Vocação de Jesus!
Deus seja amado com todas as forças do nosso coração e de nossa alma.

Todo tempo foi, é e será tempo que nos convida a vigiar e orar, mas esses tempos são tempos imperativos. Todos nós somos obrigados a vigiar e orar, pois a JUSTIÇA DA PROVIDÊNCIA DIVINA já começa a preparar o caminho para vir diretamente em favor dos justos e contra os inimigos do Senhor, como vemos na Palavra de Deus:
 
CONTRA OS INIMIGOS

“Eis que vossos inimigos, Senhor, vossos inimigos hão de perecer, serão dispersados todos os artesãos do mal.”

(Sl 91, 10)

EM FAVOR DOS JUSTOS

“Como a palmeira, florescerão os justos, elevar-se-ão como o cedro do Líbano. Plantados na casa do Senhor, nos átrios de nosso Deus hão de florir. Até na velhice eles darão frutos, continuarão cheios de seiva e verdejantes, para anunciarem quão justo é o Senhor, meu rochedo, e como não há nele injustiça.”

(Sl 91, 13-16)

POR QUE ORAR?

Porque sem oração ninguém se salva.

É pela oração que nós vamos a Cristo, nos unimos e permanecemos com Cristo, por Cristo e em Cristo. Quanto mais oramos, mais Jesus Cristo cresce em nós, mais nos pareceremos com Cristo, mais as bênçãos que temos necessidade de receber ficam sem atraso para chegar a nós.

A falta de oração em nossas vidas pode impedir de recebermos de Deus as graças espirituais e materiais, ou atrasar o que receberíamos sem atraso se estivéssemos orando todos os dias.

POR QUE EU ORO E DEUS NÃO ME ATENDE?

Deus está mais interessado em nossa VIDA DE ORAÇÃO do que em orações que fazemos por interesse em alguma coisa. Nosso maior interesse deve ser Deus. Se quisermos Deus acima de tudo, nós teremos tudo, pois Deus tem prazer em atender orações de quem O ama de todo o coração.

É o amor que conquista o amor.
O amor se entrega ao amor.
O amor quer ser conquistado pelo amor.
Quem ama o Senhor, manifesta seu amor a Ele por meio da oração, pois oração é impulso de amor a Deus. A oração é o movimento do amor da alma rumo a Deus, que é amor.

Eu disse: MOVIMENTO DO AMOR RUMO A DEUS.

São Francisco de Assis em oração,
concentrado em Deus

Não é somente nosso movimento, é um par de movimentos, é o movimento de Deus, que vem primeiro a nós; é nosso movimento de correspondência, que vai a Deus. A junção desses dois movimentos nos mobiliza para um só objetivo: a perfeita união com Deus, a perfeita união de Deus conosco.

Quem conseguir crescer chegando a este grau de mobilidade, – mobilidade que é o Criador vindo à criatura e a criatura indo ao Criador, pois o Criador se move em direção a suas criaturas, mas nem todas as criaturas se movem ao encontro do Criador, que quer esse encontro – quem quiser esse encontro, quem sair de si mesmo e se mover para o encontro com o Criador, e assim se habituar a viver, com o tempo, não se distrairá mais nas orações. Durante o dia, não se esquecerá de Deus. Durante o sono, a união continuará inalterável. Muitos santos conseguiram receber de Deus essa graça. São Francisco de Assis, quando entrava em oração, nem os demônios conseguiam fazer com que ele se distraísse, tão grande era sua concentração em Deus.

Nós não sabemos como, não sentimos, nem percebemos, não vemos acontecer, mas a oração não nos deixa na terra, pois orar é sair de nós mesmos, é ir até Deus, é entrar em intimidade com Deus, que está no Céu. É trazer Deus à terra, onde estamos.

Eis um grande mistério que vivemos quando oramos: sabemos que Deus está no Céu, sabemos que estamos na terra; mas na oração que nos une a Deus, que está no Céu, Deus também se une a nós, que estamos na terra.

Por que é mistério de Deus?
É mistério de Deus porque, verdadeiramente, quem ora, se une a Deus. O mistério está em vivermos essa realidade sem nos vermos no Céu, nem vermos Deus na terra. Vivemos a união do Criador com a criatura. Uma união que não vemos, não entendemos, mas estamos de fato e verdade unidos. Só Deus vê e sabe perfeitamente como acontece.

“Não rogo somente por eles, mas também por aqueles que por sua palavra hão de crer em mim. PARA QUE TODOS SEJAM UM, ASSIM COMO TU, PAI, ESTÁS EM MIM E EU EM TI, PARA QUE TAMBÉM ELES ESTEJAM EM NÓS e o mundo creia que tu me enviaste. Dei-lhes a glória que me deste, PARA QUE SEJAM UM, COMO NÓS SOMOS UM: EU NELES E TU EM MIM, PARA QUE SEJAM PERFEITOS NA UNIDADE e o mundo reconheça que me enviaste e os amaste, como amaste a mim.”

(Jo 17, 20-23)

COMO CHEGAMOS À UNIÃO COM DEUS?

Chegamos por graça de Deus.
Chegamos por meio do amor de Deus que nos ama; do amor pelo qual amamos a Deus e que nos faz orar.
Chegamos em decorrência da vida de oração que resolvemos viver.

A oração é a ação, o movimento que nos une a Deus porque nos faz viver em Deus. Fazendo-nos viver em Deus, a oração vai se transformando em nós a cada tempo num poderoso repulsor de tentações e pecados.

Peçamos a Deus que nos liberte do que chamamos de orações, mas que não são.
“Orações” que nos prendem em nossos planos e desejos não são orações, são manifestações de nossa vontade pessoal que ainda não sabe ou não quer se submeter à vontade de Deus. Para orarmos, libertos de nossa vontade, que está prisioneira de nós mesmos, presa em nossos interesses e não nos interesses de Deus, nós precisamos pedir a Deus essa libertação. Pedir ajuda para querermos e sabermos como nos renunciar para seguir Jesus, carregando a nossa cruz atrás Dele.

JESUS DIZ QUE É A VIDEIRA, FALA SOBRE PERMANÊNCIA NELE, SOBRE O FRUTO E O NADA

“Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”.

(Jo 15, 5)

É claro que nós queremos permanecer em Jesus, mas como permaneceremos em Jesus se cairmos com os fortes ataques das tentações por não orarmos e vigiarmos? Procuremos ter gravados diante de nossos olhos as Palavras de Jesus quanto à vigilância e oração que devemos ter na vida: “Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca”. (Mt 26,41)
QUEREMOS SER DERRUBADOS?
Não. Se não queremos ser derrubados pelos fortes e traiçoeiros golpes das tentações, precisamos vigiar e orar.

QUEREMOS PERMANECER EM JESUS E QUEREMOS QUE JESUS PERMANEÇA EM NÓS?
Sim. Se queremos, temos de vigiar e orar.

QUEREMOS DAR OS FRUTOS QUE DEUS COLHERÁ?
Sim. Se queremos, temos de vigiar e orar.

SE ALGUÉM QUER VIVER SEM DAR OS FRUTOS QUE DEUS QUER COLHER, OU SE POR ALGUM MOTIVO QUER DESISTIR DE JESUS E DA SALVAÇÃO, EIS O CAMINHO (que NÃO se deve seguir):

  1. Não vigie e não ore, assim será derrubado pelas tentações;
  2. Não vigie e não ore, assim sairá do relacionamento e intimidade com Deus;
  3. Não vigie e não ore, assim não dará os frutos que Deus quer colher.

Deus, que é bom, misericordioso e poderoso, abençoe-nos a todos.
J.V.

2 comentários

  1. A oração é o movimento do amor da alma rumo a Deus, que é amor.
    Senhor, que minha alma não fique parada, sem evoluir, sem progredir, mas ore, ore, na peregrinação rumo a Vós!

  2. Como essa formação ecoa forte no coração. Como são profundas essas duas palavras: vigiar, orar. Como faz crescer o desejo no coração de buscar a Deus através de uma oração que O agrade.
    Bendito seja Deus!!!

Escreva seu comentário