VOCAÇÃO DE JESUS!
Deus seja amado com todas as forças de nosso coração e de nossa alma.

27/09/2021

Antes de iniciar a leitura dessa meditação, aconselho você a se preparar interiormente através desse método de RECOLHIMENTO DIANTE DE DEUS.
https://vocacaodejesus.com/meditacao/recolhimento-diante-de-deus/

.Capítulo 01

Não há um ser humano que não queira viver em paz. Porém, bilhões em um mundo de mais de sete bilhões de pessoas, vivem sem paz. Dentre estes bilhões que vivem sem paz, a maioria procura pela paz, quer a paz, deseja a paz. Há os que a encontram, e os que não a encontram. Por quê?

Os que encontram a paz, encontram-na porque a receberam de quem tem a paz, do único que pode conceder a paz, porque a paz lhe pertence.

Jesus nos disse:

“Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe o vosso coração, nem se atemorize!”

(Jo 14,27)

Se uma pessoa se sente em paz, mas esta paz não lhe foi dada por Jesus, essa pessoa não tem a paz verdadeira e duradoura em si. Ela pode se sentir e pensar que está em paz, mas está muito enganada. Fora de Jesus não há paz verdadeira. Se a pessoa não recebeu a paz da Pessoa de Jesus, essa pessoa vive uma falsa paz, que lhe faz sentir e pensar que está tudo bem, quando, na realidade, tudo está muito mal. Isso acontece sem que ela perceba e entenda o perigo em que se encontra por viver sem ter a paz de Jesus.


.Capítulo 02

Viver em paz porque se tem um temperamento calmo; viver em paz porque se tem uma inteligência para saber viver com educação, trabalhando, sem ter conflitos com pessoas, sem dificuldades financeiras, ainda não é a paz verdadeira. Mesmo que tal pessoa se sinta em paz, o que ela pensa ser paz, não o é.

Se a paz é construída em cima da prudência e da inteligência; na vida familiar, profissional e social; por mais útil e sensato que seja viver assim; se esta paz foi conseguida somente a nível humano, sem que a tenha recebido de Jesus; essa tranquilidade conseguida pelo esforço da inteligência e da prudência humana, por mais louvável e necessária que seja, ainda não é a verdadeira e imprescindível paz, por não ser a paz que só Jesus pode dar.

Diante de Jesus estavam muitas pessoas que queriam a paz, pois todas as pessoas querem viver em paz. Porém, elas queriam a paz do mundo, a paz no mundo. Ficaram decepcionadas por não entenderem as Palavras de Jesus, quando ele disse: “Não julgueis que vim trazer a paz à terra. Vim trazer não a paz, mas a espada”. (Mt 10,34)

Elas não entenderam. E não procurando entender o que não entenderam das Palavras de Jesus, escandalizaram-se com Jesus. Escandalizaram-se porque queriam a paz DO mundo: um mundo sem guerra, onde todos vivem em paz do seu jeito, e não do jeito de Deus. Queriam essa paz, que o mundo enganosamente oferece.

Mas Jesus não dá esse tipo de paz. Jesus não dá a paz DO mundo, pois Ele não é do mundo (cf Jo 17,14). As pessoas queriam a paz NO mundo, mas Jesus, que não é do mundo, quer dar a sua paz para que todos tenham a paz verdadeira, uma vez que a paz DO mundo, e NO mundo, é falsa, é incapaz de levar o homem ao apaziguamento POR, COM e EM Deus.

Quem procura a paz DO mundo; quem quer viver a paz NO mundo, sem procurar a paz de Jesus, irá se apaziguar com o mundo e com as pessoas que querem a mesma paz mundana, e não se apaziguará com Deus. Que vantagem há em trocar a paz de Jesus pela paz DO e NO mundo?

A paz de Jesus não é a paz construída pelo homem, apesar de o homem ter a responsabilidade e a obrigação de ser construtor da paz. A paz de Jesus que o homem constrói, é aquela paz que ele recebeu de Jesus para, no Nome de Jesus, levar aos outros.

“Em toda casa em que entrardes, dizei primeiro: Paz a esta casa! Se ali houver algum homem pacífico, repousará sobre ele a vossa paz; mas, se não houver, ela tornará para vós”. (Lc 10, 5-6) “A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós”. (Jo 20,21)


.Capítulo 03

A realidade da vida no mundo mostra, de modo inequívoco, que no mundo não existe paz duradoura. Quantas guerras já existiram? Quantas ainda existirão? Quem pode medir a violência, a insegurança, a maldade, o medo, os conflitos pessoais, familiares, profissionais e sociais que existem diariamente nas pessoas e no mundo?

É desejo de Deus que haja períodos de ausência de guerras e da diversidade de conflitos humanos no mundo, devido à boa vontade humana; mas é também desejo e vontade de Deus que todas as pessoas tenham em si a paz que é de Jesus, a paz que só Jesus pode dar, pois é uma paz duradoura na alma e mente de quem a recebe. Enquanto isso, a paz no mundo, que é construída pela inteligência, prudência, e boa vontade humanas, nunca ocorre na terra toda; pois, historicamente, se vê que, quando uma região da terra está em paz, há outras regiões em guerra.

A paz de Jesus para nós, neste mundo, acontece, sobretudo, em nosso interior, não em nosso exterior. Se fosse em nosso exterior, de nada ela nos adiantaria durante os momentos de guerras e nos diversos conflitos, sejam pessoais ou comunitários, pois sem a paz de Jesus dentro de nós, nós viveríamos preocupados, ansiosos, com medo, inseguros, nervosos, impacientes, sem esperança. Seria impossível suportar o peso das tentações, sem ser seduzido por elas, neste mundo que está subjugado pelo mal.

“Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o Maligno”. (1Jo 5,19) “Referi-vos essas coisas para que tenhais a paz em mim. No mundo haveis de ter aflições. Coragem! Eu venci o mundo”. (Jo 16,33)


.Capítulo 04
OS MAUS NÃO CONHECEM A PAZ DE JESUS

Vivemos em um mundo sob o domínio do pecado.

“Judeus e gregos estão todos sob o domínio do pecado, como está escrito: Não há nenhum justo, não há sequer um. Não há um só que tenha inteligência, um só que busque a Deus. Extraviaram-se todos e todos se perverteram. Não há quem faça o bem, não há sequer um (Sl 13,lss). A sua garganta é um sepulcro aberto; com as suas línguas enganam; veneno de áspide está debaixo dos seus lábios (Sl 5,10; 139,4). A sua boca está cheia de maldição e amargor (Sl 9,28).  Os seus pés são velozes para derramar sangue. Há destruição e ruína nos seus caminhos, e não conhecem o caminho da paz (Is 59,7s). Não há temor a Deus diante dos seus olhos (Sl 35,2).”

(Rm 3, 9-18)

Jesus disse que “Só Deus é bom.” (Mt 19, 17) Deus é bom em Si mesmo, é bom em sua perfeição; sua perfeição é bondosa. Se só Deus é perfeitamente bom, isso quer dizer que as boas pessoas não são perfeitas em suas bondades. Se as melhores pessoas não são perfeitas em suas bondades, então cada boa pessoa deve se reconhecer falha e capaz de qualquer maldade, caso não procure conhecer suas fraquezas e se armar contra elas. Tal pessoa boa poderá fazer alguma(s) maldade(s), e irá se sentir muito mal por ter feito o que não queria fazer.


.Capítulo 05

As boas pessoas não podem deixar de examinar suas consciências; não podem deixar de orar, ler a Palavra de Deus, manterem-se próximas de pessoas verdadeiramente espirituais. Devem afastar-se de pessoas de mau comportamento; que não querem se arrepender de seus atos, e sim convencer aos outros de que as coisas erradas que fazem não têm nada de mais.

“Estai alerta para que ninguém deixe passar a graça de Deus, e para que não desponte nenhuma planta amarga, capaz de estragar e contaminar a massa inteira”. (Hb 12,15)


.Capítulo 06
POBRES

As boas pessoas pobres devem se vigiar para que, ao desejarem e trabalharem para melhorar de vida, o inimigo das almas, que é Satanás, não ofereça sugestões que as levem ao afastamento de Deus. Devem se vigiar quanto a querer viver como não podem viver, por não terem condições financeiras. Devem se vigiar para não terem inveja dos ricos. Devem meditar nas Palavras:

“Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedicar-se-á a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e à riqueza”. (Mt 6,24) “Quem procura enriquecer, afasta os olhos (de Deus).” (Eclo 27,1) “Então ele ergueu os olhos para os seus discípulos e disse: Bem-aventurados vós que sois pobres, porque vosso é o Reino de Deus!”

(Lc 6,20)

Ser pobre não quer dizer se acomodar em sua pobreza; isso seria o pecado da preguiça. O pobre pode tentar melhorar de vida, sabendo que Deus chamou algumas pessoas para serem pobres por um tempo, outras por muito ou pouco tempo, outras pela vida toda; e há aquele pobre que Deus enriquece:

“É, com efeito, coisa fácil aos olhos de Deus enriquecer repentinamente o pobre”.

(Eclo 11,23)

.Capítulo 07
RICOS

As boas pessoas ricas devem se vigiar para não se destruírem em amizades com ricos que nada querem com Deus; devem perguntar a Deus como usar da riqueza que Ele lhes deu. As boas pessoas ricas devem lembrar que, se ficarem usando o dinheiro de modo que venham a perder suas almas, Deus lhes tirará a riqueza para poder salvar suas almas.

Deus ama o pobre e o rico. “Rico e pobre se encontram: foi o Senhor que criou a ambos” (Pr 22, 2). Deus, em sua sabedoria e metodologia, a uns faz ricos e a outros faz pobres. Aquele que Deus fez pobre em bens materiais, o pode fazer rico em bens espirituais, se assim esse pobre quiser e fizer por onde aprender, pela meditação, que nada é melhor do que viver A vontade, e DA vontade de Deus. Aquele a quem Deus fez rico de bens materiais, Deus o fará rico de bens espirituais, se ele viver sem ter o coração na riqueza; se usar do que Deus lhe deu sem apego; se souber que nada teria se Deus não lhe tivesse dado; se buscar a Deus em oração para saber como administrar sua riqueza para as necessidades de sua família, para as necessidades dos pobres que Deus lhe enviar e para as demais necessidades materiais da evangelização.

Deus fez Jó ser um homem muito rico, mas Jó jamais colocou sua confiança e coração na riqueza.

Ele disse:

“Nunca me rejubilei por ser grande a minha riqueza, nem pelo fato de minha mão ter ajuntado muito.”

(Jó 31,25)

Dica: quem quiser, faça a Novena a Santa Edwiges, lendo com atenção o que São Francisco de Sales fala, pois a novena é toda composta por trechos do Livro Filotéia, escrito por este santo. Lá ele explica como os ricos podem e devem administrar suas riquezas sem perderem suas almas.

Você encontra a novena completa no link a seguir:
https://www.youtube.com/watch?v=omQ58pNSfN0&list=PLA-WETMiVEd84Bu5MzBGRFcQKw1mrUErn

Deste modo, ficará mais fácil de entender as Palavras de Jesus:

“Quão dificilmente entrarão no Reino de Deus os ricos! Os discípulos ficaram assombrados com suas palavras. Mas Jesus replicou: Filhinhos, quão difícil é entrarem no Reino de Deus os que põem a sua confiança nas riquezas! É mais fácil passar o camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar o rico no Reino de Deus”.

(Mc 10, 23-25)

.Capítulo 08
SOLTEIROS

Respondendo a essas três perguntas:

  • Eu ainda não casei por quê?
  • Será que ainda vou casar?
  • Será que nunca vou casar?

As boas pessoas solteiras devem fazer com que a paz de Jesus esteja sempre em suas vidas, pela confiança depositada no Senhor. Devem crer que Deus, autor de cada vida, é quem dá o dom de ser casado ou o dom de ser solteiro, ao homem ou à mulher que Ele fez nascer na terra. Deus não deixa ao acaso, abandonado, vivendo por sua própria conta, nenhuma pessoa que Ele criou. Cada vida humana é muito importante para Ele. Por isso, não pense o solteiro de 25, 29, 34, 40 anos, ou de mais idade, que não casou por “azar”. Não é azar, é bênção de Deus. É bênção de Deus porque essa é a vontade divina para quem a providência chama a ser solteiro, pois caso se casasse… (continue lendo até o final)

Referindo-se à ação de Deus que dá o dom de ser solteiro, Jesus disse:

“Porque há eunucos que o são desde o ventre de suas mães.”

(Mt 19,12)

Os eunucos não se casavam, mas aqui falando em eunucos, Jesus se refere aos “eunucos espirituais”, “eunucos de coração”, homens e mulheres escolhidos por Deus desde o ventre de suas mães para não se casarem. Deus os quer somente para Ele. Se forem leigos, podem ter suas profissões, e tudo o mais da vida normal; mas o tempo que dedicariam ao cônjuge, se fossem casados, Deus quer esse tempo para Ele.

São Paulo diz:

“O solteiro cuida das coisas que são do Senhor, de como agradar ao Senhor”.

(1Cor 7,32)

Há pessoas que, por amor ao Reino dos Céus, resolvem conscientemente ficar solteiras para se dedicar a algum serviço a Deus na Igreja, em alguma vocação.

Há solteiros que pensam em casar, querem muito casar, preocupam-se muito com esse desejo. Quando rezam o Rosário, contemplam o primeiro mistério do sonho do casamento, o segundo mistério da casa e dos filhos etc.

Há quem sinta momentos de muita solidão; pois quer casar, mas não com qualquer pessoa. Pensa em escolher alguém para casar, e diz ‘não’ aos que aparecem por não satisfazerem a sua preferência religiosa, profissional, física e de caráter.   

Há quem, depois de ter rejeitado pretendentes, vê o tempo passando, a idade avançando. A cada ano, um ano a mais, e a pessoa imaginada não aparece. Começa, então, a entrar em desespero, e assim não quer mais escolher, agora quer casar de qualquer jeito, com qualquer pessoa que aparecer.

Há quem, por amor ao Reino dos Céus, abraça o dom de ser solteiro, carregando a sua cruz na paz de Jesus.

Há os que Deus quer solteiros, mas eles(as) querem se casar; e assim, sem orar, jejuar ou perguntar a Deus se Ele os(as) chamou para o casamento, arranjam um jeito de casar, e casam, pois cada pessoa é livre para escolher o que quer fazer e fazer.

O que acontece com os que receberam de Deus o dom de ser solteiro(a), mas deram um jeito de casar?

Arranjam problemas com a pessoa que casaram, ou sofrimento com os filhos, ou lar sem paz, doenças e mortes prematuras. Depois de muito sofrimento, chegam ao ponto de dizer: “Por que eu fui casar? Se eu soubesse que casamento era assim, não teria casado”. Não conseguem reconhecer que o problema não está no casamento, que é um outro dom de Deus, o problema está em casar sem ser vontade de Deus.

Assim como uma pessoa chamada ao casamento, se não orar e jejuar, se não perguntar a Deus sobre a pessoa que vai casar, pode casar com uma pessoa que Deus não escolheu, e vir a ter muitos sofrimentos no casamento; da mesma forma, quem recebeu o dom de ser solteiro, se não orar, jejuar e perguntar a Deus qual o dom que Ele lhe deu, se é o de ser solteiro(a) ou o do casamento, unindo a essa pergunta o desejo e a vontade de fazer a vontade divina e não a vontade pessoal, passará por sofrimentos que não são vontade nem permissividade de Deus. A pessoa tão-somente está colhendo o resultado de não confiar que Deus sabe o que é o melhor para ela. Deus lhe diz: “Não é minha vontade que sofras assim. Não tens minha permissão para sofrer assim. Esses sofrimentos não têm minha permissão para estarem te atormentando. Mas o que posso fazer, se tu és livre para fazer tua vontade e viver tuas escolhas?”

Muitos dos chamados por Deus para serem solteiros, são tentados pela carência humana, e então resolvem casar; dão um jeito e arranjam um casamento. Resultado: depois de brigas, falta de perdão, muitos problemas, decepções, frustrações, sucessão de sofrimentos, terminam se separando. Voltam a ser solteiros, mas agora são solteiros que foram casados. Rejeitaram o dom de ser solteiro, casaram, e agora vivem a vida como divorciados.

O certo era que tivessem permanecido solteiros, uma vez que foi esse o dom que Deus lhes deu. Que adiantou casar, arranjar um monte de problemas e se separar? Não era melhor ter permanecido solteiro, sem ter passado pelas brigas e sofrimentos que causaram a separação?

Há pessoas que Deus escolhe para viverem como solteiros por pouco tempo, outras por poucos anos, outras por muitos anos, depois Deus lhes dá um casamento, porque são chamados por Deus para o casamento. Outros são chamados a viverem como solteiros a vida toda.

Há quem tenha pena dos solteiros; há quem zombe dos solteiros. Deus permite que pessoas ainda não crescidas no amor e entendimento, humilhem os solteiros, para os solteiros crescerem no amor, compreensão e perdão na busca Dele; não para que eles fiquem traumatizados por serem solteiros, ou vivam com pena de si mesmos se sentindo inferiores. Como seriam inferiores, se foram escolhidos pessoalmente pelo próprio Deus para viverem suas vidas intimamente ligados ao Rei dos reis e Senhor dos senhores?

Ser solteiro não quer dizer viver solitário. Permanecer solteiro, vivendo esse dom por amor a Deus, significa viver em companhia de Deus. Todos aqueles a quem Deus não chamou para o casamento, Deus providenciou a vida, o local, como e onde tal pessoa O servirá na companhia de outras pessoas solteiras e casadas. O(a) solteiro(a), terá grande felicidade, se ele(a) entender que Deus o(a) reservou para Ele mesmo, para serem um do outro, para viverem próximos, para um relacionamento entre Deus e ele(a), ele(a) e Deus.

Quem faz a verdadeira felicidade do ser humano é Deus, não outro ser humano. Fomos criados para Deus, não para outra criatura semelhante a nós. A criatura não é Deus. O casamento entre homem e mulher só existe na terra devido aos diversos planos de Deus por causa da existência humana na terra, sendo um dos planos de Deus a procriação. Mas quando morrermos e ressuscitarmos, no Céu, não haverá casamento, todos seremos solteiros, pois seremos totalmente de Deus, estaremos completos em nossa eterna união com nosso Senhor, Criador e Pai.

Jesus, falando sobre o casamento, disse que ele acontece na terra; no Céu, não há razão para acontecer:

“Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento, mas os que serão julgados dignos do século futuro e da ressurreição dos mortos, não terão mulher nem marido. Eles jamais poderão morrer, porque são iguais aos anjos e são filhos de Deus, porque são ressuscitados.”

(Lc 20, 34-36)

A sociedade imprime um conceito de que todas as pessoas devem casar. Porém, na vontade de Deus, essa não é a realidade da vida. Sempre existirão casados e solteiros, pois Deus é quem assim o quer. Jesus não casou, São Paulo não casou. O próprio Espírito Santo viria fazer os Padres da Igreja entenderem o mistério da vontade de Deus a respeito do celibato dos padres.

O Santo Espírito relembraria e faria entender a profundidade das Palavras de Jesus, que nem todos podem entender, a não ser aqueles a quem Deus dá o entendimento. Jesus tinha dito:

“Porque há eunucos que o são desde o ventre de suas mães, há eunucos* tornados tais pelas mãos dos homens e há eunucos que a si mesmos se fizeram eunucos por amor do Reino dos céus. Quem puder compreender, compreenda”.

(Mt 19,12) 

*Eunuco: homem castrado com a responsabilidade de proteger as mulheres no harém. Aqui, Jesus se refere aos futuros Padres da Igreja, homens não castrados. Homens normais, que seriam iluminados pelo Espírito Santo para viverem a castidade por amor ao Reino dos céus. Homens que, por não serem casados, não repartiriam seu tempo entre Deus, sua mulher, os filhos, a profissão etc. Por escolherem não casar, viver solteiros, doariam integralmente o seu tempo só a Deus. Jesus disse aos Apóstolos: “Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão”. (Jo 16,13)

Há mais de 35 anos, um pastor protestante, com outra pessoa, foi à minha casa. Falaram do amor de Deus e outros assuntos como o batismo, dizendo que era errado a Igreja católica proibir o casamento dos padres, que era preciso nascer de novo. O pastor tentava fazer com que eu “me entregasse a Jesus”.  Falou que era casado e que todo homem deveria casar para não pecar pela carne.

Depois de muito ouvir o pastor, respondi que não se casa para não pecar pela carne; casamento não é fuga do desejo carnal; casamento não é só união sexual; casamento é um ato consciente da união, no amor, entre um homem e uma mulher, diante de Deus. Disse-lhe que se casa para prestar um serviço a Deus, para amar sua mulher, seus filhos, para formar uma família cristã.

Disse, ainda, que a família é uma igreja familiar, submissa à Igreja Católica que Jesus fundou em Pedro; que é uma igreja familiar na sociedade, onde os pais são degraus da escada para o Céu um para o outro, e assim, os dois educam seus filhos na fé em Jesus Cristo, para que eles conheçam, amem, adorem, e temam a Deus desde a mais tenra idade.

São os pais, em primeiro lugar, que orientam seus filhos sobre o uso da liberdade; que, por meio da oração pessoal e familiar, formam uma família estruturada: religiosamente, no conhecimento da Palavra de Deus; moralmente, no domínio da inteligência, da vontade e dos sentimentos; profissionalmente, na orientação da importância do trabalho e futura profissão; e patrioticamente, na orientação do amor e fidelidade à Pátria.

São os pais que sempre serão conselheiros e protetores espirituais de seus filhos por meio da oração, jejum e reza diária do Santo Rosário. Se um dia algum filho passa por grande tentação, os pais, juntos, oram mais ainda por esse filho necessitado.

Sem dizer qual é o problema, se é de ordem pessoal, se precisam de mais ajuda, os pais dizem aos padrinhos de Batismo e Crisma que seu afilhado está precisando de orações, jejuns e rosários. Diante de Deus, por causa do compromisso assumido no dia em que aceitaram ser padrinhos, eles passaram a ter a obrigação humana e espiritual de orarem por seu(s) afilhado(s) todos os dias, e fazerem orações especiais quando o(a) afilhado(a) precisar.

Propositalmente, eu ia falar mais alguns assuntos; mas o pastor, não aguentando mais me ouvir, interrompeu-me, falando que era para formar família que os padres deveriam casar. Enquanto ele falava, peguei a Bíblia, e falando ao mesmo tempo que ele,  li em voz mais alta do que a dele, Mateus 19, versículo 12:

“Porque há eunucos que o são desde o ventre de suas mães, há eunucos tornados tais pelas mãos dos homens e há eunucos que a si mesmos se fizeram eunucos por amor do Reino dos céus. Quem puder compreender, compreenda”.

(Mt 19,12)

O pastor ouviu e começou a argumentar, numa argumentação sem fim. Não aguentando mais ouvir argumentações sem nexo, eu pedi licença e lhe disse que ele pedisse a Deus que lhe iluminasse quanto à explicação de Jesus sobre os que se fazem eunucos por amor ao Reino dos Céus. Ele não ouvia, só queria falar. Queria me convencer, pela força de suas palavras, de que ele estava certo.

Eu disse que queria encerrar a conversa; que só voltaríamos a conversar um dia, se ele atendesse o pedido que lhe fiz sobre Mt 19,12. Dei ‘boa noite’ e disse que já era hora de nos despedirmos. Ele se chateou, e foi embora. Nunca mais o vi, isso quer dizer que ele nunca pediu a Deus que o esclarecesse a respeito das Palavras de Jesus em Mt 19,12. Aprendi, com o tempo, que os protestantes têm fama de ler a Bíblia, mas a grande maioria não lê, apenas decoram uns versículos bíblicos. Principalmente os versículos fora de contexto que usam, sem coerência, para atacar a Igreja Católica.


.Capítulo 09
CASADOS

As boas pessoas casadas são responsáveis por fazerem com que a paz de Jesus esteja na vida conjugal. O marido tenha em si a paz de Jesus. A mulher tenha em si a paz de Jesus. Os dois construam a paz de Jesus entre si, em sua casa, nos filhos e no trabalho profissional.

A paz de Jesus deve estar no casal desde a época do namoro. Deve não só permanecer em suas vidas, mas possibilitar que a paz de Jesus cresça a ponto de que, depois de 5, 30, 60 anos de casados, o crescimento da paz de Jesus tenha levado o casal a admirar um ao outro, por ver um no outro o crescimento da espiritualidade, o fortalecimento do amor, a fé e confiança em Deus, o zelo e cuidado um pelo outro.

O casal deve se ajudar para não permitir que as mentiras e enganos de Satanás venham roubar a paz de Jesus da família pelos muitos meios que ele, como espírito diabólico, sabe usar.

Por exemplo:

Um amigo bateu uma foto de um panfleto que viu em um poste e me enviou, pedindo para orarmos por um conhecido nosso, que há mais de 20 anos não víamos. Ele me contou o que tinha acontecido com esta pessoa desde que sumiu. Depois de ter escutado, olhei outra vez o panfleto. Estou com a foto dele aqui no celular. A pessoa está diferente, mas é a pessoa que conheci. A foto desse panfleto e o que está escrito nele me fazem usá-lo no exemplo que darei, pois é uma história real. (Claro que omitirei nomes)

Conheci esse homem e sua família de perto. Era uma família bem estruturada, em Deus e profissionalmente. O homem era bom marido, muito trabalhador, honesto, temente a Deus, dedicado nos compromissos vocacionais. Eles não eram ricos, mas o marido ganhava o necessário para viverem. Estavam economizando para comprar um carro usado. Não tinham tudo o que queriam materialmente, mas nada lhes faltava, por causa das bênçãos de Deus sobre suas vidas. Eram uma família muito feliz.

Um dia, esse homem, conversando com sua irmã sobre estar juntando o dinheiro para comprar o carro, ela o aconselhou a fazer um curso de empreendedorismo grátis na internet, para ele abrir mais a cabeça e ver o mundo de possibilidades que existem, e assim ter ideias de como empreender e ganhar mais dinheiro, para melhorar a vida financeira da família.

Ela mostrou no computador dele vários cursos. Ele ficou entusiasmado, gostou da ideia, e no mesmo dia começou sua pesquisa; ficou muito empolgado com o assunto sobre empreendedorismo que ele nunca tinha visto. Ele se entusiasmou tanto, que foi deixando de orar. Depois de muito ler, resolveu fazer alguns cursos online, afinal, eram grátis. Em casa e com os amigos, passou a falar sobre empreendedorismo, empreendedorismo e empreendedorismo. Sua mulher chegou a reclamar dele, dizendo que em casa agora pouco falava de Deus para os filhos, só falava de empreender; e que, quando falava de Deus, não conseguia mais prender a atenção dos filhos como antes.

Ele ouvia a mulher e ficava calado. Conversando com um amigo, resolveram montar um negócio juntos. Montaram. Ele passou a ter menos tempo para a família e para os compromissos vocacionais. Dois anos se passaram, e depois de muitos fracassos, de ter feito muitas dívidas, teve de pegar suas economias para pagar as contas, pois os credores não paravam de cobrar.

Tiveram que fechar o empreendimento. Sem saber o que fazer e pensando em empreender, conversando com um e com outro, foi convidado para trabalhar com um homem que lhe ofereceu emprego e grandes possibilidades de fazer negócios. Resultado: o homem, que era um sonhador, com o mau hábito de viver salientando qualidades pessoais que não tinha; porém, tendo facilidade de ostentar, pelas palavras, uma postura de homem de negócios, que não era; levou esse homem a fazer empréstimos para um negócio que não conseguiu nem começar. E assim, esse homem, que queria ser empreendedor, adquiriu mais uma dívida.

Completamente endividado, dizia a si mesmo que não podia desistir. Procurou e, por acaso, encontrou um homem que tinha um capital para iniciar um negócio empreendedor. Convidou-o para fazer uma sociedade, na qual ele iria entrar com o serviço. A empresa foi aberta com sociedade de 50% para cada um. Em menos de um ano, os dois estavam totalmente endividados. Ele teve de vender a casa que ele e sua família moravam para pagar metade da dívida, e ainda continuou devendo, pois seu sócio tinha fugido sem pagar a parte dele, e ele não queria ficar com o nome sujo.

Foram morar na casa dos pais dele, que estava alugada, mas tinha um quarto no fim do quintal, que não fazia parte do aluguel. O quarto era pequeno, mas só tinham esse lugar para morar. Dormiam todos juntos. Sem deixar de ler sobre o assunto de empreendedorismo, ele recebeu um telefonema de um homem que queria falar com ele, porque soube que ele tinha um grande dom de se comunicar.

Marcaram um encontro. O homem era também entusiasmado, fascinado, hipnotizado pelo assunto do empreendedorismo. Devido a isso, os dois ficaram amigos na mesma hora. O novo amigo falou que tinha tentado empreender em alguns negócios, mas que não tinha dado certo. Porém, disse que estava tendo uma ideia de empreender num negócio que iria dar certo, ele estava procurando pessoas com o dom da palavra, por isso tinha ligado para ele, por indicação de um amigo.

A ideia era abrir um curso sobre empreendedorismo, a qual foi logo aceita. O ponto inicial seria realizar um Congresso. Os dois, então, apesar de estarem totalmente endividados, fracassados como empreendedores, fizeram umas fotos vestidos de paletó, fizeram cara de “empreendedores de sucesso”, fizeram uns panfletos grandes, e os pregaram em vários pontos da cidade.

O panfleto dizia:

Faça seu futuro de sucesso, começando hoje.

CONGRESSO SOBRE EMPREENDEDORISMO

Temas:
1- Você precisa ter visão de futuro.
2- Saiba criar e manter seu empreendimento em crescimento.
3- Como começar um negócio vencedor.
4- Empreendedorismo de impacto. Sucesso total.
5- O futuro não espera. Siga o exemplo de campeões nos negócios.
6- Se você souber empreender, você ganhará muito dinheiro.


Palestrantes: ………….. –   ………….
Dia ……….. Local …………
40% de desconto nos primeiros 100 inscritos.

Olhando esse panfleto, e sabendo como estes dois palestrantes de curso de empreendedorismo vivem, eu me pergunto:

  • Quantas pessoas Satanás engana e as leva a enganar outras com o sonho e o desejo de ganhar dinheiro, ficar rico?
  • Quantos palestrantes de empreendedorismo estão dando palestras, cursos, sem que seus alunos, ouvintes, saibam que são pessoas fracassadas?
  • Como pessoas que não conseguem fazer algo certo, pessoas que vivem de fracasso em fracasso, erro após erro, tendo prejuízo em cima de prejuízo, podem ensinar os outros a vencer?

Esse homem e sua família eram cumulados de bênçãos, vivendo com pouco dinheiro. Nada de necessário lhes faltava. Deus os abençoava para viverem felizes, ele com sua família. O pouco que ele tinha, rendia e sobrava, por causa das bênçãos do Senhor Deus. Eles eram felizes e saudáveis, na saúde espiritual e física.

O tentador, vendo um católico como este homem, vivendo bem e satisfeito na graça de Deus, sem que a providência divina lhe deixe faltar nada; não suportando ver a felicidade e fidelidade a Deus desse homem, foi tentá-lo com uma ideia que parecia boa. Com essa ideia, enganou-o, de modo que ele se destruiu e levou sua família a muitos sofrimentos.

Ele não quis levar sua família para os sofrimentos que levou. Mas, infelizmente, seduzidos pelo diabo, ele e sua família estão sofrendo. Sem querer, ele trocou a lealdade a Deus pelo desejo de empreender, ganhar mais dinheiro. Ele esqueceu que:

“O homem leal será cumulado de bênçãos; o que, porém, tem pressa de se enriquecer, não ficará impune”.

(Pr 28,20)

O diabo colocou na cabeça dele que seria pelo caminho do empreendedorismo que ele iria ficar rico e ajudar muitas pessoas. 

Esse homem esqueceu que:

O rico não é rico porque é competente, porque tem saúde para trabalhar, porque é capaz de se autoenriquecer, porque tem visão empreendedora.

Esqueceu que:

Um homem rico, é rico porque Deus lhe dá riqueza. Claro que a competência e a visão empreendedora são necessárias aos que Deus quer dar riqueza; mas não é a capacidade humana que faz enriquecer. É de Deus “que vêm a riqueza e a glória, sois vós o Senhor de todas as coisas; é em vossa mão que residem a força e o poder. E é vossa mão que tem o poder de dar a todas as coisas grandeza e solidez”. (1Cr 29,12) “Assim, nem o que planta é alguma coisa nem o que rega, mas só Deus, que faz crescer”. (1Cor 3,7)

Salomão, o homem que recebeu de Deus inteligência, sabedoria e riqueza superiores a todos os homens, disse:

“Sou, com efeito, vosso servo e filho de vossa serva, um homem fraco, cuja existência é breve, incapaz de compreender vosso julgamento e vossas leis;” (Sb 9,5) “O homem não é senhor de seu sopro de vida, nem é capaz de o conservar. Ninguém tem poder sobre o dia de sua morte, nem faculdade de afastar esse combate; e o crime não pode salvar o criminoso”. (Ecl 8,8)

Oremos!

Senhor nosso Deus!

Guardai-nos na paz de Jesus.

Guardai nossas almas, mentes, imaginações, vontades, intenções, pensamentos, corações, em Jesus Cristo, nosso único Senhor e Salvador.

Mãe de Jesus! Virgem Santíssima! Guardai-nos dentro de Vosso Imaculado Coração.

Amém!

Deus, que é bom, misericordioso e poderoso, abençoe-nos a todos.

J.V.

13 comentários

  1. O Caminho mais certo para a Santidade é viver para fazer a vontade de Deus. Bendito seja Deus por esta formação tão rica! Que Jesus sempre seja a Paz de nossas almas!

  2. Obrigado Senhor Jesus Cristo por mais uma formação. Amar a vós sem intervalo é o que necessita nossa alma para sempre. Providênciai com nossa mãe santíssima.

  3. Bendito seja Deus por essa formação, que o Senhor abra sempre os nossos olhos com a luz do divino Espírito Santo, para queremos sempre a vontade de Deus em nossas vidas. Obrigada JV

  4. Quero confirmar que sou um solteiro feliz. Sentir grande felicidade em ser solteiro enquanto lia as pregações. Já pensou se aquelas mulheres que pensei que poderiam ser minha esposa tivessem casada comigo e já separado? Seria grande sofrimento.ou se a gente continuasse casados mas fosse como cão e gato.brigando. se Deus me der esposa será pra eu amar e não brigar.e ela também me amar e não brigar..pra ir para o céu com ela e os filhos que Deus nos der e não para o inferno. Obrigado meu Deus por minha condição de vida no teu caminho.

  5. Quero confirmar, por experiência própria, que a falta de discernimento, a pressa para se casar…, não dá certo, não faça como eu fiz! O melhor é fazer a vontade de Deus, como muito bem está escrito aqui nesta formação!

Escreva seu comentário