quem busca a vontade de Deus crê sem duvidar de Jesus
  • Fé é eu realizar meus sonhos?
  • Se eu me entrego a Jesus com reservas, como crescerei na intimidade com Ele?
  • Quando viverei minha própria fé?

Tentamos meditar na pergunta dos discípulos sobre o motivo de eles não terem conseguido expulsar uns demônios.

A resposta de Jesus foi: “Por causa de vossa falta de fé. Em verdade vos digo: se tiverdes fé, como um grão de mostarda, direis a esta montanha: Transporta-te daqui para lá, e ela irá; e nada vos será impossível. Quanto a esta espécie de demônio, só se pode expulsar à força de oração e de jejum”. (Mt 17,20)

Jesus mostrou DOIS MOTIVOS de o demônio não ter sido expulso: O primeiro, A FALTA DE FÉ, foi o que vimos na PARTE 1. Hoje, com a graça de Deus, meditaremos sobre o outro motivo:

“Há espécies de demônios que só se pode expulsar à força de oração e jejum.” (Mt 17,21)

Como todo tipo de mau entendimento pode acontecer, será que pode acontecer de haver pessoas que venham a pensar que Jesus está dizendo que o poder de expulsar demônios, – que não saem apenas com oração, mas só saem se a oração estiver unida ao jejum, – está no pão e na água que se come nas vinte quatro horas de jejum? Como se o pão e a água tivessem poder em si? Como se o pão e a água dessem poder à oração? O pão e a água seriam usados como superstição?

O que dá poder à oração e ao jejum é Deus. Então Deus espera que todos nós, católicos, oremos e jejuemos. Jejuemos por amor a Ele. Jejuemos como uma obra que somamos a outros sacrifícios e penitências que devemos fazer por dever de consciência. “Desde então, Jesus começou a pregar: FAZEI PENITÊNCIA, pois o Reino dos céus está próximo”. (Mt 4,17)

JEJUM NÃO É REGIME QUE FAZEMOS PARA EMAGRECER.

No regime, no comer o suficiente, estamos cuidando do nosso corpo físico, pois este corpo também pertence a Deus. Não há nada em nós que nós mesmos tenhamos criado. Deus criou tudo em nós. Criou-nos para Ele. Somos Dele, não nos pertencemos. Então, devemos cuidar de nós para Ele, para nos entregarmos a Ele com saúde do corpo e da alma.

O JEJUM É O QUE FAZEMOS PARA FORTALECER NOSSA ALMA

Se jejuamos como regime, para emagrecer, então não é jejum, é regime. Vamos continuar gastando dinheiro com o nutricionista que nos acompanha. Colheremos frutos físicos e não espirituais.

Jejuemos por amor a Deus! Se jejuamos:

  • Para a maior glória de Deus;
  • Para que a vontade de Deus seja feita na Terra como é feita no Céu;
  • Para a salvação das almas;
  • Para a libertação das almas do Purgatório;
  • Para a nossa santificação pessoal;
  • Para a salvação de nossa família sanguínea e vocacional;
  • Para o desenvolvimento do Evangelho;
  • Para o bem da Igreja;
  • Para a santificação do Papa, dos bispos, padres, seminaristas, freiras e leigos;
  • Para que haja um poderoso derramamento diário do Espírito Santo na Igreja e no mundo;
  • Para que Deus derrame diariamente seu Santo Espírito em todas as autoridades políticas que governam os países;
  • Para que em todos os países do mundo os seus povos dobrem seus joelhos e reconheçam que Jesus é o único salvador;

Então, isso é jejum.

JESUS ORDENOU: “EXPULSAI OS DEMÔNIOS.” (Mt 10,8)

Os demônios são expulsos no Nome de Jesus; mas há castas de demônios que só saem no Nome de Jesus se quem os expulsa tiver vida de oração e jejum.

Mas como os demônios saem?

É de uma vez e não voltam mais, como dizem e mostram os apresentadores de programas de TV de igrejas novas, igrejas sem história, fundadas apenas há 30, 50, 100 anos?

Segundo o Padre Gabriele Amorth, – que era principal exorcista do Vaticano e da Diocese de Roma, sacerdote de vida de oração e jejum, – há demônios que saem com um exorcismo e não voltam mais, mas há outros casos de pessoas possessas que devem receber vários exorcismos.

Padre Gabriele morreu em setembro de 2016, aos 91 anos de idade. Realizou mais de 70 mil exorcismos.

(Entre em contato com a Ramah Online para adquirir livros deste sacerdote exorcista. Você verá, pela leitura, a grande experiência e conhecimentos que pode receber do Padre Gabriele – Ramah Online: (85) 99968-0606)

Padre Gabriele sabia que Deus permitiu que certas castas de demônios mais fortes do que os outros só saíssem no Nome de Jesus, oração e Jejum, PARA MOSTRAR, principalmente a todos os bispos e padres, e a todos os católicos leigos, A NECESSIDADE QUE TODOS TEMOS de levar:

  • Vida de amor a Deus.
  • Vida de busca de Deus.
  • Vida de fidelidade a Deus.
  • Vida de frequência nos Sacramentos.
  • Vida de penitência.

Para suprirmos ESSA NECESSIDADE DE NOSSA ALMA, para a fortalecermos nestes propósitos, temos de ter jejum, oração e vigilância no carregamento de nossa cruz atrás de Jesus. Deste modo, teremos vida de perseverança nos caminhos de Deus. “É pela vossa constância que alcançareis a vossa salvação”. (Jesus Cristo, Lc 21,19)

ORAÇÃO, JEJUM E LEITURA DA PALAVRA

Sem oração, jejum e leitura da Palavra de Deus, um católico não consegue crescer espiritualmente.

Como terá vontade de LER todos os dias a Palavra de Deus, se não tem vida de oração e jejum?

Como terá força para JEJUAR duas vezes na semana, se não ORA, nem lê a Palavra de Deus?

Como ORAR todos os dias, se não lê a Palavra de Deus, nem jejua?

A ORAÇÃO, O JEJUM E A LEITURA DA PALAVRA DE DEUS PRECISAM UM DO OUTRO.

Um fortalece o outro. Se um falha, começa a enfraquecer os outros dois.

Você quer ser perseverante na oração? Jejue e leia a Palavra Sagrada.

Você quer ser perseverante no jejum? Ore e Leia a Palavra de Deus.

Você quer ser perseverante na leitura da Palavra de Deus? Ore e jejue.

Como estamos vendo, nossa alma tem necessidade de variados alimentos espirituais. Esses alimentos fortalecem nossas almas para a fé e obediência a Deus. Nós, católicos, temos necessidade deles para entendermos mais facilmente a verdade do Evangelho de Jesus Cristo, no todo e em quesitos dos muitos mistérios como a existência do Diabo, principalmente nos tempos que estamos vivendo, em que se nega a existência do Diabo, em que até evangelizadores têm vergonha de dizer a verdade sobre ele para não sofrer mangofa. Preferem ser mais dedicados à vergonha, ao respeito humano, do que à verdade anunciada pela Igreja.

Nós, católicos, precisamos ser obedientes à doutrina da Igreja. Quem não a conhece, procure conhecer. Compre o Catecismo da Igreja Católica. Estude-o.

O DIABO EXISTE?

O CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA ENSINA QUE O DIABO EXISTE.

Se a Igreja que Jesus fundou afirma que o diabo existe, como católico, eu simplesmente creio, e creio com alegria. E se meus raciocínios humanos, por algum motivo, fazem contestação dentro de mim, então eu sou obrigado a me renunciar para seguir Jesus, que está em sua Igreja todos os dias desde que a fundou em Pedro. “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. (Mt 16,18)

OS “SÁBIOS E INTELECTUAIS” DO MUNDO MODERNO USAM TODOS OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO PARA DECLARAR QUE O DIABO NÃO EXISTE.

Negando a existência do Diabo, lhes ficou mais fácil negar a existência de Deus. Dizem que “Deus está morto”.

Foi perguntado a uma determinada autoridade (não direi o nome aqui, meu objetivo é outro):

– O Diabo existe?

A resposta dele foi:
– “É necessário entender os elementos culturais para se referir a esse personagem. Na linguagem de Santo Inácio, é o espírito maligno que leva você a fazer as coisas que vão contra o espírito de Deus. Existe como mal personificado em várias estruturas, mas não nas pessoas, porque não é uma pessoa, é uma forma de executar o mal”.

A resposta dele é uma contradição, mas como muitas pessoas têm preguiça de se encher do conhecimento de Deus por meio da leitura e do estudo de Sua Palavra, esse tipo de ambiguidade as confunde. O Diabo, então, aproveita-se para roubar do coração do ouvinte desavisado o pouco entendimento que tinha.

O católico desavisado é aquele que vive na superficialidade da fé, e se dá por satisfeito, vivendo sem se esforçar por buscar a profundidade da fé à qual Deus chama a todos. É a semente à beira do caminho.

O que acontece com semente de beira de caminho?

Jesus Cristo responde: as sementes que “se encontram à beira do caminho, onde ela (a palavra) é semeada; apenas a ouvem, vem Satanás tirar a palavra neles semeada”. (Mc 4,15)

A Igreja está cheia de sementes à beira do caminho. Seus corpos físicos vão à Igreja, à Missa, aos Sacramentos, mas não lutam contra suas inclinações para pequenas maldades; têm muita dificuldade de perdoar quem lhes ofende, de deixar de assistir novelas, de renunciar coisas não cristãs, como modas sensuais, palavrões, invejas, fofocas; consideram um exagero ter de rezar o terço todos os dias, ler a Bíblia todos os dias, jejuar duas vezes na semana.

Voltando ao que a autoridade que estou omitindo dizer o nome disse… Ele disse que o Diabo não é uma pessoa. Ele disse que Santo Inácio diz que “esse personagem”, o Diabo, é um espírito maligno. Fala o que quer, e diz que o “personagem” não é uma pessoa.

Faço-lhe uma pergunta e lhe respondo:
PERGUNTA: Como Jesus nos ensina a orar no Pai Nosso?
RESPOSTA: Jesus disse, quando orardes, dizei: “E não nos exponhas à tentação, mas livrai-nos do Maligno.” (Mt 6,13)

Jesus diz para pedirmos ao Pai para nos livrar do Maligno, porque o Maligno é Satanás. Jesus diz: “quando um homem ouve a palavra do Reino e não a entende, o Maligno vem e arranca o que foi semeado no seu coração.” (Mt 13,19)

São João diz: “Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o Maligno”. (I Jo 5,19)

No Livro dos Atos dos Apóstolos vemos um caso do espírito Maligno falar, ferir e raspar as roupas de uns judeus exorcistas.

“Deus fazia milagres extraordinários por intermédio de Paulo, de modo que lenços e outros panos que tinham tocado o seu corpo eram levados aos enfermos; e afastavam-se deles as doenças e retiravam-se os espíritos malignos. Alguns judeus exorcistas que percorriam vários lugares inventaram invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que se achavam possessos dos espíritos malignos, com as palavras:

– Esconjuro-vos por Jesus, a quem Paulo prega.

Assim procediam os sete filhos de um judeu chamado Cevas, sumo sacerdote. Mas o espírito maligno replicou-lhes:

– Conheço Jesus e sei quem é Paulo. Mas vós, quem sois?

Nisto o homem possuído do espírito maligno, saltando sobre eles, apoderou-se de dois deles e subjugou-os de tal maneira, que tiveram que fugir daquela casa feridos e com roupas estraçalhadas. Este caso tornou-se (em breve) conhecido de todos os judeus e gregos de Éfeso, e encheu-os de temor e engrandeceram o nome do Senhor Jesus.

Muitos dos que haviam acreditado vinham confessar e declarar as suas obras. Muitos também que tinham exercido artes mágicas, ajuntaram os seus livros e os queimaram diante de todos. Calculou-se o seu valor, e achou-se que montava a cinquenta mil moedas de prata. Foi assim que o poder do Senhor fez crescer a palavra e a tornou sempre mais eficaz.”

(At 19, 11-20)

VOLTEMOS A PENSAR SOBRE AS PALAVRAS DE JESUS NOS ENSINANDO A REZAR NO PAI NOSSO:

“E não nos exponhas à tentação, mas livrai-nos do Maligno.” (Mt 6,13). Jesus se refere ao Maligno como um ser espiritual, ao anjo caído que é uma pessoa. Não a um mal impessoal, quer dizer, que não existe como pessoa, que não tem propriedade de pessoa.

O CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA DIZ QUE O DIABO É UM ESPÍRITO, UMA PESSOA.

O que é uma pessoa?

  • Pessoa = Deus, Criador de todas as coisas, é uma Pessoa.
  • Pessoa = ser inteligente, humano, criado por Deus.
  • Pessoa = ser inteligente, espiritual (anjo), criado por Deus.

Existem os anjos de Deus e os anjos que desobedeceram a Deus e se transformaram em demônios.


(Transcrevo para você aqui alguns trechos do Catecismo da Igreja Católica. Leia com atenção.)

A DOUTRINA DA IGREJA DIZ QUE O DIABO É UM ANJO DECAÍDO

“Por detrás da opção de desobediência dos nossos primeiros pais, há uma voz sedutora, oposta a Deus, a qual, por inveja, os faz cair na morte. A Escritura e a Tradição da Igreja veem neste ser UM ANJO DECAÍDO, CHAMADO SATANÁS OU DIABO. Segundo o ensinamento da Igreja, ele FOI PRIMEIRO UM ANJO BOM, CRIADO POR DEUS. «Diabolus enim et alii daemones a Deo quidem natura creati sunt boni, sed ipsi per se facti sunt mali – De fato, o Diabo e os outros demônios foram por Deus criados naturalmente bons; mas ELES, POR SI, É QUE SE FIZERAM MAUS».”

(CIC §391)

OS ANJOS, CRIADOS BONS POR DEUS, RENUNCIARAM A DEUS E A SEU REINO

“A Escritura fala dum pecado destes anjos. A queda consiste na livre opção destes espíritos criados, que RADICAL E IRREVOGAVELMENTE RECUSARAM DEUS E O SEU REINO. Encontramos um reflexo desta rebelião nas palavras do tentador aos nossos primeiros pais: «Sereis como Deus» (Gn 3, 5). O Diabo é «pecador desde o princípio» (I Jo 3, 8), «pai da mentira» (Jo 8, 44).”

(CIC §392)

DEUS NÃO TEM CULPA PELA PARTE DOS ANJOS, CRIADOS BONS, QUE RESOLVERAM SER MAUS

“É o caráter irrevogável da sua opção, e não uma falha da infinita misericórdia de Deus, que faz com que o pecado dos anjos não possa ser perdoado. «Não há arrependimento para eles depois da queda, tal como não há arrependimento para os homens depois da morte».”

(CIC §393)

JESUS VEIO PARA DESTRUIR AS OBRAS DO DIABO

“A Escritura atesta a influência nefasta daquele que Jesus chama «o assassino desde o princípio» (Jo 8, 44), e que chegou ao ponto de tentar desviar Jesus da missão recebida do Pai. «Foi para destruir as obras do Diabo que apareceu o Filho de Deus» (I Jo 3, 8). Dessas obras, a mais grave em consequências foi a mentirosa sedução que induziu o homem a desobedecer a Deus.”

(CIC §394)

O PODER DE SATANÁS É MUITO LIMITADO

“No entanto, o poder de Satanás não é infinito. Satanás é uma simples criatura, poderosa pelo fato de ser puro espírito, mas, de qualquer modo, criatura: impotente para impedir a edificação do Reino de Deus. Embora Satanás exerça no mundo a sua ação, por ódio contra Deus e o seu reinado em Jesus Cristo, e embora a sua ação cause graves prejuízos – de natureza espiritual e indiretamente, também, de natureza física – a cada homem e à sociedade, essa ação é permitida pela divina Providência, que com força e suavidade dirige a história do homem e do mundo. A permissão divina da atividade diabólica é um grande mistério. Mas «nós sabemos que tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus» (Rm 8, 28).”

(CIC §395)

LEMOS O QUE A DOUTRINA DA IGREJA CATÓLICA FALA SOBRE A EXISTÊNCIA DO DIABO.

Se eu digo que sou católico, mas não creio na Doutrina da Igreja:

  • Ou não sou católico;
  • Ou tenho contaminações preternaturais;
  • Ou sou um traidor;
  • Ou sou um tolo;
  • Ou sou um orgulhoso, que penso saber mais do que o que foi escrito inspirado pelo Espírito Santo e acreditado por homens santos dotados de inteligência, sabedoria, e mais do que inteligência e sabedoria, homens cheios da unção de Deus, homens com capacidade de raciocínio em nível bem superior à minha, como Santo Agostinho, Santo Tomás de Aquino, Santo Antônio de Pádua, São Boaventura, São João da Cruz, Santo Ambrósio, São Basílio, São João Crisóstomo, São Leão Magno, São Bernardo.

Diante de tais inteligências e santidades, ousaria eu me comparar a eles?
Sim. CLARO QUE SIM. Se eu fosse parvo, um mentiroso, um tolo. Tolo é quem presume muito de si mesmo. Tal atitude revela falta de inteligência.

Jesus disse aos mentirosos e a todos os que amam a verdade, que o demônio é o pai da mentira:

“Vós tendes como pai o demônio e quereis fazer os desejos de vosso pai. Ele era homicida desde o princípio e não permaneceu na verdade, porque a verdade não está nele. Quando diz a mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira“.
(Jo 8,44)

Padre Gabriele diz que ele também é o pai da estupidez:

Em um exorcismo: “Certa vez me aconteceu de perguntar a um demônio por que, apesar da sua inteligência superior, ele preferiu descer ao inferno. Ele respondeu: ‘Eu me rebelei contra Deus e mostrei que sou mais forte do que Ele’.’’

Para eles, a rebelião é um sinal de vitória e de superioridade.

Confira um trecho deste livro, no qual o Padre Gabriele Amorth fala da fúria que satanás tem da Virgem Maria:

PE. AMORTH: “Quais são as virtudes de Nossa Senhora que mais te enraivecem?”

SATANÁS: “Ela me enfurece porque é a mais humilde de todas as criaturas e porque eu sou o mais orgulhoso. Porque ela é a mais pura de todas as criaturas e eu não sou. Porque ela é a mais obediente a Deus e eu sou o rebelde!”

PE. AMORTH: “Por que temes mais quando eu digo o nome de Maria do que quando digo o nome de Jesus Cristo?”

SATANÁS: “Porque me humilha mais ser derrotado por uma mera criatura do que por Ele”

PE. AMORTH: “Existe uma quarta qualidade de Maria que te enfurece?”

SATANÁS: “Ela sempre me frustra porque nunca foi tocada por mancha alguma de pecado!”

(O ÚLTIMO EXORCISTA – PE. GABRIELE AMORTH)

O sacerdote recordou também:
“Durante um exorcismo, Satanás me disse por meio da pessoa possuída: ‘Cada Ave-Maria do rosário é para mim um golpe na cara. Se os cristãos conhecessem o poder do rosário, seria o meu fim”.

Neste outro livro, Padre Gabriele Amorth conta um caso de exorcismo que termina com um fato inexplicável apesar de sua vasta experiência.

UM CASO MISTERIOSO

Uma jovem, com cerca de vinte anos, veio ter comigo quase por acaso, para acompanhar uma amiga da mesma cidade, que me tinha sido enviada pelo pároco, segundo o qual tinha sintomas de presença maléfica, e até talvez de uma verdadeira possessão.

Depois de fazer um exorcismo à amiga, que depois continuei a exorcizar, dei uma bênção à rapariga, para não a mandar embora sem nada… Ao verificar algumas pequenas reações suspeitas, procedi a um pequeno exorcismo, que uso nos exorcismos pelo telefone.

Notei um acentuar daquelas pequenas reações, mas não me pareceram dignas de consideração. Depois, enquanto acompanhava as duas raparigas e os familiares ao longo do corredor em frente ao meu gabinete, apercebi-me de que a jovem, que tinha acompanhado a amiga, estava com alguma dificuldade em caminhar; segurei-a e convidei o pai a fazer a mesma coisa.

Por sorte! Porque alguns segundos depois estava quase a desmaiar.

Ao suspeitar de que este fato pudesse ser causado pela minha bênção, marquei um encontro para a semana seguinte.

Resumindo: foram precisos cinco exorcismos (nos quais as reações foram sendo progressivamente mais fortes) para que o verdadeiro mal se manifestasse em toda a sua gravidade. A partir daquele momento, continuei a fazer os exorcismos numa cama de hospital que uso nos casos mais graves, de modo a que a pessoa esteja mais cômoda e o processo se torne mais fácil para as quatro a oito pessoas que me ajudam a mantê-la segura e a limpam se se babar. Como muitas vezes acontece, os distúrbios e as causas que remontavam ao passado foram recordadas aos poucos. De imediato, os pais e a própria rapariga disseram que os males remontavam a dois meses.

Mas depois evidenciaram-se distúrbios que remontavam mesmo a quatro anos, quando a jovem tinha dezesseis anos. Indagando mais, descobri que teve um período de estranhos desmaios, que os médicos não conseguiam explicar.

Sintomas característicos, que a pouco e pouco me foram contados pela interessada:

Filha única, quando se encontrava sozinha no seu pequeno quarto, tinha a impressão de estar a ser observada; de haver alguém no quarto, que às vezes se aproximava dela até quase a tocar.
Apesar de ser muito religiosa e assídua num grupo de oração, começara a sentir alguma dificuldade em rezar; aborrecia-a ouvir rezar ou escutar cânticos sagrados.

OS SINTOMAS FORAM-SE AGRAVANDO GRADUALMENTE.

Não conseguia pronunciar uma única palavra de oração, teve de sair da escola; durante os exorcismos, reagia de maneira violentíssima; mantinha os olhos firmemente fechados, mas sentia perfeitamente se eu esticava a mão por cima da mesa para pegar no crucifixo, ou na água benta, ou no óleo.

Durante um determinado período, teve reações estranhas: ficava completamente rígida antes de entrar na minha sala para os exorcismos, durante os quais se mexia de uma maneira insana, para ficar novamente rígida depois, tanto que a seguir era preciso levá-la ao colo.

Muitas vezes estava presente um psiquiatra, que também quis tentar fazer-lhe psicoterapia. Durante algum tempo, os encontros processaram-se com regularidade, e a rapariga tinha confiança naquele psiquiatra. Depois, não vendo nisso qualquer vantagem, recusou-se a continuar com as sessões. Entretanto, durante os exorcismos, os demônios falavam, depois de muita insistência da minha parte. Não eram muito faladores. Disseram os nomes, os dias, os meses e as horas em que iam sair (são as perguntas sugeridas pelo Ritual, que eu faço sempre, apesar de raramente obter qualquer resposta verdadeira).

Neste caso não foi assim, e no dia marcado foram-se embora.

Após algumas semanas de aparente cura total, voltaram algumas perturbações, mas de uma forma mais ligeira, razão pela qual continuei os exorcismos. Ao todo, foram precisos dois anos e dois meses de exorcismos uma vez por semana e, nos momentos mais difíceis, duas vezes por semana.

Relativamente à causa, é um dos raros casos em que não cheguei a uma explicação satisfatória. Lixo encontrado na almofada e nas bonecas levam a pensar que se podia tratar de bruxaria.’’

(MEMÓRIAS DE UM EXORCISTA. A MINHA LUTA CONTRA O DIABO’’. Padre Gabriele Amorth e Marco Tosatti)

Leia bons livros! Invista mais em bons livros do que em…  …isso é você quem decide. Se nunca leu os livros do Padre Gabriele Amorth, procure ler. Eu tenho toda a coleção de livros dele.

Deus que é bom, misericordioso e poderoso nos abençoe e nos abençoe mais.

J.V.

1 comentário

Escreva seu comentário