VIRTUDE OU SABEDORIA?

VOCAÇÃO DE JESUS!
Deus seja amado com todas as forças de nosso coração e de nossa alma.

10/01/2022


“O Deus da esperança vos encha de toda a alegria e de toda a paz na vossa fé, para que pela virtude do Espírito Santo transbordeis de esperança!”.

(Rm 15,13)

Capítulo 01
A VIRTUDE DA HUMILDADE

Todos os homens precisam de virtudes e sabedoria de Deus. Mas como somos imperfeitos, o tentador pode seduzir uma pessoa sábia em Deus, para que ela se orgulhe da sabedoria que Deus lhe dá. Por isso, é mais seguro praticar as virtudes do que a sabedoria de Deus; porém não devemos descartar a sabedoria divina.

Ajamos por prioridade. Primeiramente pratiquemos as virtudes, começando pelo amor e o temor a Deus, seguidos de fé, esperança, humildade, perseverança e obediência à Doutrina da Igreja Católica. Queiramos ser sábios! Esforcemo-nos para ser. Mas lembremos que:

“a ciência incha, o amor constrói.” (1Cor 8,1)

Priorizemos praticar a virtude da humildade mais do que querer ser sábio. Queiramos ser sábios, pois Deus é sábio, mas lembremos da lei do pecado que nos prende (cf. Rm 7, 23). Para nós, é mais seguro sermos humildes como Jesus, que é Deus, é humilde.

O sábio é tentado a receber a sabedoria de Deus com sua sabedoria. É grave erro. Devemos receber a Doutrina, a ciência, o conhecimento do Senhor nosso Deus primeiramente com humildade, depois, e só muitos anos depois, com sabedoria. A sabedoria tem muitos caminhos certos e bons, mas nós nem sempre sabemos qual é a hora de seguir este ou aquele. A humildade só tem um caminho.

“Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas.” (Mt 11,29)

São as virtudes colocadas em prática, principalmente o amor, o temor a Deus e a humildade, que nos enchem de sabedoria de Deus. A leitura e o estudo da Palavra de Deus para adquirirmos conhecimento, sabedoria, são necessários e muito proveitosos para quem procura viver a virtude da humildade, mas um perigo à alma de quem despreza as virtudes da humildade, do amor e do temor de Deus.

“Vós, que temeis o Senhor, amai-o, e vossos corações se encherão de luz.” (Eclo 2,10)

Capítulo 02
A SABEDORIA DA CONDENAÇÃO

“O campo é o mundo. A boa semente são os filhos do Reino. O joio são os filhos do Maligno.” (Mt 13,38)

HÁ UMA SABEDORIA QUE LEVA A ALMA À CONDENAÇÃO ETERNA NO INFERNO!

CUIDADO!

EVITE-A!

RENUNCIE-A!

Quem tem e distribui a sabedoria da condenação?

Os falsos profetas.

A sabedoria da condenação nasce neles?

Não.

Então, qual é a origem da sabedoria da condenação?

Ela se origina em Satanás.

O que Jesus Cristo fala sobre os falsos profetas que distribuem na terra a doutrina da condenação?

Jesus, o distribuidor da sabedoria da salvação, diz: “Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm a vós disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores.” (Mt 7,15)

Por que os falsos profetas fazem o trabalho de semear a sabedoria da condenação?

Porque são as sementes do Diabo.

Eles nasceram com o destino de serem as sementes do Diabo?

Não. Destino são acontecimentos que não se pode evitar. Deus, ao criar o homem, deu-lhe o dom da liberdade; não o destinou a ser semente do Diabo, pois se assim tivesse feito, não lhe teria dado a liberdade. Todos os homens nascem com liberdade para escolherem viver como filhos de Deus ou filhos do Diabo.

Onde os falsos profetas semeiam a sabedoria da condenação?

No campo de Deus, que é o mundo. Mundo, este, que deve ser evangelizado pela Igreja.

Em que momento o Diabo semeia a sabedoria da condenação no campo de Deus?

No momento em que a boa semente repousa, descansa; principalmente quando relaxa na oração e vigilância.

O que acontece com as sementes do diabo e as sementes de Deus, se as duas estão no campo de Deus?

Os Santos Anjos querem arrancar as sementes do Diabo, mas Deus não autoriza.

Por que Deus não autoriza?

Porque é arriscado arrancar o trigo ao se arrancar o joio. (Cf. Mt 13, 29)

Então, o que fazer?

É deixá-los crescer juntos.

Mas não haverá grande perigo do trigo se corromper?

Não. Quem é trigo, é semente de Deus. Diante da maldade do joio, mais pura e santa fica a semente do trigo.

O que acontecerá depois de o trigo e o joio terem crescido juntos?

Os Anjos de Deus colherão o trigo e o levarão para a felicidade eterna no Céu. Os demônios colherão o joio e o levarão para a infelicidade eterna no inferno. (Cf. Mt 13, 30)

Se o joio é a semente do Diabo, é o Diabo pessoalmente quem a semeia?

Sim.

Então, a boa semente é semeada pessoalmente por Jesus?

Sim. “O campo é o mundo. A boa semente são os filhos do Reino. O joio são os filhos do Maligno.” (Mt 13,38)

Capítulo 03
TEMPOS DIFÍCEIS

Em tempos difíceis na vida da Igreja, na sociedade, na família, nos estudos, no trabalho, aparecem as boas e más pessoas; os verdadeiros e falsos profetas. Esses dois tipos de pessoas falam. Eles consideram que têm uma mensagem a dar às pessoas.

Pedro

Há pessoas boas, dando bons conselhos; conselhos úteis à vida humana na terra, porém inúteis à salvação das almas.

Há boas pessoas, dando bons conselhos à vida humana na terra, e necessários à salvação das almas.

Há más pessoas, dando maus conselhos para a perdição das almas.

Precisamos pedir a Deus que nos dê sua luz e o dom da humildade, para sabermos discernir entre as boas pessoas, inclusive as que tenham cargo de autoridade dentro da Igreja, e que falam usando o nome de Deus, para sabermos quem delas transmite a sabedoria de Deus e quem transmite sua própria sabedoria ou a sabedoria do Diabo.

Em tempos difíceis na Igreja, o tentador sabe usar a tentação, para que uma ou várias pessoas queiram ser o salvador da Igreja. 

O inimigo das almas sabe tentar muitas pessoas para que elas se juntem aos cegos e orgulhosos que dizem mostrar o caminho da “verdade” e da “salvação” da Igreja.

A humildade é muito necessária, porque sem ela bons católicos são desviados da verdadeira fé por falsos profetas que agem dentro da Igreja.

Isso sempre aconteceu, desde a fundação da Igreja, e continua acontecendo até hoje.

Se não houver humildade, a pessoa que estiver sendo cercada por homens que se passam por homens de fé, fiéis à Igreja, defensores da Igreja, estará sendo seduzida por um espírito demoníaco, e portanto, terá muita dificuldade de se libertar.

Somente a humildade fará com que um coração sincero e verdadeiro permaneça na verdadeira fé, sem ser enganado por falsos espíritos que agem dentro e fora da Igreja para confundir as mentes e os corações.

Capítulo 04
HÁ QUEM SE CONDENE COM OS QUE SE CONDENAM PENSANDO QUE ESTÃO SE SALVANDO

“Vigiai e orai para que não entreis em tentação.” (Mt 26,41)

O homem não pode se salvar por sua própria sabedoria. Cuidado!!!

A Comunhão dos Santos

O homem pode se perder pela sabedoria dos outros homens. Vigie e ore!!!

A salvação está na sabedoria de Deus.

Pergunte-se:

Que sabedoria está conduzindo minha vida?

Que sabedoria está conduzindo a vida dos homens em quem eu confio, que falam em nome de Deus?

Muitos homens fiéis à Igreja, deixaram de o ser porque foram seduzidos pelas forças hipnóticas dos demônios; perderam-se em si mesmos; não quiseram escutar a verdade que é diferente do que eles julgam ser verdadeiro. 

Muitos homens estão perdidos na sabedoria de outros homens, não querem escutar quem contradiz seus mestres.

Na terra, poucos homens se deixam conduzir pela sabedoria de Deus. São Máximo, o Confessor escreveu:

“Não possuo opinião própria. Concordo somente com o que ensina a Igreja Católica”.

Capítulo 05
COMO SABER SE A SABEDORIA QUE SIGO, E NA QUAL CONFIO, É MINHA, DE OUTROS HOMENS OU DE DEUS?

Sei que sigo a sabedoria de Deus, quando sigo o Catecismo da Igreja Católica; Igreja que Jesus fundou em Pedro. Se minha sabedoria diverge dos ensinamentos do Catecismo da Igreja Católica, eu sigo a mim mesmo. Se não sigo a mim mesmo, mas sigo a sabedoria, os ensinamentos, as exortações e pregações de homens que pregam uma doutrina diferente da Doutrina Católica, eu não sigo a sabedoria de Deus, sigo aos homens incapazes de se salvar a si mesmos, que estão indo pelo caminho da perdição eterna.

A minha sabedoria espiritual é como a dos homens que baseiam sua sabedoria na força de argumentos travestidos de lógica humana/espiritual? Uma lógica humana/espiritual que, para convencer os outros, usa a argumentação para convencer, por meio do que parece lúcido? Homens que tentam provar que seus estudos, suas afirmações e pesquisas provam que o que eles dizem é o certo; que discordar deles é discordar da verdade?

Vigiemos e oremos! Existem homens de fora da Igreja capazes de desconstruir a verdadeira história da Igreja, afirmando que eles são a verdadeira Igreja. E há este mesmo tipo de homens dentro da Igreja verdadeira, dizendo que existem duas igrejas, uma falsa e uma verdadeira, e que a verdadeira é a que eles seguem e nela confiam.

Jesus entrega as chaves da Igreja para Pedro

Jesus só fundou uma Igreja. Ela tem passado por perseguições de fora e de dentro; tem passado por muitas traições, mas nunca deixou de ser a Igreja que é, e sempre será, até Jesus voltar pela segunda vez; pois Ele prometeu estar presente nela todos os dias, até o fim do mundo (Cf. Mt 28, 20). Todos os dias quer dizer que Jesus nunca deixará, um só dia, de estar na sua Igreja.

Ele, Jesus, em Pessoa, é o Senhor e condutor da Igreja. Quem quer ajudar a Igreja deve se submeter com amor, fé e humildade ao Senhor Dela. Quem se levantar para salvar a Igreja, sem que Jesus o tenha enviado em missão, se destruirá. Quem conhece a história, sabe de quantos homens que seguiram o que julgavam ser certo para proteger a Igreja, e acabaram por fazer o mal dentro da Igreja, abandonando-a em seguida, e se tornando perseguidor daqueles a quem Jesus instituiu como autoridade dentro dela.

Estas pessoas se transformaram em falsos profetas que seduzem as ovelhas do rebanho de Jesus Cristo. Muitos destes homens eram verdadeiros, bons e bem intencionados, mas se transformaram em falsos profetas porque preferiram confiar em sua sabedoria ou na sabedoria de outros homens, do que se submeter, pela virtude da humildade e da obediência, à Doutrina da Igreja que Jesus fundou em São Pedro.

Ai de quem prefere confiar em seus estudos e pesquisas, ou em estudos e pesquisas dos outros, do que praticar a humildade diante de Jesus, que está na Igreja. Se nela tem joio, homens maus; se aqueles que deveriam ser santos, pelo chamado e cargo que Jesus lhes deu dentro da Igreja, não são; isso é lá com eles e Jesus. Seus maus comportamentos não afastam Jesus da Igreja; não anulam o poder dos Sacramentos; não destroem a Doutrina dos ensinamentos de Jesus.

A queda destes homens, que eram bons homens, começou quando começaram a pensar e dizer que não se pode confiar no Papa, nos bispos e nos padres, porque eles fazem isso e aquilo de errado (não quero dizer o que dizem). Ora, se consideram que estão certos em seus raciocínios e não conseguem ouvir as autoridades da Igreja, então deveriam pensar em se manter fiéis à Igreja que Jesus fundou em São Pedro, seguindo a sabedoria que está na Doutrina Católica, que é totalmente embasada na Bíblia, a Palavra de Deus.

A submissão por humildade à doutrina Católica, não quer dizer se submeter ao autoritarismo de bispos e padres que estão em desobediência à Doutrina Católica; quer dizer que os atos dos traidores não me levarão ao orgulho e a trair a Jesus, pois, se eu me mantiver firme na Doutrina Católica, essa sã Doutrina tem poder para me fazer enxergar a verdade.

Capítulo 06
A INDEPENDÊNCIA DA VERDADE MATA A ALMA

Se uma pessoa não quer renunciar à própria sabedoria, ou à sabedoria dos outros homens, esta pessoa se torna prisioneira do erro, por sua independência da Doutrina Católica. Estar independente da sabedoria de Deus é estar independente de Deus. Nessa tentação, um anjo de luz caiu e seduziu uma terça parte dos anjos do Céu.

“Varria com sua cauda uma terça parte das estrelas do céu, e as atirou à terra.” (Ap 12,4)

A sabedoria humana, seja a minha, seja a dos outros homens, não é sabedoria de Deus, é loucura dos homens. Na história da Igreja Católica que Jesus fundou em São Pedro, muitos homens se consideram no chamado, no dever, no direito de defender a Igreja dos hereges; quando, perdidos em suas vãs filosofias, eram eles mesmos os hereges.

Eram hereges, sem perceber que eram. Eram traidores da Igreja, sem perceber a traição. Estavam prisioneiros da heresia, considerando que os outros é que traiam a Igreja. O próprio São Pedro tentou defender Jesus com uma heresia, a ponto de Jesus lhe dizer:

“Afasta-te, Satanás! Tu és para mim um escândalo; teus pensamentos não são de Deus, mas dos homens!” (Mt 16,23)

Martinho Lutero

Martinho Lutero era um padre; usou de seu cargo na Igreja, antes de sair dela, para seduzir mentes e corações. Celebrou Missas escondido nas casas, nos campos. Pensava estar defendendo a Igreja. O Padre Lutero tentou defender Jesus, a Igreja, a verdade, sem se submeter à sabedoria da Doutrina da Igreja Católica que Jesus fundou em Pedro. Resultado: ele saiu da Igreja Católica que Jesus fundou em São Pedro, e a traindo, foi fundar outra igreja, com a qual ele pensava que iria anunciar Jesus e a verdade da Bíblia. Bíblia sobre a qual ele considerou ter a autoridade de tirar 7 livros. A Bíblia já existia séculos antes de Lutero nascer, mas mesmo assim ele fez seus seguidores acreditarem que os sete livros que ele tirou deveriam ser retirados.

Para o Padre Lutero, o Papa Leão X e os maus padres eram um problema para a Igreja Católica, por isso não iria se submeter a eles, nem ao que ele considerava ser errado na Igreja Católica. Saiu da Igreja e fundou a igreja luterana, uma igreja luterana de monges.

Lutero morreu desgostoso, ao ver a igreja luterana se dividir em outras igrejas; divisão que continua a acontecer até hoje. Quando um membro discorda do pastor por assunto religioso ou por qualquer antipatia, ele sai e funda uma igreja.

Certo dia, parado em um sinal, vi que a garagem de uma casa era, agora, uma igreja. Dentro havia umas 15 ou 20 pessoas; uma pastora estava realizando um casamento. E assim, de Lutero até hoje, a cada dia, homens e mulheres fundam igrejas “no Nome de Jesus”. Apesar de pregarem coisas parecidas e diferentes; de cada uma fazer interpretação parecida e diferente da Bíblia; cada uma destas igrejas diz ter a verdade completa.

Os homens e mulheres sinceros que fundaram igrejas, mas que depois foram pesquisar, estudar a história da Igreja que Jesus fundou, voltaram a ser católicos. Aqueles que nunca foram católicos, procuraram um padre ou bispo para saber como ser católico.

“E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. (Mt 16,18)

Capítulo 07
A CONVERSÃO DE UM PASTOR À IGREJA CATÓLICA

“Os maus católicos estão indo ser protestantes, os bons protestantes, estão vindo ser católicos.” (Autor desconhecido)

Ulf Ekman foi o fundador da igreja Livets Ord (Palavra da Vida), a maior igreja luterana da Suécia.

Vamos ao seu testemunho:

Quando eu anunciei à congregação da mega-igreja evangélica à qual servia como pastor, desde que a fundei 30 anos atrás, que eu e minha esposa tínhamos decidido nos tornar católicos, o que se seguiu, mais do que uma simples agitação, foi um verdadeiro alvoroço — especialmente para o meu país, a Suécia, que permanece em sua esmagadora maioria protestante.

O período que vai desde aquele 9 de março até 21 de maio de 2014, quando fomos acolhidos na Igreja Católica, foi marcado por contendas e debates intensos. Guardo comigo pastas cheias de artigos, comentários e reações que apareceram na mídia tradicional e na Internet.

Nossa convicção de que precisávamos nos tornar católicos foi crescendo pouco a pouco, ao longo de vários anos, mas a decisão de dar esse passo demorou bastante, para dizer a verdade. Nossa pergunta era: como devemos anunciar isso? Era algo que realmente não podia ser feito no decorrer de um longo período de tempo, passo por passo. Isso teria causado muitas especulações e grande confusão, a nível nacional e internacional, em nossa ampla rede de igrejas.

ATRAÍDOS PELA TEOLOGIA, PELA MORAL, PELA LITURGIA E PELA CULTURA CATÓLICA

Ao longo dos últimos anos, nossos amigos e cooperadores perceberam que estávamos cada vez mais atraídos pela teologia, pela moral, pela liturgia e pela cultura católica. Poucos deles, no entanto, perceberam que estávamos prestes a dar o passo da conversão. Nos meses e semanas que precederam o anúncio de nossa decisão, preparamos o conselho da igreja, e alguns outros colegas, para que nos ajudassem no processo de transmitir essa notícia à nossa congregação.

Olhando agora para trás, não consigo ver nenhuma outra forma através da qual isso pudesse ser feito. Os pastores da Word of Life fizeram um excelente trabalho, ajudando os membros a processarem o que aconteceu e as diferentes consequências de tudo aquilo. Eles também fizeram um esforço para responder a várias questões sobre a fé católica. Além disso, houve muitas emoções envolvidas, críticas, bem como mágoas e sentimentos de perda e rejeição.

Como eu, enquanto pastor, podia deixar meu rebanho? Não estava traindo a eles e ao meu próprio chamado? Não os considerava mais como cristãos? Tudo que eu havia ensinado antes estava errado, então? Muitos se perguntavam como eu, que tinha conseguido manter-me aparentemente forte por tantos anos, podia “cair” agora em uma decepção e uma mentira tão grandes. Acusações foram lançadas de todos os lados e as emoções ficaram à flor da pele. Algumas ainda estão.

Mesmo assim, houve muitos na congregação que conseguiram entender. Eles ficaram agradecidos por um novo pastor ter sido posto no meu lugar por mais de um ano. Esses membros respeitaram nossa decisão e entenderam que ela tinha se baseado no que percebíamos como um chamado de Deus. Não tínhamos sido enganados, mas conduzidos por Deus nessa matéria, ainda que eles não tenham entendido muito bem como nem por quê. Recebemos muitas cartas encorajadoras, tanto de protestantes quanto de católicos.

Também recebemos, de alguns, uma abordagem curiosa e do tipo pós-moderna. Eles estavam dispostos a aceitar que Deus nos pudesse chamar para a Igreja Católica, mas não podiam aceitar as doutrinas da Igreja. Um pregador me disse assim: “Tudo bem, você se tornou católico, mas com certeza não acredita no que eles acreditam, não é?”

Eles falavam como se eu realmente tivesse outra alternativa e pudesse ser seletivo em minha escolha. Quando respondi que acreditava em tudo o que a Igreja Católica acredita e ensina, soou muito estranho para muitos de meus amigos protestantes. Foi difícil para eles entender que ser católico significa verdadeiramente crer como um católico, até mesmo para mim.

PARA NÓS, A VERDADE ERA A ÚNICA COISA QUE IMPORTAVA.

Sempre acreditamos na Palavra de Deus e que há uma verdade absoluta, revelada por Ele. Então, cada vez mais, nós fomos abrindo os olhos para o fato de que há uma Igreja concreta e histórica, fundada por Cristo, bem como um tesouro, um depósito de fé objetivo e vivo ao mesmo tempo. Isso nos atraiu e nos levou para a Igreja Católica. Se acreditávamos, portanto, que a plenitude da verdade é mantida e confirmada pela Igreja Católica, não tínhamos alternativa senão unir-nos inteiramente a ela.

Quando finalmente chegou o momento de sermos recebidos na Igreja, sentimo-nos mais que preparados, ansiosos para deixar essa “terra de ninguém”. Era como se finalmente nós estivéssemos nos tornando o que realmente éramos. Finalmente o desejo de participar da graça sacramental chegava ao fim.

Tentamos explicar para nossos amigos que não estávamos rejeitando o que Deus nos tinha dado em nosso ambiente evangélico e carismático, mas, como diz o ditado, “ser evangélico não é o bastante”. Ele não está errado em seu amor pelas Escrituras e em manter as verdades básicas do Evangelho e o seu fervor de evangelizar.

Tudo isso é necessário, mas não é suficiente. A vida carismática, com sua ênfase no poder e na condução do Espírito Santo, é necessária e constitui um dom precioso. Mas não pode ser vivido em sua plenitude em um ambiente cismático e altamente individualista. Entender isso abriu-nos para a percepção da necessidade da Igreja em sua plenitude, com sua rica vida sacramental.

Nós não rejeitamos, portanto, nossa vida passada e as ricas experiências ministeriais que tivemos ao longo de tantos anos como fundadores e líderes da Word of Life. Seremos sempre gratos a Deus, por tudo o que Ele fez. Mas estamos imensamente felizes e agradecidos por agora entendermos que realmente precisamos da Igreja Católica para continuar a nossa vida e o nosso serviço ao Senhor.

AGORA QUE COMEÇAMOS ESTA CAMINHADA, HÁ MUITO POR EXPLORAR.

Agora que todos os nossos antigos deveres, obrigações e posições se foram, nós podemos, pelo menos por enquanto, viver em um ritmo que nos permite uma vida mais reflexiva. Estávamos acostumados a conduzir o ministério, a nossa própria igreja. Agora, é a Igreja que nos conduz.

Os sacramentos se tornaram uma realidade tangível em nossas vidas e eles nos sustentam de uma forma concreta. Algo — a graça, eu tenho certeza — está aqui de uma forma que nunca esteve antes. Uma brisa refrescante sopra sobre as nossas vidas. Não vemos a hora de explorar e identificar-nos completamente com tudo aquilo de que agora fazemos parte. É emocionante viver inteiramente por causa de Jesus Cristo — na Igreja Católica.

Fonte: edição impressa do jornal “The Catholic Herald”, em 8 de agosto de 2014.

Deus, que é bom, misericordioso e poderoso, abençoe-nos a todos.
J.V.

7 comentários sobre “VIRTUDE OU SABEDORIA?

  1. Senhor dá-me o dom da humildade, não permita, que eu me perca em mim mesmo.
    Mais vale ser humilde há ser sábio.
    Testemunho edificante!

  2. Bendito seja Deus por essa santa formação no tempo certo e escolhido por Deus 🙏 que testemunho edificante e arrebatador. Que grande graça temos sermos e vivenciarmos a nossa Santa Igreja católica. Obrigada meu deus e a nossa mãe Maria Santíssima…

  3. Bendito seja Deus por essa formação tão necessária! Que Nossa Senhora nos ajude a sermos humildes e fiéis a Seu Filho Jesus, Nosso Senhor, e à Santa Igreja Católica até o fim!

  4. Boa noite louvado seja Deus.mais uma formação e que nos ,tempos em que vivemos temos que orar,muito e vigiar,pois as tentações são grandes, para sair dos caminhos de Deus, muitas ovelhas disfarçadas de lobos e muitos falsos, profetas querendo nos enganar.mais com muitas orações humidade e perseverança conseguiremos. Rezemos o Rosário para nos fortalecer.🙏🙏🙏🙏🙏

  5. Ah que bom a paz de Deus. Nossa vocação nos mantém, que Deus nos livre de nós mesmo e dos falsos. Obrigado. Não nos permita que a ingratidão encontre lugar em nosso coração.

Escreva seu comentário