VOCAÇÃO DE JESUS!
Deus seja amado com todas as forças de nosso coração e de nossa alma.
26/07/2021

Antes de iniciar a leitura dessa meditação, aconselho você a se preparar interiormente através desse método de RECOLHIMENTO DIANTE DE DEUS.
https://vocacaodejesus.com/meditacao/recolhimento-diante-de-deus/

Existem inimigos e problemas que podemos vencer facilmente; outros, com dificuldade; outros, com muitas dificuldades, usando, com a graça de Deus, a inteligência e os demais recursos de nossa humanidade. 

Exemplos de inimigos e problemas vencíveis com aptidões humanas: 

  • inimigo humano que não seja perverso, 
  • psicopata, 
  • doenças simples 
  • e pequenos prejuízos.

Mas existem inimigos e problemas que são impossíveis de serem vencidos pelas capacidades humanas. 

Por exemplo:

A) Satanás e seus demônios, doença física terminal, prejuízo que supera todas as posses da pessoa. 
B) Doença ou prejuízo provocado por feitiçarias, magias, satanismo.

As pessoas que não acreditam nos inimigos que são espíritos demoníacos, nem reconhecem que seu problema inexplicável humanamente é provocado por forças sobrenaturais do mal, continuarão com suas dificuldades, pois das forças malignas, só Deus pode livrar o ser humano.

Os problemas com capacidade de infernizar nossas vidas podem vir de nós mesmos, podem vir de outras pessoas, podem vir dos governantes de nosso país ou governantes de outros países. Por isso, São Paulo orienta que, para vivermos em paz, devemos rezar pelos governantes do mundo, principalmente os do país em que moramos. 

“Acima de tudo, recomendo que se façam preces, orações, súplicas, ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todos os que estão constituídos em autoridade, para que possamos viver uma vida calma e tranquila, com toda a piedade e honestidade. Isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade.” (1 Tm 2,1-4)


Capítulo 1

O QUE FAZER DIANTE DOS PROBLEMAS HUMANOS OU SOBRENATURAIS?

Primeiro: amar a Deus de todo o coração.

Segundo: ter fé e confiança Nele.

Terceiro: rezar todos os dias.

Quarto: procurar se orientar espiritualmente com um católico confiável e experiente. 

“Sê, porém, assíduo junto a um santo homem, quando conheceres um que seja fiel ao temor de Deus.” (Eclo 37,15)

Quinto: crer que “O anjo do Senhor acampa em redor dos que o temem, e os salva”. (Sl 33,8)


Capítulo 2

NA MINHA FAMÍLIA, NA IGREJA, E NA PÁTRIA, EU CONTRIBUO PARA O CRESCIMENTO DO BEM OU DO MAL?

“Um único homem sensato fará povoar a pátria, enquanto que um país de maus tornar-se-á deserto”. (Eclo 16,5)

Nota: Todos nós queremos uma casa segura para morar. Nesse texto falarei sobre essa casa, mas farei um grande e necessário arrodeio até chegar a falar sobre como cada um de nós, e nós juntos, devemos proteger a nossa comum casa. Sem casa ficamos sofrendo sob o sol e a chuva, com perigos diversos de pessoas más e violentas. Não é assunto político, é assunto de sobrevivência de um povo, pois nossa comum casa é nossa Pátria, o Brasil, que precisa receber orações de seu povo.

Diante do perigo contra a sua Pátria, Judas Macabeus “mandou que o povo invocasse o Senhor, noite e dia, para que nessa circunstância, mais do que nunca, Ele (Deus) viesse em socorro daqueles que estavam ameaçados de perder a lei, a pátria e o templo”. (2Mc 13,10)


Capítulo 3

DEUS NÃO CRIOU O HOMEM E A MULHER PARA ABANDONÁ-LOS A SI MESMOS

Deus não é injusto, Ele não criou o homem e a mulher e disse: vivam suas vidas independentes de Mim, resolvam seus problemas sozinhos, estou ocupado com outras criações. Deus, que é amor, tem um plano de vida para cada pessoa que criou, no qual Ele é o maior interessado. Por este motivo, Ele se inseriu totalmente na vida de quem criou.

Deus é a parte principal do plano para qual o homem foi criado. Para que o homem esteja inserido no plano do divino amor na terra e depois no Céu, Deus lhe concedeu dons e lhe deu um Anjo Custódio, um Anjo da Guarda, um Anjo Guardião, que está sempre perto da pessoa criada, sem se afastar dela nem de dia nem de noite.

Vamos ler e meditar no que disse o Senhor ao enviar seu Anjo para proteger e mostrar o caminho da vontade Dele aos israelitas. Nessa meditação podemos fazer uma analogia para termos uma noção entre a missão do Anjo para toda a comunidade de Israel e a missão do Anjo da Guarda de cada pessoa.

Quando Deus cria uma pessoa, essa pessoa é um filho de Deus. Para que seu filho esteja protegido nos caminhos da vida, enquanto dura sua vida no tempo de provação na terra; para que ele não se desencaminhe; Deus envia à frente dele o seu Anjo da Guarda e ordena que ele esteja alerta para as palavras do Anjo, que lhe fala por inspirações, situações e pessoas de Deus. Que ele esteja prevenido para não desprezá-lo, para não resistir ao Anjo; caso contrário, o Anjo sabe o grau de como aplicar o devido castigo para corrigir, não para condenar, porque ele nada faz e fala para quem foi enviado por Deus para ser Anjo Custódio, que não seja a mando de Deus.

Deus disse aos israelitas: “Vou enviar um anjo adiante de ti para te proteger no caminho e para te conduzir ao lugar que te preparei. Está de sobreaviso em sua presença, e ouve o que ele te diz. Não lhe resistas, pois ele não te perdoaria tua falta, porque meu nome está nele.

Mas, se lhe obedeceres pontualmente, se fizeres tudo o que eu te disser, serei o inimigo dos teus inimigos, e o adversário dos teus adversários. Porque meu anjo marchará adiante de ti e te conduzirá entre os amorreus, os hiteus, os ferezeus, os cananeus, os heveus e os jebuseus, que exterminarei.” (Ex 23, 20-23)

Para nós, destes tempos, os amorreus, os hiteus, os ferezeus, os cananeus, os heveus e os jebuseus representam os inimigos e problemas que enfrentamos na vida, dos quais nosso Anjo Guardião nos protege.


Capítulo 4

OS INIMIGOS INVISÍVEIS, IMPERCEPTÍVEIS, SÃO MAIS PERIGOSOS

Muitos são os inimigos de nossa alma que querem nossa condenação. Os inimigos visíveis, perceptíveis, são muitos; mas maiores são nossos inimigos invisíveis e imperceptíveis. Para nós, leigos, solteiros e casados, membros da Igreja que Jesus fundou em Pedro, detectarmos estes inimigos e sabermos nos defender deles, é importante que procuremos viver a vida espiritual com mais intensidade do que a vida humana.

As responsabilidades humanas não devem ser desprezadas, mas sim espiritualizadas. Todo trabalho humano, feito para a glória de Deus, a salvação das almas, a libertação das almas do Purgatório, torna-se espiritual.


Capítulo 5

MEU RACIOCÍNIO É CAPAZ DE DETECTAR O QUE É RUIM DENTRO DE MIM?

É imprescindível que se tenha experiência da vida espiritual, vivendo a vida espiritual. Viver a vida espiritual na carne, não é fácil, pois nossa carne combate nosso espírito; nossa carne resiste ao Espírito Santo de Deus.

Por causa do pecado original, todo ser humano em graus maiores ou menores, tem a estupidez dentro de si. Olhemos para dentro de nós e vejamos se a inclinação da nossa carne para a estupidez é pequena ou grande.

A pessoa que não quer fazer esse autoexame de si mesmo, está possuída pela estupidez; pois o estúpido não se reconhece estúpido; não quer saber se seus pensamentos  e ações são de pessoas inteligentes ou de pessoas incapazes de coordenar seus pensamentos. 

Perguntemo-nos a nós mesmos: O que fazemos quando nos deparamos com coisas estúpidas dentro ou fora de nós? As rejeitamos ou nos solidarizamos com a estupidez?
O estúpido não se avalia, não se julga, não quer pensar sobre as consequências de seus erros, não quer aprender ouvindo a Palavra de Deus, nem aprender pela experiência de viver a Palavra de Deus. Ele acha que já sabe tudo o que precisa saber. O conselho de Jesus para quem não quer ser estúpido é:

“Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca”. (Mt 26, 41)


Capítulo 6

É PELA ORAÇÃO QUE VENCEREMOS O INIMIGO

Quem ora, aproxima-se de Deus; quem não ora, de Deus se afasta. Nossa proximidade com Deus enfraquece e aterroriza os inimigos. É pela oração que vencemos os inimigos que nos odeiam e querem nosso mal. É pela oração que vencemos os inimigos de nossa Igreja, família, país, continente, mundo.

Nossa vida e nossa oração são poderes nas mãos de Deus. Lembremos que, sendo filhos de Deus, de Deus recebemos responsabilidades. Precisamos pedir a Deus que nos abra os olhos, nos dê entendimento de como podemos e devemos agir como ministros da divina providência na nossa vida, na vida da Igreja, na história da nossa Pátria.

Se, segundo o dom que Deus nos dá para O servirmos de tal jeito em tal local, não soubermos ou não quisermos ser ministros da providência divina nas dimensões da sociedade humana e espiritual, estaremos contribuindo para o crescimento da incredulidade e da ignorância, e assim cooperamos, por omissão, para que o autoritarismo religioso mate a fé das pessoas, e os políticos no governo do estado escravizem a população.

Catecismo da Igreja Católica, §1884

“Deus não quis reservar só para Si o exercício de todos os poderes. Confia a cada criatura as funções que ela é capaz de exercer, segundo as capacidades da sua própria natureza. Este modo de governo deve ser imitado na vida social. O procedimento de Deus no governo do mundo, que testemunha tão grande respeito para com a liberdade humana, deveria inspirar a sabedoria daqueles que governam as comunidades humanas. Eles devem atuar como ministros da providência divina.”

Todos nós, servindo a Deus onde Ele nos colocou para servi-lo, podemos e devemos ser ministros da providência; para que as pessoas conheçam os limites do estado, e assim, trabalhem, orem, para que o estado respeite seus perímetros e a liberdade dos cidadãos. 

O Catecismo diz assim:

Catecismo da Igreja Católica, §1885

“O princípio da subsidiariedade opõe-se a todas as formas de coletivismo e marca os limites da intervenção do Estado. Visa harmonizar as relações entre os indivíduos e as sociedades e tende a instaurar uma verdadeira ordem internacional.”


Capítulo 7

CONSEQUÊNCIAS DA OMISSÃO NO MINISTÉRIO DO PODER DA PROVIDÊNCIA DIVINA

Se não quisermos ser ministros da providência divina, ministrando-a na sociedade – no nosso caso, principalmente na sociedade brasileira – torna-se certo que umas dessas 4 coisas pode acontecer:

1) Que cleptocratas tentem estabelecer o sistema de cleptocracia em nosso país. (Sistema que tem por regra a corrupção)

2) Que o socialismo comunismo estabeleça sua perversa e assassina ditadura.

3) Que facilitemos o avanço muçulmano sobre o Brasil.

4) Que contribuamos com o crescimento do globalismo liberal, onde o que importa é ganhar dinheiro, nem que seja às custas da destruição da religião e da moralidade.


Capítulo 8

O MUNDO HOJE ESTÁ UM CAOS, MUITAS PESSOAS PENSAM QUE CHEGOU O FIM DOS TEMPOS

Pode ter chegado, mas pode demorar ainda. Ninguém sabe! Quem diz saber a data do fim do tempo se engana. 

Se soubéssemos, vigiaríamos e oraríamos com maior empenho? 

Por não sabermos, devemos orar e vigiar para não sermos surpreendidos? 

Uma coisa é certa: o mundo já viveu momentos difíceis.


Capítulo 9

O MUNDO PARECIA PERDIDO NO PAPADO DO PAPA PIO V, MAS DEUS INSPIROU PIO V NO QUE FAZER PARA A VITÓRIA ACONTECER

No século XVI, no papado de São Pio V, os muçulmanos começaram a pôr em ação o plano de invadir as terras europeias, até tomar toda a Europa, e partir para a dominação mundial pouco a pouco. (Um parêntese: esse plano de dominação mundial pelo islã está mais forte nestes tempos do que no tempo de Pio V)

O Papa Pio V, homem santo, de grande percepção, vendo que o mal estava avançando, tentou abrir os olhos dos governantes do Ocidente para o que estava acontecendo. Em 1570, o Pontífice os alertou que a invasão otomana à ilha de Chipre revelava que os planos otomanos de invasão de toda a Europa estavam se fortalecendo.

Estes governantes ouviram o Papa, mas presos em interesses pessoais, e em grandes problemas internos em seus países, provocados pela reforma protestante, não deram a atenção necessária ao que o Papa Pio V falava; contudo, enviaram o Príncipe João d’Áustria à Itália. Enquanto isso, os muçulmanos continuavam invadindo terras europeias, visando tomar a Itália e toda a Europa.


Capítulo 10

CRISTÃOS SOB O TERROR DO INIMIGO

Os moradores das terras que eram tomadas pelos muçulmanos sofriam estupros. As mulheres que eles deixavam viver, tornavam-se escravas sexuais de muitos muçulmanos ao mesmo tempo. As degolações, empalações, mortes na fogueira, esfolamentos de pessoas ainda vivas, aconteciam o dia todo com centenas de católicos, como uma diversão para eles. Crianças eram tratadas com a mesma crueldade; outras eram levadas como escravas para serem treinadas como janízaro ou janíçaros – crianças cristãs que eram forçadas a se converterem ao islamismo e treinadas por anos com muito rigor para combater os cristãos nas batalhas.

A veneziana colônia de Famagusta, na ilha de Chipre,

“estava sendo sitiada pelos turcos no início de 1571, após a queda de Nicósia e outras possessões venezianas em Chipre no curso de 1570. Em 1º de agosto, os venezianos se renderam DEPOIS DE TEREM SIDO GARANTIDOS que poderiam deixar Chipre livremente.

No entanto, o comandante otomano, Lala Kara Mustafa Pasha, que havia perdido cerca de 50.000 homens no cerco, QUEBROU SUA PALAVRA, prendendo os venezianos. Em 17 de agosto, Marco Antonio Bragadin foi esfolado vivo e seu cadáver pendurado na galera de Mustafá junto com as cabeças dos comandantes venezianos, Astorre Baglioni, Alvise Martinengo e Gianantonio.” (1)


Capítulo 11

SÓ A ESPANHA SE MANTINHA FIEL À FÉ CATÓLICA DIANTE DOS REFORMADORES PROTESTANTES

Lutero en la Dieta de Worms. Pintor desconhecido. Óleo sobre tela.

Cercado de problemas de todos os lados, sem o apoio necessário dos países católicos, pois seus governantes influenciados pelo humanismo não se deixavam mover pelo amor a Deus, a fé e fidelidade à Igreja, chegaram até a fazer alianças com os muçulmanos para assegurar interesses particulares.

O Papa São Pio V se pôs a rezar mais Rosários do que já rezava, pois encontrando a falta de percepção, indiferença e cegueira dos governantes europeus diante do que poderia acontecer, ele só podia orar e esperar em Deus. Se juntava a esse problema a perseguição do protestantismo que crescia na Inglaterra, na Escócia, em grande parte da Alemanha, da Holanda e da França. Só a Espanha se mantinha firme na fé católica.


Capítulo 12

COMO PIO V FEZ MUITOS INIMIGOS DENTRO E FORA DA IGREJA?

Papa Pio V

O Papa precisava de apoio, mas dentro da Igreja Pio V tinha feito muitos inimigos, por usar a espada do Evangelho, pois quando assumira o papado, havia cortado o luxo exagerado do clero, como quando demitiu o bobo da corte, contratado para fazer palhaçadas com bobagens e fazer o clero e o povo presente rirem do que não se deve rir.

Esse bobo mostrava de forma maldosa, grotesca, zombeteira e maliciosa os pecados e vícios de algumas pessoas da igreja e da sociedade, insinuando que toda a igreja e a sociedade eram depravados (Podemos dizer que esses bobos da corte eram possuídos pelos demônios. Vestiam-se e maquiavam-se, dando a seus rostos a expressão de estupidez, com um sorriso de uma orelha a outra).

São Pio V também proibiu os palavrões, impôs penas severas contra as blasfêmias, adultério e sodomia. “Não acostumes tua boca a uma linguagem grosseira, pois aí sempre haverá pecado.” (Eclo 23, 17). “O homem acostumado a dizer palavras injuriosas jamais se corrigirá disso.” (Eclo 23, 20) Por exigir que todo católico vivesse procurando ser santo como Deus é santo, seus inimigos o acusavam de querer transformar toda a Roma num mosteiro.

Obrigou, ainda, os bispos a terem uma residência fixa; ordenou que os religiosos de clausura ficassem na clausura; exigiu o celibato e a santidade na vida dos bispos e padres; aumentou o envio de missões; proibiu a publicação de literatura profana para proteger a inocência, principalmente das crianças e adolescentes; e devido ao crescimento das heresias, proibiu a publicação de material religioso com doutrina católica que não tivesse a aprovação da Igreja.


Capítulo 13

CHEGAVAM MAIS NOTÍCIAS RUINS

Mesmo enfrentando problemas dentro e fora da Igreja e no mundo todo, e todos os dias recebendo notícias de que os turcos otomanos estavam avançando cada vez mais para invadir a Europa; diante das más notícias, São Pio V mantinha sua serenidade e fé, rezando sempre o santo Rosário.

Os muçulmanos tinham passado anos se preparando para a guerra, construindo centenas de barcos, treinando soldados para a carnificina, com repetidos gritos de morte aos cristãos. O soldados ouviam muitas vezes o Corão, que promete ao seguidores de Maomé muitas mulheres virgens no jardim das delícias:

Corão, surata, capítulo 56, de 12 a 39

“Nos Jardins da Delícia. Uma multidão dos primeiros (profetas e povos que os seguiram). E um pouco dos derradeiros (os seguidores do profeta Maomé). Estarão sobre leitos de tecidos ricamente bordados, Neles reclinados, frente a frente (…) E haverá húris (virgens) de belos grandes olhos, Iguais a pérolas resguardadas, Em recompensa do que faziam.”

Os espiões de Veneza relataram aos seus superiores que a força e o número de muçulmanos eram muito superiores às forças católicas. A República de Veneza apelou, então, ao Papa para que os reinos católicos ajudassem seus irmãos que estavam sendo chacinados, outros feitos escravos. Infelizmente, o caos reinante na Europa impedia uma resposta rápida. Eram tantos problemas, que parecia o fim do mundo. Para milhares de pessoas, a cristandade iria chegar ao fim.


Capítulo 14

SÃO PIO V SE DESDOBRANDO PARA UNIR OS CRISTÃOS

“A França e o Sacro Império Romano estavam preocupados com as mudanças radicais provocadas pela Reforma. A Espanha ofereceu esperança, mas Filipe II, com um tesouro vazio, enfrentou revoltas na Andaluzia e na Holanda. Veneza também desconfiava profundamente da influência espanhola na Itália.
Pio, no entanto, estava empenhado em atrair a Espanha, Veneza e os pequenos estados italianos para uma aliança consigo mesmo, mas encontrou uma série de atrasos. Veneza desejava salvar Chipre; Filipe desejava adquirir Argel e Túnis; e todas as partes discutiram sobre contribuições e recompensas.Enquanto isso, os turcos capturaram a cidade de Nicósia em Chipre em 9 de setembro de 1570, antes de sitiar a cidade de Famagusta e entrando no Adriático. Só em 25 de maio de 1571 o papa conseguiu persuadir a Espanha e Veneza a concordar com os termos de uma aliança ofensiva e defensiva. Vestir Juan de Áustria, o meio-irmão mais novo de Filipe, seria o comandante-chefe, e o general papal Marcantonio Colonna seria seu tenente.” (2)


Capítulo 15

SEM ABANDONAR O ROSÁRIO

Papa Pio V

O Papa continuava a rezar seu Rosário, dando sequência à inspiração que tinha no coração, de formar um exército cristão unido, apesar das dificuldades. Essa união ele denominaria de Liga Santa. Com a ajuda de Nossa Senhora, ele conseguiu. A Liga Santa foi composta pelos exércitos de Veneza, da Espanha, dos Estados Pontifícios, conhecidos como Estados da Igreja, ou Patrimônio de São Pedro; e estaria sob a liderança do Príncipe Dom João d’Áustria, um homem muito devoto de Nossa Senhora.

Muitos Cavaleiros de Malta, ou Ordem de Malta, voluntariaram-se para a batalha, e João dÁustria os aceitou. (A Ordem de Malta começou como Ordem Beneditina no século XI, na Palestina. Depois se tornou uma ordem militar cristã com regras próprias, que se encarregou de assistir e proteger os peregrinos e exercer a caridade.)

A Liga Santa conseguiu criar uma esquadra de 208 galés, 6 galeaças (navio a remo) com 44 canhões. Em 1571, com forças inferiores às forças muçulmanas, a Liga Santa partiu de Messina para a ilha grega de Corfu. Os protestantes, que se diziam cristãos, mesmo vendo a ameaça muçulmana contra toda a cristandade, negaram-se a ajudar a Igreja católica nessa guerra. Possuídos pelo eterno orgulho, torciam pela derrota católica, pensando que sozinhos venceriam a força muçulmana.


Capítulo 16

O PAPA PIO V DÁ AOS SOLDADOS A MAIS PODEROSA ARMA DE GUERRA

Antes da partida, o Papa deu o principal treinamento de guerra para os soldados: orientou que todos fizessem exercícios religiosos e jejuns por três dias, entre orações e procissões, pedindo a Deus o perdão dos pecados e a graça da vitória. Antes de embarcarem, todos participaram da Missa e comungaram.

Papa Pio V

O Papa enviou ao Imperador uma bandeira com a imagem de Jesus crucificado. Mandou também um cardeal benzer as armas dos soldados, pedindo que todos tivessem consigo o Rosário. Publicou, ainda, um Jubileu geral, para que Deus, vencedor das batalhas, abençoasse e protegesse o exército cristão. São Pio V participou das procissões rogatórias e mandou cunhar uma medalha comemorativa.


Capítulo 17

SOLDADOS SEM MEDO DE MORRER

P.S.: Eu li mais de um autor sobre a Batalha de Lepanto. Imaginei essa batalha como quem está lutando nela ou vendo-a num filme. Peço permissão para juntar a minha imaginação aos verídicos acontecimentos desta Batalha. Obrigado pela permissão. Assista ao filme comigo ou lutemos juntos.

Batalha de Lepanto – Museu Marítimo Nacional, Greenwich (Inglaterra) – Foto: Wikimedia

No dia 7 de outubro de 1571, os soldados católicos entraram em batalha, invocando o nome de Maria Auxiliadora dos Cristãos. Os muçulmanos, que vinham invadindo e conquistando as terras europeias, vendo que eram bem superiores em número de barcos e de soldados, deram a vitória por certa.

Mas durante o confronto, eles se deparam com soldados católicos destemidos, cheios de fé em Deus. Não havia medo, só coragem, ousadia e força; ninguém cansava de golpear. Os soldados católicos matavam os soldados muçulmanos à direita e à esquerda, um só soldado dos nossos valia por mais de três dos soldados islâmicos, tamanho era o desejo de proteger a cristandade católica. Apesar de tal bravura, os soldados muçulmanos (em maior número) estavam matando muitos soldados católicos.


Capítulo 18

A AJUDA CHEGA

O Papa tinha enviado emissários pelo mundo, pedindo que todos rezassem o Rosário e fizessem penitência. Nem todos os católicos ouviram esse pedido, pois a comunicação na época não era como é hoje. Muitos que ouviram, não corresponderam como deveriam. Porém, um pequeno número de pessoas, que só Deus sabe qual foi e quem eram, ouviu e atendeu ao pedido do Papa: rezaram Rosários e fizeram penitências.

Batalha de Lepanto – Pintor desconhecido – National Maritime Museum

Essas orações chegaram aos soldados católicos, fortalecendo-os, encorajando-os, transformando-os em heróis. Com a força vinda das orações do Rosário, nossos soldados lutavam como ursos e leões, com o dobro do tamanho. Os muçulmanos se olhavam, um pedindo ajuda ao outro, diante da fúria e determinação não somente nos golpes, mas também dos olhares e semblantes dos guerreiros de Nossa Senhora.

Seus olhares pareciam lançar chamas de fogo. Pronunciando o nome de Maria Auxiliadora dos Cristãos, eles brandiam a espada aos gritos mais fortes do que os urros dos leões. Diante de tal ferocidade, valentia, os muçulmanos, sem entenderem por que eles gritavam como estavam gritando, começaram a se apavorar.


Capítulo 19

OS PLANOS MUÇULMANOS NÃO ESTAVAM DANDO CERTO

Combate Naval de Lepanto Juan Luna, 1571

Tudo estava dando errado para o inimigo. Apesar de seus barcos serem mais velozes, seus marinheiros melhor treinados, eles continuavam perdendo, diante da intrepidez da Liga Santa. Os 44 canhões das 6 galeaças católicas faziam grandes estragos nas 45 galeotas muçulmanas.

Não havia na Liga Santa um só soldado católico covarde, todos estavam dispostos a viver ou morrer em defesa da nossa fé. Eles avançavam ou avançavam. Ninguém recuava. Atacando e matando, eles iam libertando católicos que os muçulmanos tinham feito prisioneiros. Estes, uma vez libertos, pegavam as armas dos muçulmanos mortos e entravam na batalha, possuídos pela bravura que viam nos soldados da Liga Santa.


Capítulo 20

A APARIÇÃO DE NOSSA SENHORA

Batalha de Lepanto Paolo Veronese, 1571

Apesar disso, os muçulmanos ainda continuavam sendo maioria. Em dado momento, o vento, que estava contrário ao exército católico, muda de direção. As águas do mar ajudam a esquadra católica de todas as formas, mas o mesmo não ocorre com a esquadra inimiga. Encorajando mais ainda os já encorajados soldados da Liga Santa, é visto que os estandartes de Jesus Crucificado e os da Virgem de Guadalupe golpeiam as bandeiras vermelhas com a meia lua do islã.

De repente a frota islâmica começa a fugir. Os soldados da Liga Santa matam Muezzinzade Ali Pasha, cortam sua cabeça e a erguem. Os muçulmanos se apavoram mais ainda, ao ver seu líder decapitado. (Eles, que sentem prazer em decapitar cristãos.) A batalha foi acirrada, mas com a ajuda de Nossa Senhora, a Liga Santa sai vitoriosa aos gritos de “Viva Maria!”.

Os soldados da Liga Santa só souberam depois da batalha o motivo de os muçulmanos terem fugido. Muitos deles disseram que viram acima dos mastros da esquadra católica, uma Senhora com um aspecto tão majestoso e ameaçador que os fazia fugir. Eles tremiam, sem conseguir parar de tremer.

Em Roma, cuidando de outras necessidades da Igreja, confiando na eficácia do Rosário, redobrando as orações, as penitências, os jejuns, Pio V pedia a Deus a vitória da Liga Santa.

“No dia 7 de outubro, ele trabalhava com seu tesoureiro, Donato Cesi, o qual lhe expunha problemas financeiros. De repente, separou-se de seu interlocutor, abriu uma janela e entrou em êxtase. Logo depois, voltou-se para o tesoureiro e disse-lhe: ‘Ide com Deus. Agora não é hora de negócios, mas sim de dar graças a Jesus Cristo, pois nossa esquadra acaba de vencer’. E dirigiu-se à sua capela.” (3)

Devido à distância, demorou duas semanas para que os mensageiros conseguissem dar a notícia da vitória ao Papa, que estava em Roma.

“O Senado veneziano pôs abaixo do quadro que representava a batalha a seguinte frase: ‘Non virtus, non arma, non duces, sed Maria Rosarii Victores nos fecit’. – ‘Nem as tropas, nem as armas, nem os comandantes, mas a Virgem Maria do Rosário é que nos deu a vitória!’. Gênova e outras cidades mandaram pintar em suas portas a efígie da Virgem do Rosário.” (4)


Capítulo 21

BAIXAS

A Batalha de Lepanto Fernando Bertelli, 1572

Liga Santa Católica

7.500 mortos
17 navios destruídos 

Império Otomano

30.000 mortos
3.846 capturados
240 navios perdidos
137 navios capturados
50 navios afundados
12.000 prisioneiros cristãos libertados

“O historiador Paul K. Davis escreve que, “Mais do que uma vitória militar, Lepanto foi uma vitória moral. Durante décadas, os turcos otomanos aterrorizaram a Europa, e as vitórias de Solimão, o Magnífico causou sérias preocupações à Europa cristã. A derrota em Lepanto exemplificou ainda mais a rápida deterioração do poder otomano sob Selim II, e os cristãos se alegraram com esse revés para os otomanos. A mística do poder otomano foi significativamente manchada por esta batalha, e a Europa cristã foi encorajada.” (5)


Capítulo 22

LEPANTO E O BRASIL

Oremos!
Senhor Deus Todo Poderoso, nós Vos pedimos por nossa Pátria. Enviai agora, “ó soberano dos céus, um bom anjo que nos preceda, infundindo temor e espanto” (2Mc 15,23) aos inimigos de nossa fé, de nossa Igreja e de nosso Brasil.


Capítulo 23

APARIÇÃO DE NOSSA SENHORA EM PERNAMBUCO

A Santíssima Virgem Maria apareceu no sítio da Guarda, no distrito de Cimbres, cidade de Pesqueira, em Pernambuco, no dia 06/08/1936, a duas meninas: Maria da Luz e Maria da Conceição, sob o título de Nossa Senhora das Graças. 

A Mãe de Deus revelou às duas meninas os perigos que estavam por vir ao Brasil SE O POVO NÃO FIZESSE PENITÊNCIA E ORAÇÃO, ESPECIALMENTE A ORAÇÃO DO SANTO ROSÁRIO. 

O padre designado pelo Bispo para investigar a veracidade da aparição, perguntou a Nossa Senhora: “Quais as devoções que se devem praticar para afastar esses males?”. A Santíssima Virgem respondeu-lhe: “AO CORAÇÃO DE JESUS E A MIM”.

Nossa Senhora disse:

“PARA SE EVITAR O CASTIGO, É PRECISO REZAR O SANTO ROSÁRIO, FAZER PENITÊNCIA, TER DEVOÇÃO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS E AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA”.

Precisamos rezar sem julgar ou criticar os que não rezam.

A reza do Rosário e a penitência podem impedir o comunismo de dominar o Brasil, pode levar quem reza e se penitencia à conversão pessoal, além de levar à conversão outras pessoas, que são alvo desta oração.

 


Capítulo 24

O MAL VEIO SE APROXIMANDO E CHEGOU, ESTÁ DOMINANDO TUDO, E AGORA?

É o fim de tudo? Não. Calma. Ainda podemos fazer algo a nosso favor.

“O homem prudente percebe a aproximação do mal e se abriga, mas os imprudentes passam adiante e recebem o dano”. (Pr 22, 3)

São poucos os homens que perceberam o mal se preparando, fortalecendo-se, avançando pouco a pouco para dominar cada país, com o objetivo de dominar o mundo. Estes homens falaram do que viam, mas quem não via, desprezava suas palavras, dizia ser exagero, bobagem.

A escravidão chegou e estas pessoas ainda se sentem livres. Para elas, lockdown, isolamento social, toque de recolher, vacinação obrigatória, controle das redes sociais são coisas que servem para evitar a morte. Milhares de pessoas nem sabem quem é o responsável pela bactéria do olho apertado que parou o mundo. Nem desconfiam de que tudo foi pensada e planejada há muito tempo.

Chegamos ao ponto que SÓ DEUS PODE LIBERTAR OS PAÍSES DA ESCRAVIDÃO que está em andamento pelos que estão articulando um só governo mundial. A humanidade caminha para a perda total da liberdade, mas a grande maioria das pessoas não percebem o que está acontecendo, porque estão há anos sendo enganadas e distraídas com as muitas diversões e ocupações, criadas propositalmente, com o objetivo de tirar a atenção das pessoas do que está acontecendo de verdade.


Capítulo 25

MAS QUEM QUER SABER DA VERDADE?

“Eles não querem saber nem compreender, andam nas trevas, vacilam os fundamentos da terra”. (Sl 81,5)

O rei Davi, no Salmo 81, diz que Deus se ergueu entre os deuses na assembleia divina e fez perguntas aos homens na terra. 

Deus pergunta aos juízes e a cada pessoa em sua individualidade:

Por que fazes julgamentos iníquos?

Por que favoreces os ímpios?

Depois de perguntar, Deus diz:

“Defendei o oprimido e o órfão, fazei justiça ao humilde e ao pobre, livrai o oprimido e o necessitado, tirai-o das garras dos ímpios.”

(Sl 81,3)

Depois de fazer perguntas com a intenção de que cada pessoa reflita; depois de dar ordens segundo a justiça; Deus vê a indiferença de cada homem e de cada mulher e diz:

“Eles não querem saber nem compreender, andam nas trevas, vacilam os fundamentos da terra”.

(Sl 81,5)

Vendo que um pequeno número de pessoas O escuta, mas milhões de pessoas individualmente e em grupos, não querem saber o que é certo e errado; não querem compreender o que é a vida, quem é seu autor, quem a mantém, por que estão vivos, qual é o objetivo da vida, por que as pessoas nascem e depois morrem, o que acontece depois da morte; Deus diz:

“Eu disse: sois deuses, sois todos filhos do Altíssimo. Contudo, morrereis como simples homens e, como qualquer príncipe, caireis.”

(Sl 81,6-7)

Filho de peixe, peixe é. Filho de leão, leão é. Filho de rei, príncipe é. Filho de Deus, deus é (com “d” minúsculo). Quem são os deuses, filhos do Altíssimo, que morrerão como simples homens, que cairão como qualquer príncipe? São os deuses que não querem saber nem compreender, e que por isso andam nas trevas. Estes cairão, se condenarão; mas os que buscam a Deus, seus Mandamentos, sua ciência e sabedoria; estão orando diante de Deus, dizendo:


Capítulo 26

LEVANTAI-VOS, SENHOR!

“Levantai-vos, Senhor, para julgar a terra, porque são vossas todas as nações”. (Sl 81, 8)

PONDE FIM À MALÍCIA DOS ÍMPIOS, SENHOR!

“Ponde fim à malícia dos ímpios e sustentai o direito, ó Deus de justiça, que sondais os corações e os rins. O meu escudo é Deus, ele salva os que têm o coração reto. Deus é um juiz íntegro, um Deus perpetuamente vingador. Se eles não se corrigem, ele afiará a espada, entesará o arco e visará.

Contra os ímpios apresentará dardos mortíferos, lançará flechas inflamadas. Eis que o mau está em dores de parto, concebe a malícia e dá à luz a mentira. Abre um fosso profundo, mas cai no abismo por ele mesmo cavado. Sua malícia recairá em sua própria cabeça, e sua violência se voltará contra a sua fronte. Eu, porém, glorificarei o Senhor por sua justiça, e salmodiarei ao nome do Senhor, o Altíssimo.” (Sl 7, 10-18)

VINDE CONTRA OS MAUS EM CÓLERA, ATERRORIZA-OS COM VOSSO FUROR!

“Por que tumultuam as nações? Por que tramam os povos vãs conspirações? Erguem-se, juntos, os reis da terra, e os príncipes se unem para conspirar contra o Senhor e contra seu Cristo. Quebremos seu jugo, disseram eles, e sacudamos para longe de nós as suas cadeias!

Aquele, porém, que mora nos céus, se ri, o Senhor os reduz ao ridículo. Dirigindo-se a eles em cólera, ele os aterra com o seu furor: Sou eu, diz, quem me sagrei um rei em Sião, minha montanha santa. Vou publicar o decreto do Senhor. Disse-me o Senhor: Tu és meu filho, eu hoje te gerei.


Pede-me; dar-te-ei por herança todas as nações; tu possuirás os confins do mundo. Tu as governarás com cetro de ferro, tu as pulverizarás como um vaso de argila. Agora, ó reis, compreendei isto; instruí-vos, ó juízes da terra.


Servi ao Senhor com respeito e exultai em sua presença; prestai-lhe homenagem com tremor, para que não se irrite e não pereçais quando, em breve, se acender sua cólera. Felizes, entretanto, todos os que nele confiam”. (Sl 2)

A GRATIDÃO A DEUS E O COMPORTAMENTO ÍNTEGRO DIANTE DELE NO COMBATE CONTRA OS INIMIGOS

“Ouvi, Senhor, minha lastimosa voz. Do terror do inimigo protegei a minha vida,” (Sl 63,2) “Lembrai-vos: o inimigo vos insultou, Senhor, e um povo insensato ultrajou o vosso nome”. (Sl 73,18)

Ó Deus! “Dai-nos auxílio contra o inimigo, porque é vão qualquer socorro humano”. (Sl 59,13) “Haveis de me elevar sobre um rochedo e me dar descanso, porque vós sois o meu refúgio, uma torre forte contra o inimigo”. (Sl 60,4)


Deus “livrou-me de inimigo poderoso, dos meus adversários mais fortes do que eu”. (Sl 17,18) Ó Deus! “Não me entregastes às mãos do inimigo, mas alargastes o caminho sob meus pés”. (Sl 30,9) Senhor Deus! Louvo-vos por me livrardes de todos os meus inimigos, para eles peço perdão e salvação de suas almas. Senhor!


“Nunca me alegrei com a ruína de meu inimigo, e nem exultei quando a infelicidade o feriu”. (Jó 31,29) Lembro-me de tua ordem: “Não te alegres, se teu inimigo cair, se tropeçar, que não se rejubile teu coração,” (Pr 24,17)


“Tem o teu inimigo fome? Dá-lhe de comer. Tem sede? Dá-lhe de beber:” (Pr 25,21) Lembro-me de no amor não baixar a guarda, pois Vós dizeis: “Não confies nunca em teu inimigo, pois a malícia dele é como a ferrugem que sempre volta no bronze”. (Eclo 12,10) “O inimigo tem a doçura nos lábios, enquanto no coração arma laços para te lançar na cova”. (Eclo 12,15)


Capítulo 27

SE REZARMOS O ROSÁRIO TODOS OS DIAS, QUEM SABE NÃO ACONTECERÁ COM O BRASIL O QUE ACONTECEU COM ISRAEL?

A mando de Deus, o profeta Sofonias proclamou: “Solta gritos de alegria, filha de Sião! Solta gritos de júbilo, ó Israel! Alegra-te e rejubila-te de todo o teu coração, filha de Jerusalém! O Senhor revogou a sentença pronunciada contra ti, e afastou o teu inimigo. O rei de Israel, que é o Senhor, está no meio de ti; não conhecerás mais a desgraça”. (Sf 3, 14-15)

A reza diária do Santo Rosário, somada às penitências, poderá nos fazer ouvir de Deus para o Brasil o que Deus falou pelo profeta Zacarias: “Montarei guarda junto de minha casa, para protegê-la contra as idas e vindas; o inimigo não oprimirá mais o meu povo, porque doravante terei meus olhos sobre ele”. (Zc 9,8)

Queridos filhos de Deus! Rezando muitos Rosários, fazendo penitências, “Levantemos nossa pátria de seu abatimento e lutemos por nosso povo e nossa religião”. (1Mc 3,43)


Vocês estão convidados para participar da batalha conosco, na defesa de todos os países, principalmente em defesa do nosso país, o Brasil, rezando o rosário todos os dias às 4h da madrugada no canal da Vocação de Jesus.
https://www.youtube.com/playlist?list=PLA-WETMiVEd-5c0ZmWn664KCX4aEqDGpr

Deus, que é bom, misericordioso e poderoso, abençoe-nos a todos.
J.V.

. . .

Referências:

(1) Hopkins, T.C.F. (2006). Confronto em Lepanto: Cristandade vs. Islã. Nova York: Forge Books. ISBN 978-0-76530-539-8.

(2) https://www.britannica.com/event/Battle-of-Lepanto

(3) Cronologia da Batalha de Lepanto

(4) Cronologia da Batalha de Lepanto

(5) Davis, Paul K. (1999). 100 batalhas decisivas: da antiguidade ao presente. Nova York: Oxford University Press. ISBN 978-0-19514-366-9.

São Pio V e a Batalha de Lepanto

Nossa Senhora Auxiliadora, vencedora do islamismo


Enciclopédia  site: br.wikiqube.net

11 comentários

  1. Bendito seja nosso Deus por nossa igreja por o sangue de seu filho por nossa VOCAÇÃO obrigado mãe por tantas graças agradeceu a Jesus por mim

  2. Nossa Senhora do Rosário é a Nossa Vitória!!! Não tenho palavras para expressar o quanto me emocionei nesta formação, o quanto senti a presença poderosa da Virgem Maria, Vencedora de todas as Batalhas!!! Obrigada, Mãe, por ser Católica! Obrigada, Mãe, pela Vocação de Jesus!!!

  3. Obg Sr. Por nos acolher como um soldado em ordem de batalha nós somos esses escolhidos de Deus para sermos diferentes não melhores é um chamado a se doar por aqueles que não rezam nem aceita a se sacrificar pelos seus irmãos .em orações e penitência seremos os vencedores dessa batalha contra o mal com nossa senhora a frente em ordem de batalha. Louvado seja Deus. 🙏🙏

  4. Essa inspiração da preparação antes da meditação tem me dado força para conseguir ir até o final com profundo entendimento em cada palavra. Bendito seja Deus.

  5. Louvado seja Deus, que leitura edificante.
    Capítulos curtos, uma forma que fixa na alma.
    Oremos, oremos, mais ainda.
    Que a Santa mãe receba nossos rosários rezados e apresente a Deus Pai no nome d e Jesus, no poder e na clemência do Espírito Santo.
    Quem reza está em paz, em todas as circunstâncias.
    Guarda-nos no Amor a vós Senhor!

  6. Muito melhor que dormir, é ouvir o ensinamento que é indispensavel à nossa alma e nossa vida e ajuda aos nossos irmãos e familiares. Que o espírito santo esteja sempre em nós amém.

Escreva seu comentário