São João Batista de La Salle foi o primogênito de uma família nobre que viveu na França há mais de 300 anos atrás.

Desde criança, São João Batista brincava de repetir as celebrações litúrgicas das quais participava com a mãe, num altarzinho montado por ele. Seu pai despertou nele o gosto pelas artes, especialmente pela música clássica e sacra. Ainda pequeno sentiu o chamado de Deus para ser sacerdote. Recebeu a tonsura aos 11 anos de idade e foi nomeado cônego da Catedral de Reims aos 16 anos. 

Seus pais morreram e, mesmo sendo ainda muito jovem, ele teve que se encarregar da administração dos bens da família. No entanto, isso não impediu que concluísse seus estudos no seminário, chegando a se ordenar sacerdote em 9 de abril de 1678 e a obter, dois anos mais tarde, o título de Doutor em Teologia. 

Naquele tempo a grande maioria das pessoas não tinham acesso à educação. Somente aqueles que tinham mais posses podiam enviar seus filhos à escola. 

São João Batista de La Salle passou a dividir o tempo entre os estudos, a oração, a caridade para com os mais necessitados e o trabalho de catequista. Chegou a lecionar para quatro mil crianças, ensinando a elas os fundamentos da fé cristã, preparando-as para receberem a primeira Eucaristia e as formando para tornarem-se cristãos fervorosos. Aí encontrou verdadeiramente seu chamado. 

Renunciou seu ofício de cônego e a sua fortuna para, então, fundar os Irmãos das Escolas Cristãs, uma casa somente para homens que sentiam o seu mesmo chamado de educar aqueles que não tinham como receber educação. Mas o alvo de São João Batista não era somente lhes favorecer com uma formação humana educacional, mas sobretudo lhes ofertar um espaço de formação cristã, onde seriam trabalhados nas virtudes e no seu amor a Deus. 

Sua obra sempre foi centrada na Eucaristia, como era a sua própria espiritualidade. Todos os dias de aula deveriam ser iniciados com meia hora de religião, premissa sempre irrevogável em todas as escolas dos Irmãos.

Encontrou forte oposição das autoridades eclesiásticas, que não aceitavam a criação de uma nova forma de vida religiosa; e também das autoridades educacionais daquele tempo, que não aceitavam seus métodos ousados e inovadores. 

Ainda assim, São La Salle e seus Irmãos conseguiram grandes êxitos pois a mão de Deus visivelmente estava sobre eles, e em pouco tempo pode-se ver mais de 700 irmãos distribuídos entre cento e quatorze casas, e o que é mais importante, atendendo a mais de trinta mil alunos.

Ia sendo formada uma rede de escolas de qualidade, caracterizada pelo uso da língua vernácula, os alunos organizados por níveis e resultados, a formação religiosa baseada em temas originais, preparada por verdadeiros mestres e pela implicação dos pais na educação de seus filhos. 

Trabalhava ainda na profissionalização dos jovens, tornando-os aptos para inúmeras tarefas e lhes possibilitando um futuro mais digno pelo lado profissional, nunca esquecendo de priorizar a formação espiritual.

Virtudes como a prudência, a sabedoria, a paciência, a bondade, o zelo, a piedade e a generosidade, que eram tão presentes no seu Fundador, sempre foram trabalhadas em cada aluno.

Depois de uma vida de muitas mortificações, austeridades e trabalhos, faleceu em Saint Yon, a 7 de abril de 1719, uma sexta feira santa, poucas semanas antes de completar 68 anos de vida. Sua obra se estendeu rapidamente na França e, depois de sua morte, por todo o mundo. 

O Papa Pio X elevou-o às honras dos altares em 1900. Mais tarde, o Papa Pio XII proclamou-o padroeiro de todos os educadores, a 15 de maio de 1950, por sua vida e seus escritos inspirados.

Através de uma vida exemplar ou pelo martírio muitos que entraram na via de santidade de São João de La Salle chegaram também aos altares como: Santo Irmão Benildo, Santo Irmão Muciano Maria, Santo Irmão Jaime Hilário, Beato Irmão Arnoldo, Beato Irmão João Bernardo, Beato Irmão Salomão, Beatos Mártires dos Pontões de Rochefort, da França, Santo Irmão Miguel Febres Cordero, do Equador, Santos Mártires de Turón, Beatos Mártires de Almeria, Beatos Mártires de Valência, Beatos Mártires de Barcelona, Beatos Mártires de Cidade Real, Beatos Mártires de Cartagena, Beatos Mártires de Toledo, da Espanha e Beato Irmão Rafael Rafiringa, de Madagascar, África. 

No Brasil os primeiros Irmãos Lassalistas chegaram em março de 1907.

Diante de tantos males que hoje atingem a educação no mundo, peçamos a intercessão de São João de La Salle para que ela seja reconstituída e seja baseada realmente nos princípios da virtude e do amor a Deus, pois somente formando bons cristãos é que poderíamos mudar a realidade atual. 

São João Batista de La Salle, rogai por nós e especialmente pelos educadores!

São João Batista de la Sale

Nascimento: 30 de abril de 1651, Reims, França

Falecimento: 7 de abril de 1719, Rouen, França




1 comentário

Escreva seu comentário