“Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o Maligno”. (1 Jo 5, 19)

VOCAÇÃO DE JESUS!
Deus seja amado com todas as forças de nosso coração e de nossa alma.

04/10/2021

Antes de iniciar a leitura dessa meditação, aconselho você a se preparar interiormente através desse método de RECOLHIMENTO DIANTE DE DEUS.
https://vocacaodejesus.com/meditacao/recolhimento-diante-de-deus/

Observação: Você já parou para orar e ver a ação do Maligno por trás das pessoas e situações? Vou escrever de um modo que ajude a ver essa realidade do mundo sobrenatural agindo.


.Capítulo 01
O PRÍNCIPE DESTE MUNDO JÁ ESTÁ JULGADO E CONDENADO

Lúcifer sendo expulso do céu

Os Apóstolos, os discípulos e demais membros da Igreja Católica que Jesus fundou em Pedro sabiam que pertenciam a Deus; compreendiam o que era pertencer a Deus; entendiam a realidade espiritual e humana de que o mundo jaz sob o maligno. O maligno é Satanás. Percebiam, pelo que discerniam e viam das ações do maligno no mundo, que o mundo estava inferiorizado e abaixo do príncipe dele (cf Jo 16,11).

Os primeiros cristãos tinham uma visão muito clara de que o Espírito Santo, que tinha vindo em Pentecostes, estava fazendo o trabalho de esclarecer e convencer os seguidores de Jesus Cristo “a respeito do juízo, que consiste em que o príncipe deste mundo já está julgado e condenado.” (Jo 16,11) Porém, esse mistério da iniquidade, que está em ação no mundo, ainda está “esperando o desaparecimento daquele que o detém” (2Ts 2,7) para se manifestar como anticristo visível.

Enquanto Satanás não se manifesta visivelmente como anticristo, sendo ele o príncipe deste mundo, permanece tentando os homens e oferecendo fama, poder, dinheiro, sucesso, saúde, beleza, prosperidade, controlando pessoas individuais, pessoas nos governos religiosos e políticos, que por suas más vidas permitem que os demônios as usem, sendo muitas delas possuídas por estes espíritos diabólicos. O príncipe do mundo já está julgado e condenado, mas seu reinado só terminará quando ele for acorrentado e lançado nas chamas do inferno.

“O Demônio, sedutor delas (as nações), foi lançado num lago de fogo e de enxofre, onde já estavam a Fera e o falso profeta, e onde serão atormentados, dia e noite, pelos séculos dos séculos”.

(Ap 20, 10)

O Espírito Santo faz os verdadeiros seguidores de Jesus Cristo entenderem que, enquanto se está no tempo em que Satanás continua solto na terra, nas águas e nos ares, nas mentes e corações de milhares de homens de autoridade nos governos religiosos e políticos, como senhor de suas vidas, como príncipe deste mundo, apesar de toda a maldade dos homens, nosso inimigo não é o ser humano, “pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares”. (Ef 6,12)


.Capítulo 02
O REINO DE JESUS NÃO É DESTE MUNDO

Jesus diante de Pôncio Pilatos

Deus criou o mundo em perfeição, mas o pecado original possibilitou o reinado de Satanás. Seu governo trouxe o caos ao mundo dos homens, por isso “toda a criação geme e sofre como que dores de parto até o presente dia”. (Rm 8,22)

O Criador do mundo não reina no mundo segundo o propósito, a inteligência e a vontade dos homens. O Criador de todas as coisas reina, mas segundo seu propósito, sua inteligência e vontade. Jesus disse a Pilatos: “O meu Reino não é deste mundo. Se o meu Reino fosse deste mundo, os meus súditos certamente teriam pelejado para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas o meu Reino não é deste mundo”. (Jo 18, 36)
O Reino de Jesus não é deste mundo, mas chegou aos homens o Reino de Deus. Jesus diz: “Se é pelo Espírito de Deus que expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus”. (Mt 12,28) Isso quer dizer que Deus é o Senhor. Ele reina, e não Satanás. Deus reina e não nenhum governante religioso ou político. Deus reina, a vida dos homens não está à deriva. Deus reina sobre as circunstâncias, nenhuma está ao acaso. Quem reina é Deus, não o poder e riqueza dos poderosos. Nada reina, só Deus reina. Só Ele é Senhor absoluto. Não há outro Deus, a não ser o nosso Deus, Primeira Pessoa da Santíssima Trindade.


.Capítulo 03
AS PERGUNTAS ÚTEIS E AS INÚTEIS

“Se Deus não existe, tudo é possível” (Frase do livro Os irmãos Karamázov, escrito pelo russo Dostoievski como uma crítica ao ateísmo)

Desejos, ideias, pensamentos, propósitos, inteligência e vontade dos homens fazem com que eles façam muitas perguntas, segundo os seus interesses na vida temporal, vida no tempo, tempo que passa, vida que morre. Há homens, que não conhecem a Deus, que fazem perguntas sobre a existência da vida na terra; fazem perguntas úteis, sensatas, prudentes, pois são homens honestos. Mesmo sem conhecer a Deus, Deus os inspira enquanto prepara o tempo para se revelar a eles.

Há homens, que não conhecem a Deus, que fazem perguntas e afirmações orgulhosas, impacientes, inúteis, insensatas, imprudentes, desrespeitosas, pois são homens desonestos. Sem conhecer a Deus, dizem que Ele não existe; recusam-se a duvidar de si mesmos, quanto ao que pensam e dizem, dominados por sentimentos negativos. Suas negatividades emocionais prevalecem sobre a razão, e eles sentem prazer em ser irracionais, enquanto se consideram sábios. Se se tenta levar a verdade a eles, eles se impacientam; se se tenta argumentar com inteligência lógica, eles se enfurecem; se se tenta fazê-los crer em Jesus Cristo, eles passam a nos odiar e querem nos matar.

“Tudo está numa confusão completa – sangue, homicídio, furto, fraude, corrupção, deslealdade, revolta, perjúrio, perseguição dos bons, esquecimento dos benefícios, contaminação das almas, perversão dos sexos, instabilidade das uniões, adultérios e impudicícias –  porque o culto de inomináveis ídolos é o começo, a causa e o fim de todo o mal. (Seus adeptos) incitam o prazer até a loucura, ou fazem vaticínios falsos, ou vivem na injustiça, ou, sem escrúpulo, juram falso, porque, confiando em ídolos inanimados, esperam não ser punidos de sua má fé. Contudo, o castigo os atingirá por duplo motivo: porque eles desconheceram a Deus, afeiçoando-se aos ídolos, e porque são culpados, por desprezo à santidade da religião, de ter feito juramentos enganadores.”

(Sb 14, 25-30)

.Capítulo 04
OS ESPECIALISTAS NA FRAUDE

Martino Lutero, o primeiro ideólogo

O mundo se encheu de especialistas em fraudar a verdade. Poucos, pouquíssimos destes especialistas são inteligentes em argumentar contra a verdade. Quando se encontra um destes especialistas enganando, mentindo, confundindo, usando a inteligência, é porque está sob um grande grau de possessão diabólica. O Diabo é ardiloso no uso da astúcia. Por ter inteligência superior à inteligência humana, consegue falar através da pessoa a quem ele possui, não só com inteligência, com grande capacidade de enganar, mas também com força hipnótica sobrenatural. As vítimas dessa força hipnótica diabólica sobrenatural ficam com suas mentes e almas sonolentas, danificadas por um poder de encantamento, feitiçaria e magia.

A maioria deles falam sem inteligência, falam coisas completamente sem lógica, convencidos de que estão certos no que dizem. O príncipe deste mundo os faz ouvir e repetir loucuras, até que a loucura do que dizem pareça justiça. Justiça que exige ser cumprida odiando, perseguindo, prendendo, matando todos os que pensam e falam o contrário.

Chegam a esse ponto, de vomitar ódio por quem diverge de suas opiniões, porque suas mentes estão lobotomizadas através da lavagem cerebral no meio ideológico diabólico em que vivem. Já não são donas de si, são escravas do poder das trevas. 

Estas pessoas precisam de ajuda para se salvarem. Jesus quer salvá-las, mas elas só serão libertas das garras de Satanás, se houver muitos católicos que façam penitências; que jejuem uma, duas vezes por semana; que rezem o Santo Rosário todos os dias, e entreguem estas armas e obras espirituais a Nossa Senhora; confiando que ela sabe usá-las melhor do que nós, para a maior glória de Deus, a salvação das almas, e a libertação das almas do Purgatório.

Todas as orações que lhe entregarmos, Ela as receberá e as enriquecerá com os dons e o poder que recebeu de Deus; e entregará a Jesus, fazendo os seus santos e sábios pedidos. 

“A luta espiritual contra os poderes escravizadores, o exorcismo de um mundo iludido por demônios, pertence inseparavelmente ao caminho espiritual de Jesus e ao centro da missão d´Ele mesmo e dos seus discípulos.”

(Cardeal Joseph Ratzinger)

.Capítulo 05
BILHÕES DE PESSOAS ESTÃO HIPNOTIZADAS PELAS POTESTADES INFERNAIS

“Não é possível tornar o inferno atraente, então o Diabo torna atraente o caminho que leva até lá.”

(São Basílio, o Grande)

Somente a ação das potestades demoníacas contra a salvação dos homens tem poder hipnotizador diabólico para prender boas pessoas; pessoas bem intencionadas, porém, sem real entendimento da vida espiritual, prisioneiras dos ardis das induções mefistofélicas. 

“Fonte turva e manancial contaminado: tal é o justo que cede diante do ímpio”.

(Pr 25,26) 
Um dos grandes instrumentos para o poder hipnotizador diabólico é a televisão

Podemos ver o ímpio como uma pessoa possuída pelo demônio, para ser usada por ele como demônio de carne. Todo ímpio é contrário a Deus e a seus mandamentos. O ímpio, em sua desumanidade, age desalmadamente, com todo tipo de maldade possível, para perder as almas. Ele sente o mórbido prazer em ser cruel, malicioso, mentiroso, imoral e totalmente irreligioso. Satanás usa os ímpios nas famílias, dentro da Igreja, nos governos políticos, na mídia, e em todos os segmentos que formam a sociedade. Os ímpios podem se encontrar em dois grupos: os ímpios evidentemente descarados, e os ímpios que agem disfarçados de boas pessoas. Os demônios e os ímpios usados por eles trabalham na terra para hipnotizar os homens.

Esse poder hipnotizador diabólico adormece as consciências, impedindo ou atrapalhando a ação e o raciocínio lógico, humana e espiritualmente, de milhões de pessoas; levando-as e prendendo-as no caminho que leva ao inferno. Faz, pois, seus prisioneiros verem o mau caminho como um caminho não tão mau. Por isso se pode andar nele, pois é caminho prazeroso; caminho seguro; caminho de felicidade na vida; caminho em que se encontram boas amizades e alegria; caminho que, quando se quiser encontrar Deus e chegar ao Céu, se conseguirá.

Uma vez hipnotizados pelas forças das legiões de demônios, os hipnotizados passam a aceitar e acreditar em coisas ilógicas e sem sentido, como se lógica e sentido tivessem. 

De milhares, veja apenas 27 frases estúpidas, cuja funcionalidade é imbecilizar pessoas:

  1. “Não existe verdade absoluta”
  2. “Não deve existir nem sim nem não”
  3. “Tudo é relativo, menos o relativismo”
  4. “A paz mundial exige que os católicos mesclem sua religião com todas as religiões do mundo”.
  5. “Jesus não fundou Igreja”.
  6. “Todas as religiões são iguais, todas têm o mesmo Deus”.
  7. “Na Índia, a cultura abandona recém-nascidos do sexo feminino para a morte. Discordar da cultura de outro povo, como os católicos fazem, é se considerar superior”.
  8. “Algumas tribos indígenas têm a cultura do canibalismo. Toda cultura deve ser respeitada. Os católicos devem respeitar o deus que os índios cultuam, sem querer levar o Deus católico para eles”.
  9. “Devemos ver todas as coisas sem julgamentos e preconceitos”.
  10. “Certo é o que você diz ser certo, errado é o que você diz ser errado”.
  11. “As pessoas devem se respeitar, uma aceitar a outra como independente no modo de ser e pensar. Se a pessoa considera certo o que consideramos errado, aceitemos. Se não, estamos sendo preconceituosos, pois não existe certo nem errado. Se, para ela, abortar é certo, então o aborto é certo”.
  12. “Discordar do outro é uma agressão moral”.
  13. “Os seres humanos não nascem com sexo definido. Ninguém nasce homem, ninguém nasce mulher”.
  14. “As mulheres são donas de seus corpos. Elas podem abortar quantas vezes quiserem”.
  15. “Ninguém tem o direito de emitir juízo de valor, classificando o aborto como imoral, amoral ou crime”.
  16. “O óvulo de uma mulher, fecundado por um espermatozóide de um homem, não é um ser humano, por isso não é o início da vida humana, não é o início da vida de um bebê”.
  17. “As mulheres podem engravidar um homem”.
  18. “Não existe certo nem errado; nem dia, nem noite; nem cor branca ou cor preta. Tudo é relativo”.
  19. “Não existe positivo nem negativo”.
  20. “Não existe certeza nem incerteza”.
  21. “Não existe vida, nem existe morte”.
  22. “As duplas de duas mesas redondas de dois, têm quatro cantos, onde se sentam os cinco revolucionários mais importantes, Stalin e Hitler”.
  23. “Não existe pergunta nem resposta. Tudo é relativo”.
  24. “Não existe contrário nem igual, tudo é a mesma coisa, senão seria preconceito contra uma coisa ou a outra”.
  25. “Não deve existir pobreza nem riqueza, todos devem ser nivelados com um salário dado pelo estado para acabar as guerras”.
  26. “China, Cuba, Rússia, Venezuela, Argentina, Eritréia, Laos e Coreia do Norte são países democráticos. Brasil, Polônia e EUA são ditaduras”.
  27. “Estamos na era da tecnologia e da ciência, não na idade média, para crer em Deus. Deus não existe ou morreu. Pergunte aos doutores, aos professores universitários, aos artistas de novelas e filmes”.

Você leu 27 frases estúpidas. Milhões de pessoas no mundo aceitam essas palavras sem nexo como palavras importantes da ciência e da verdade. Por quê? Porque estão sob a força da hipnose diabólica. Se não estivessem prisioneiros das trevas, eles não aceitariam a mentira como verdade. “Conhecereis a verdade e a verdade vos livrará” (Jo 8,32).  A Verdade que precisa ser conhecida não é um texto de esclarecimento com palavras; a Verdade que precisa ser conhecida é Jesus, que é a Verdade. 

“Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”.

(Jo 14,6)

.Capítulo 06
A PRIMITIVA SERPENTE

“…Caim atirou-se sobre seu irmão e matou-o”. (Gn 4,8)

Desde que Adão e Eva, e também a primitiva serpente, que é Satanás, foram expulsos do Paraíso, o anjo caído, que já tinha sido expulso do Céu, não parou mais de perseguir com tentações a espécie humana, que se originou de Adão e Eva.

O inimigo ficou sempre à espreita, olhando o desenrolar da história de Adão, Eva e seus descendentes. O maligno viu a multiplicação dos homens. Os séculos iam se passando. A primitiva serpente via que Abel agradava a Deus com seu amor sincero a Ele; via que Caim não era sincero no amor a Deus; via que Deus se alegrava com as ofertas de Abel, mas não se alegrava com as ofertas de Caim.

Satanás, a primitiva serpente, viu uma oportunidade de fazer mal à família de Adão. Começou tentando Caim, colocando em seu pensamento que Deus amava mais a Abel do que a ele. Quando Caim aceitou esse pensamento, a inveja começou a crescer dentro dele, a tal ponto, que foi fácil para Satanás, sugerir-lhe o assassinato de seu irmão. De início, Caim rejeitava esse pensamento. Mas, por quanto não fosse sincero no seu amor a Deus, e por ver que as bênçãos de Deus eram maiores sobre Abel, – pois todas as coisas, tudo de Abel era abençoado, enquanto que ele não recebia estas bênçãos – ele, então, começou a aceitar o plano sugerido por Satanás para matar seu irmão.

O amor, o temor a Deus, a fé, a paz, a paciência, o bom humor, as boas intenções, a tranquilidade, a honestidade, a bondade, o amor familiar, todos estes dons foram sendo roubados por Satanás, à proporção que ele ia aceitando a impaciência e a inveja crescerem dentro de seu coração. Até que, já vazio dos dons de Deus, Caim chamou Abel, seu irmão: “‘Vamos ao campo’. Logo que chegaram ao campo, Caim atirou-se sobre seu irmão e matou-o”. (Gn 4,8)

A primitiva serpente viu Caim fugindo da presença do Senhor e indo “habitar na região de Nod, ao oriente do Éden”.

A serpente viu quando Caim conheceu sua mulher na cidade de Nod, em que estava morando. Viu que sua mulher deu à luz a um filho, a quem ele chamou de Henoc. Viu que Caim saiu da cidade de Nod e construiu sua própria cidade, na qual pôs o nome de seu filho Henoc. (cf Gn 4,16-17)


.Capítulo 07
A HUMANIDADE SE MULTIPLICAVA

“Sem o dilúvio, a maioria iria para o inferno…”

Satanás os seguia. Não podendo estar, ao mesmo tempo, em todos os lugares em que os homens estavam, pois só Deus é onipresente; ele enviava seus demônios para que tentassem os homens de todas as idades; dos que tinham liderança aos que eram liderados; os chefes de famílias, suas mulheres e seus filhos; e para que lhe trouxessem informações a respeito deles.

De posse destas informações e do que ele via em suas andanças pelo mundo, ele arquitetava seus planos para a destruição de cada cidade, região ou nação. Ele sabia que não poderia inverter a ordem criada por Deus. Ele não poderia destruir cidades, se seu povo era temente a Deus. O amor e temor de Deus nos habitantes de um país ou de uma cidade, torna-os indestrutíveis. A falta de amor e temor de Deus da população de uma cidade, a deixa vulnerável. Caso a população não se converta a Deus, ela será destruída com sua cidade ou país.

Sabendo disso mais do que o ser humano sabe, Satanás e seus demônios não cessavam de tentar os habitantes da terra. A falta de amor e temor de Deus na humanidade chegou a tal ponto que o homem, que chegava a viver quase mil anos, perdeu esse dom. Deus disse: “Meu espírito não permanecerá para sempre no homem, porque todo ele é carne, e a duração de sua vida será de cento e vinte anos.” (Gn 6, 3)

Os homens começaram a ver a morte mais de perto, pois não estavam acostumados a ver as pessoas morrerem com 120, 100, 50 anos. Mas nem com isso pararam para pensar. Continuaram a se afastar de Deus, negando a Ele o amor e o respeito que lhe são devidos. Diante do crescimento da corrupção, da violência, da maldade das pessoas, Satanás viu surgir um homem chamado Noé, que por mais de cem anos falava ao povo, dizendo o que Deus tinha lhe revelado: “Exterminarei da superfície da terra o homem que criei, e com ele os animais, os répteis e as aves dos céus, porque eu me arrependo de os haver criado”. (Gn 6, 7)

Os anos se passavam e o povo se afastava mais ainda de Deus.

A serpente viu quando Noé concluiu a arca. Viu quando, com sua família e milhares de pares de animais de espécies diferentes, exceto os peixes, Noé entrou na arca. Viu quando as águas do dilúvio se precipitaram sobre a terra. Viu quando se romperam as fontes do grande abismo, e abriram-se as barreiras dos céus. Viu a chuva cair sobre a terra durante quarenta dias e quarenta noites. Viu milhões de pessoas morrerem afogadas nas águas que inundavam o mundo. 

Ele se alegrou. Tinha certeza de que iria levar todos para o inferno, mas não pôde entender por que não pôde levar a todos. Ele via a misericórdia de Deus, mas sempre esperava que Deus só usasse de justiça, que condenasse todos ao inferno.

Nessa época, Satanás pouco sabia a respeito de Jesus. Ele não sabia como Jesus se encarnaria, quem seria sua Mãe; não sabia como seria a vida de Jesus. Não sabia que Jesus iria morrer e depois ressuscitar para nos salvar; nem que iria “pregar aos espíritos que eram detidos no cárcere, àqueles que outrora, nos dias de Noé, tinham sido rebeldes.” (1Pd 3,19)

Satanás só iria entender por que tanta gente que morreu afogada no dilúvio não foi para o inferno, mesmo carregando seus pecados, quando, após séculos, visse Jesus, depois de morto, libertá-los do cárcere onde tinham ficado presos. 

Irado, Satanás disse a ele mesmo: o único modo que Deus encontrou para salvar muita gente na época de Noé, foi castigando-os com o dilúvio. Sem o dilúvio, a maioria iria para o inferno. Fui enganado. Eu pensei que todos seriam meus.


.Capítulo 08
NOÉ COMEÇA OUTRO MUNDO

O Diabo olhava a Terra. Todos os homens tinham morrido. Só restaram Noé e sua família. Oito pessoas ao todo.

Viu quando as águas baixaram e Noé saiu com sua família da arca. Viu Noé soltando todos os animais. Viu o arco nas nuvens (conhecido como arco-íris, mas Deus chama de arco nas nuvens), que não existia na terra até aquele dia (cf Gn 9, 8-17).

Viu que, a partir da família de Noé, os homens se multiplicaram sobre a terra. Noé viveu 950 anos e morreu.

Os filhos, genros e noras, netos, bisnetos, tataranetos e toda a descendência de Noé, cada qual constituía sua família; famílias que iam construindo outras e outras famílias. 

Os séculos se passavam. A humanidade se multiplicava. Os homens se organizavam em sociedades. Satanás os observava e tentava. Todos falavam o mesmo idioma.

Satanás viu quando Deus confundiu a linguagem dos homens. Criou outros idiomas, e dali os dispersou sobre a face de toda a terra. (cf Gn 11,9)

Viu a origem do povo hebreu com Abrão.
Viu a migração hebreia para o Egito.
Viu a escravidão do povo judeu no Egito.
Viu a libertação e o retorno para Canaã.
Viu o reinado de Saul, Davi, Salomão e os sucessores.
Viu os profetas, que profetizaram sobre o Messias.
E ficou olhando tudo até Jesus nascer.
Ele ouviu as pregações de Jesus.
Ele tentou Judas, enganou Judas, conseguiu fazer Judas trair Jesus.
Ele viu quando Jesus fundou sua Igreja em Pedro.
Viu Jesus andando na terra, depois de ter ressuscitado.

Quando ele não viu mais Jesus na terra dando instruções aos apóstolos e discípulos, ele viu que quem tinha, então, adquirido a autoridade sobre a Igreja, era Pedro.

Ele viu (e continua vendo) a sucessão dos Papas, desde São Pedro, São Lino, Santo Anacleto, São Clemente, até os dias de hoje, com o Papa Francisco.

Até os dias de hoje, o grande Dragão Vermelho, a primitiva Serpente, chamado Demônio e Satanás, o sedutor do mundo inteiro, que tinha sido precipitado do Céu à terra (quando deixou de ser um bom espírito para ser um mau espírito) com os seus anjos (cf Ap 12,9), continua viajando de país a país, cidade a cidade, família a família, pessoa a pessoa, procurando oportunidades para prender e depois assassinar almas; separar casais, arrasar famílias, destruir cidades e países. São Pedro, o Primeiro Papa da Igreja, alerta-nos, dizendo: “Sede sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar.” (1Pd 5,8)

Os séculos vão se passando. O Dragão Vermelho vem, há muito séculos, tentando dar continuidade e forma à ideologia socialista, que hoje se espalha pelo mundo. Depois de muitos fracassos, ele vê mais uma oportunidade na Inglaterra, espalhando seus demônios com ordens de tentar todas as autoridades e pessoas que pudessem exercer alguma liderança a serviço do inferno.

OBSERVAÇÃO: O socialismo ainda não tinha nascido, mas satanás já preparava o seu berço…

Sob ordens e orientação da inteligência de Satanás, os demônios conseguem levar os homens à separação da Igreja Católica. Com isso, ficou mais fácil a eles levar os ingleses para a revolução, que ficou conhecida como revolução Puritana, do ano 1641 ao ano 1649. Apesar da ruptura com a Igreja Católica, no reinado de Henrique VIII, a igreja Anglicana mantinha certa proximidade com a Igreja Católica. Isso deixava Satanás e os demônios furiosos, pois, para os planos do inferno darem certo, era necessário uma ruptura total.

Satanás deu ordens aos demônios para eles intensificarem as tentações sobre os calvinistas ingleses. Os demônios plantaram no coração deles a semente da teologia da prosperidade, e os calvinistas passaram a crer e ensinar que a salvação das almas passava pelas ações econômicas feitas na terra; crer e ensinar que era necessário uma religiosidade individualista; crer e ensinar a não-aceitação da interferência institucional da Igreja. Satanás não conseguiu o que queria através de seus demônios e dos homens ímpios que o serviam, mas conseguiu fazer muitos males na Inglaterra.

Não tendo conseguido completar seus objetivos na revolução inglesa, Satanás espera, procurando oportunidades. Ele vê chances em outro país. Escolhe demônios mais fortes e inteligentes, e com eles monta seu quartel general na França, no ano 1649, ao final da revolução inglesa.

Em território francês, Satanás trabalhou por 140 anos nas cabeças de muitas autoridades religiosas e políticas. Ele usou essas pessoas para transmitirem suas ideias socialistas para outras pessoas; e assim, o Dragão Vermelho vai gerando seus futuros revolucionários franceses.

Para dar o passo seguinte de seus planos, Satanás envia 300 grupos de legiões de demônios para se espalhar no território francês (cada legião tem 6 mil demônios, como nas legiões romanas). Cem destas legiões deveriam causar prejuízos na agricultura e na economia da França. Os demônios não conseguiram fazer exatamente como Satanás mandou, pois encontraram muita oposição oracional. Havia franceses orando por sua Pátria de todo o seu coração diante de Deus.

Somente os fazendeiros e agricultores que não recorreram a Deus, arrependidos de seus pecados, pedindo perdão e o fim das pragas e doenças nas plantações. Os que não consagraram a terra a Deus; não chamaram um padre para abençoar a terra; não pediram a Deus a bênção para seus trabalhos é que tiveram prejuízos. A maioria dos agricultores e fazendeiros tementes a Deus, não tive prejuízos, podendo assim abastecer toda a França com os alimentos necessários ao povo francês. Os socialistas revolucionários alardeavam como podiam que a França estava passando fome por causa do Rei Luís XVI. Era mentira comunista. A França não passava fome antes da revolução. A administração do rei era boa, honesta e abençoada por Deus. 

Outras 100 legiões deveriam atacar a economia francesa. Os comerciantes e ricos que não recorreram a Deus, perante os prejuízos de suas empresas ficaram com o prejuízo. Os comerciantes e ricos que recorreram a Deus diante da ameaça de prejuízos em seus negócios não tiveram prejuízo, e a economia da França, permaneceu boa. Os revolucionários socialistas mentiam e mentiam, dizendo que a economia da França estava mal, quebrada, por causa do rei, mas era mentira. Essa mentira que os revolucionários diziam, os escritores socialistas comunistas mantêm em seus escritos, lido por muita gente, até os dias de hoje, como se fosse verdade. Usando a mentira como instrumento para conseguir seus objetivos diabólicos, os revolucionários, levados pelos demônios, fizeram o povo pensar que a economia estava mal e que os culpados da destruição da economia francesa eram o rei, os governantes e os ricos.

As outras 100 legiões demoníacas foram enviadas para escolherem homens que seriam usados pelas forças do inferno para um trabalho constante de jogar os nobres franceses e o povo comum contra o conservador Rei Luís XVI. Para isso, a reputação de Luís XVI deveria ser destruída dentro do país. O rei e sua mulher, Maria Antonieta, deveriam ser vistos como símbolo da tirania do antigo regime.

Com o empenho das forças espirituais diabólicas, esse plano deu certo, com a calúnia de que o Rei Luís era um traidor da Pátria, que tinha contactado forças estrangeiras para invadir a Inglaterra e matar ingleses. Com essa mentira, a popularidade do Rei Luís XVI caiu rapidamente. O ódio contra ele cresceu no meio do povo, a ponto de ele ter de fugir em junho de 1791.

O plano de fuga era bom, mas não foi bem elaborado nos detalhes pelo Barão de Breteuil, antigo ministro da casa real; o Marquês de Bouillé, antigo comandante do exército real no norte. Os demônios, enviados por Satanás, perturbavam o Barão, confundindo-o nas ideias.

Execução do Rei Luís XVI

Seu plano era o rei e a rainha irem a Saint-Cloud para celebrar a Páscoa. Assim fizeram. Porém, tomado por uma falsa paz que os demônios lhe davam, o rei, despreocupado, demorou em sair. Na estrada de fuga, parou para conversar com algumas pessoas, e, assim, foram alcançados em Varennes-en-Argonne, a poucos quilômetros da fronteira. Detidos, retornaram a Paris como prisioneiros.

Em 1792, o rei Luís é julgado pela Convenção Nacional (criada para esse julgamento). É condenado e executado na guilhotina na Place de la Révolution, em 21 de janeiro de 1793.

No dia da execução, Satanás e seus demônios, que estavam tentando as pessoas para que elas se enchessem de ódio e desejassem o inferno para o rei Luís, são tomados de fúria, pois antes do rufar dos tambores que anunciariam a decapitação, o rei Luís XVI disse: “Morro inocente de todos os crimes que me são imputados. Eu perdoo os autores da minha morte. Rezo a Deus para que o sangue que você vai derramar nunca caia na França.” 

As últimas palavras do rei provaram que a educação a ele conferida pelo pai tinha dado resultado. Satanás odiava Luís Fernando, Delfim da França, pai do Rei Luís XVI. O Delfim era um pai que, duas vezes por semana, conversava com seus filhos para ver como estava a educação moral e humana deles, educando-os no amor e temor de Deus, na verdadeira religião; ele queria preparar seus filhos para serem governantes de caráter honesto, competentes em governar e benevolentes.


.Capítulo 09
O PLANO DA DIVISÃO VEM DA VONTADE DO DIABO

Sob inspiração dos demônios, os revolucionários falavam em suas reuniões e gritavam nas ruas contra a desigualdade social, com o objetivo de jogar uma classe social contra a outra, os pobres contra os ricos.

Falavam que os ricos eram os culpados pela pobreza da sociedade, que os ricos eram o problema, os causadores das injustiças. De tanto ouvir, muitos pobres começaram a ficar revoltados e cheios de ódio contra os ricos.

Infelizmente, seu trabalho tem resultado a favor do inferno na terra. No ano 1789 consegue, através das mentes que conseguiu aprisionar, realizar a Revolução Francesa.


.Capítulo 10
A AÇÃO DEMONÍACA NÃO DEIXA DE ATUAR NA HISTÓRIA DO HOMEM NA TERRA

Durante 140 anos, o Dragão Vermelho, através dos seus demônios e dos homens ímpios de dentro e de fora da Igreja, trabalhou contra a Igreja Católica na França; não para destruí-la institucionalmente, mas para substituí-la como instituição, sem o povo perceber. Para isso, ele tinha escolhido e enviado como seminaristas, que seriam futuros padres e bispos, vários revolucionários, cujos corações lhe pertenciam. Eles fariam o trabalho de, discretamente, irem mudando, nas homilias das Missas, a doutrina da Igreja na cabeça do povo.

O Dragão Vermelho não queria construir um governo, um estado laico onde a religião ficasse à parte. O Dragão queria o contrário; queria a união da Igreja com o Estado, porque seu objetivo era assumir, através dos sacerdotes e bispos revolucionários, o controle e comando da Igreja; para doutrinar os franceses católicos, de modo que eles se submetessem à Religião do Estado. De início, não perceberam o que estava acontecendo, até que a ideologia satânica os lobotomizou, transformando-os em zumbis, submissos à ideologia no comportamento, na consciência e no coração. A ideologia socialista seria deus; seria o deus que agora adoravam.

O Dragão Vermelho tinha a experiência secular de fracasso sobre fracasso; de tentar destruir a Igreja Católica desde sua origem com os primeiros cristãos, perseguindo e matando católicos que não renunciavam à sua fé. Ele agora queria destruir a Igreja, as almas, sem destruir os templos físicos, sem perseguir e matar os corpos, mas perseguindo e mudando a Doutrina Católica; matando, assim, as almas, ao invés de seus corpos de carne.

Após a tomada da Bastilha, em 14 de julho de 1789, o estado francês, com apoio dos bispos e padres que estavam mais preocupados com a reforma constitucional por uma nova assembleia, promulgou a “Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão”, anunciando a liberdade religiosa, porém, reservando ao Estado o direito e o poder de determinar que matéria, que assunto, que doutrina era incompatível com a Lei do Estado.

Com isso, o Dragão Vermelho, por meio dos homens ímpios que o serviam, foi adentrando a instituição da Igreja mais e mais. Os bispos e padres bem intencionados que tinham acreditado nas palavras e promessas dos revolucionários, perceberam que tinham caído numa armadilha, por terem sido ingênuos, e não humildes, ao acreditarem que os revolucionários queriam o bem da Igreja, do estado e do povo.

Em 12 de julho de 1790, o Dragão Vermelho, a antiga serpente, chamado diabo e Satanás, vê que foram obedecidas as ordens que tinha dado meses antes aos homens ímpios através de seus demônios, pois o estado francês funda a Igreja Constitucional, com organização e funcionamento decidido pelo estado, totalmente independente da Igreja Católica. Essa falsa igreja impõe o fundamentalismo estatista, tornando-se o único credo que deve ser aceito pelas autoridades religiosas e pelo povo.

Os padres e bispos foram chantageados, ameaçados, forçados a jurar fidelidade às novas leis estatais em matéria de religião, e a renunciarem a obediência ao Papa. Os bispos fiéis a Jesus Cristo não se submeteram às ameaças. Apenas quatro infiéis e muitos presbíteros ficaram com a Igreja Constitucional (revolucionária), e transformaram-se em revolucionários políticos do Estado em matéria religiosa.

O Assassino Vermelho não perdeu o gosto pelo sangue. Satanás tinha o plano de não matar católicos. Ele sabia que “Sanguis Martyrum est semen Ecclesia”, “O sangue dos mártires é a semente da Igreja” (Tertuliano, de Cartago, ano 200), mas ele não conseguia se conter. Os bispos, padres e leigos que não se submeteram à Igreja do estado, passaram a sofrer cruel perseguição.

Os sacerdotes que não renunciaram à fé católica foram impedidos de celebrar a Santa Missa, de pregar, de visitar as casas, os doentes e agonizantes; de batizar crianças, realizar casamentos; de distribuir os demais Sacramentos. Em 18 de março de 1793, criaram uma lei autorizando a prisão e execução, em menos de 24 horas, de todo sacerdote que fosse pego em solo francês.

Tudo foi feito pelo Estado Revolucionário, para que a comunicação entre o Papa e os católicos franceses não acontecesse. Cartas e documentos papais tinham de ser primeiro avaliados pelos órgãos legislativos. Os padres realizavam a Santa Missa e outros Sacramentos na clandestinidade: dentro de barcos, longe da costa; dentro das matas; em locais subterrâneos.

Quando o governo soube, lançou um decreto dizendo que todo católico que fosse surpreendido, denunciado por ter participado de “reuniões ilegais”, seria condenado à morte como inimigo do Estado. Na região de Bretã foram assassinados mais de 120.000 católicos (15% da população). Apesar das mortes, os católicos continuavam a se reunir secretamente. Muitos consideravam uma oportunidade de ir rápido para o Céu.

Saiba um pouco mais sobre O MARTÍRIO DE 16 CARMELITAS ENCLAUSURADAS DE COMPIÈGNE NA REVOLUÇÃO SOCIALISTA FRANCESA, no final desse artigo:
https://vocacaodejesus.com/meditacao/quem-esta-modelando-sua-mentalidade-crista/

O Massacre de setembro de 1792 em Paris, Orléans, Meaux, Reims, e outras cidades francesas, matou mais de 1400 pessoas. Os massacres começaram com um proposital falso boato. Dizem que os contra-revolucionários presos na Jornada de 10 de agosto arquitetaram um complô. Os demônios estão perto e dentro dos revolucionários, sempre instigando maus pensamentos e falsos julgamentos. Os líderes da revolução sugerem que seja feita uma justiça rápida para acabar com o complô. A ordem  dada se espalha.

Um grupo de soldados recém-alistados cruza com um comboio de padres prisioneiros, que são assassinados. Na prisão da Abadia, 23 outros padres são degolados por Federados marselheses e bretões.

Na Prisão do Convento Carmelita, 150 padres não juramentados são assassinados com golpes de lança e machados dentro da capela. Ajoelhados, rezando, estavam; ajoelhados, rezando, permaneceram; ajoelhados, morreram, e se ergueram já no Céu. Satanás e os demônios se enfureciam por não conseguirem levar estas almas para o inferno.

Um grupo desses soldados volta à Prisão da Abadia, ainda com muitos prisioneiros. Criam um tribunal, julgam e condenam à morte mais de 300 pessoas. Na prisão “Force”, os assassinatos duram a noite toda. Na Igreja de São Luís e São Paulo, os revolucionários massacram 4 padres.

Os massacres se espalham nas cidades durante cinco dias pelas prisões vizinhas: a Conciergerie, a Prisão do Grand-Châtelet, a Prisão de la Force, o Hôpital de la Salpêtrière, a Bicêtre e a Prisão des Carmes.

Morat escreve uma carta aos Tribunais Populares sanguinários, justificando e incentivando os assassinatos:

“A Comuna de Paris apressa-se a informar a seus irmãos de todos os departamentos que uma parte dos ferozes conspiradores detidos nas prisões foi levada à morte pelo Povo; atos de justiça que lhe pareceram indispensáveis, para reter pelo terror as legiões de traidores escondidos dentro de seus muros, no momento em que iam marchar contra o inimigo; e a nação inteira, após a longa sequência de traições que a conduziram até a beira do abismo, se apressará a adotar este meio tão necessário de salvação pública, e todos os Franceses gritarão como os Parisienses: Nós marchamos contra o inimigo; mas nós não deixaremos atrás de nós estes bandidos, para degolar os nossos filhos e mulheres.”

O Dragão Vermelho enviava mais e mais demônios para encher de confusão e ódio os revolucionários e pessoas comuns do povo, como comerciantes, artesãos, pais de famílias e seus filhos. A loucura chegou ao ponto de estas pessoas invadirem o hospício-prisão da Salpétrière, onde os assassinos estupraram e mataram prostitutas, loucas e até crianças órfãs.

A Igreja os considerou mártires. Entre as vítimas religiosas, em outubro de 1926, a Igreja Católica beatificou por meio do Papa Pio XI, 191; entre eles: 3 bispos, 127 padres, 56 religiosos e 5 laicos.


.Capítulo 11
PROIBIÇÃO DE PRATICAR A FÉ

Não conseguindo deter as “reuniões ilegais”, o governo revolucionário, sob inspiração de Robespierre, faz um decreto determinando a existência do “Ser Supremo”. Assim, em 1794, dão início às comemorações dos “festivais do Ser Supremo” e da “deusa Razão” dentro das igrejas e sinagogas. Os participantes eram induzidos a ouvir as normas políticas do estado e a participar de uma festa estranha à moral católica.

O Dragão Vermelho usava seus homens ímpios, ajudados pelos demônios, para transformar o estado, não apenas em uma ditadura exterior ao homem, mas em um estado em que os cidadãos o tenham em suas consciências e corações como um deus a ser obedecido, temido, adorado publicamente.

O espírito da bandeira vermelha quer que o estado ocupe o lugar da religião católica na alma, mente, coração e consciência do povo católico, sob o disfarce de “paz entre os homens”, “direito para todos”, “liberdade, igualdade e fraternidade”, “cidadania” ou “direitos humanos”.

Milhares de franceses, sem vida de oração, pouco frequentadores da Igreja (quando se podia ser católico), tornaram-se vítimas fáceis, diante das mentiras apregoadas pelos revolucionários. Acreditaram nas falácias dos revolucionários, por isso deram a eles todo o apoio quando o estado tirou os direitos políticos do clero; quando o estado proibiu a celebração das Missas e outros Sacramentos; quando desapropriou propriedades nas cidades e no campo, como igrejas, capelas, moradias para católicos pobres, e outros bens da Igreja em solo francês.


.Capítulo 12
FRASE CRIADA POR SATANÁS NA REVOLUÇÃO: LIBERDADE, IGUALDADE, FRATERNIDADE

Com o fim da revolução francesa em 1799, o Dragão Vermelho tudo fez para não deixar morrer o seu lema: “Liberté, Egalité, Fraternité” (Liberdade, igualdade, fraternidade); de modo que esse slogan sobreviveu à revolução,  tornou-se o grito de militantes socialistas dentro das universidades e nas produções literárias, em prol da “democracia” (que para eles significa ditadura), para a derrubada de “governos opressores” (governos opressores, para os socialistas, são os governos conservadores da família, dos princípios religiosos e morais).

Não tendo alcançado, na França, seus objetivos como queria, Satanás continua a visitar os países. Ele precisa de um país, o qual possa usar como instrumento social, para levar a sua ideologia socialista para todo o mundo. Sem o socialismo, não se chega ao comunismo. O socialismo é a preparação para ele chegar ao comunismo. De todos os países visitados, ele viu maiores possibilidades na Rússia. Então, no ano 1799 ele transfere seu quartel general da França para a Rússia. Trabalhou com seus demônios por 118 anos.

Em 118 anos ele pôde encontrar as pessoas ímpias que iriam servir aos propósitos do inferno. Em 1861, faz  Pyotr Zaichnevsky, um dos homens que seus demônios possuíam, lançar a proclamação chamada “Rússia Jovem” na qual dizia:

“Em breve, chegará o dia em que desfraldaremos a grande bandeira do futuro, a bandeira vermelha, e com um forte grito de ‘Viva a república social e democrática da Rússia!’ iremos ao Palácio de Inverno para exterminar os que aí vivem…

Neste último caso, com plena fé em nós próprios, nas nossas próprias forças, na simpatia do povo por nós, no futuro glorioso da Rússia, por sermos os primeiros para realizar a grande obra do socialismo, gritaremos “aos machados” … e depois atacaremos o Partido Imperial, sem piedade, pois agora não tem piedade de nós; atacaremos nas praças, se aquele bastardo vil ousar sair para dentro delas, atacaremos nas casas, atacaremos nos becos estreitos das cidades, nas ruas largas das capitais, atacaremos nas vilas e aldeias!

Lembre-se, então, que aquele que não está conosco estará contra nós, aquele que está contra nós é nosso inimigo, e os inimigos devem ser exterminados por todos os meios.”


.Capítulo 13
O DIABO ESCOLHENDO CRIANÇAS

O pequeno Lenin em 1879

Se os pais consagrarem seus filhos a Deus; se orarem, jejuarem por eles, como é o dever de todo pai e mãe; o Diabo nada poderá contra as crianças. Mas as crianças podem ficar desprotegidas, se seus pais não orarem por elas.

Em 1870, nasce uma criança. Satanás escolhe diabos para serem seus “demônios da guarda” por toda a vida. Seu nome é Lênin.

Em 1878, nasce outra criança. Satanás seleciona demônios fortes e inteligentes para serem seus instrutores e demônios da guarda. Seu nome é Stalin.

Em 1879, encontram uma família de judeus com uma criança que acabara de nascer. O casal de judeus era pouco zeloso de sua religião judaica, a ponto de evitarem falar o iídiche, idioma das comunidades judaicas da Europa Oriental. Satanás mandou 50 demônios se revezarem de 10 em 10 para preparar a criança para ser usada em seus planos. O nome da criança era Leon Trotsky.

Aos 9 anos, seus pais o enviaram para estudar com seus tios em Odessa. Com seus tios, aprendeu coisas boas. Os demônios tentaram tirar o que de bom Trotsky tinha aprendido, mas não conseguiram. Aos 17 anos foi transferido para uma escola na cidade de Nikolaiev. Usados pelos demônios, alguns professores marxistas conseguiram fazer Trotsky se interessar pelo marxismo.

Casou com a marxista Alexandra Sakolovskaia, e tiveram duas meninas. Juntos aprofundaram os estudos sobre o marxismo, lendo Friedrich Engels e Karl Marx. Em 1902, Trotsky abandona mulher e filhas, fugindo com documentos falsos para Londres, onde trabalha para Vladimir Lênin no jornal Iskra.

Conhece outra mulher, Natalia Sedova, e com ela se casa, tendo outros dois filhos. Dois anos depois, retorna à Rússia, e lá consegue assumir várias lideranças entre os marxistas. Os demônios lhe inspiram a escrever o livro: “Terrorismo e Comunismo – o anti Kautsky”. Nele, os demônios fazem Trotsky justificar o uso de terror para colocar o Partido Comunista à frente de tudo e de todos. Sempre dizia: “Quem deseja o fim não pode condenar os meios.”


.Capítulo 14
O DIABO QUER DOMINAR TODO O MUNDO

Na Rússia, desde 1799, ano em que se mudou da França para este país, Satanás esteve de olho e escolhendo crianças, adolescentes, jovens e adultos que pudesse usar como início para seus propósitos de dominação do mundo. Dedicou total atenção à formação diabólica de cada um de seus escolhidos.

Eles seriam o alicerce da ideologia socialista que prepararia, ao longo das décadas, alguns países para sofrerem a ditadura comunista; com mais décadas de destruição da cultura católica no mundo, a destruição da moralidade seria mais fácil de acontecer com a religião católica fraca em ensinar sua Doutrina. O amor, a fé e a obediência aos Mandamentos de Deus iriam esfriando. Com esse esfriamento, seria mais fácil doutrinar e imbecilizar as pessoas em todo o mundo para usá-las como idiotas úteis à causa do movimento comunista.

Assim como Satanás trabalhou para que acontecesse a revolução inglesa e a francesa, mais sordidamente ele se empenhou para acontecer a revolução Russa, pois dessa revolução, ele sentiu que o terreno estava preparado para dominar o mundo. Só o amor a Deus, a fé, o arrependimento dos pecados, as orações, penitências e sacrifícios dos católicos podem deter a roda comunista que ele fez rodar no mundo atual, nada mais.

Eis o que Satanás teme.
Ele teme a vida de oração do povo católico.
Ele teme que nós, católicos, rezemos o Santo Rosário todos os dias.


.Capítulo 15
RELER, A SEGUIR, OS PENSAMENTOS SOBRE A REZA DO ROSÁRIO, MOTIVA-NOS, MAIS AINDA, A PERSEVERARMOS NESTA PRÁTICA!

“O rosário é o flagelo do diabo.”
(Papa Adriano VI)

O rosário é a ‘arma’ para estes tempos.”
(São Pio de Pietrelcina)

“A prática do Santo Rosário é verdadeiramente grande, sublime, divina. Foi o Céu que vo-la deu para converter os pecadores mais endurecidos e os hereges mais obstinados.”
(São Luís Maria Grignion de Montfort)

“Com o Santo Rosário não há problema pessoal, familiar, nacional ou internacional que não seja possível resolver por meio dele.”
(Lúcia, vidente de Fátima)

O Rosário é a mais bela de todas as orações, a mais rica em graças e a que mais agrada à Santíssima Virgem. Os erros modernos serão destruídos pelo Rosário.”
(Papa Pio X)

“Dai-me um exército que reze o rosário e vencerei o mundo.”
(Papa Pio X)

“Pelo Rosário, podemos tudo alcançar. Segundo uma bela comparação, é uma longa cadeia que liga o céu e a terra: uma das extremidades está entre as nossas mãos e a outra nas da Santíssima Virgem. Enquanto o Rosário for rezado, Deus não poderá abandonar o mundo, pois essa oração é poderosa em seu coração”.
(Santa Teresinha do Menino Jesus)

“O Rosário acompanhou-me nos momentos de alegria e nas provações. A ele confiei tantas preocupações; nele encontrei sempre conforto”.
(São João Paulo II)

“Felizes as pessoas que rezam bem o Santo Rosário, porque Maria Santíssima lhes obterá graças na vida, graças na hora da morte e glória no Céu”.
(Santo Antônio Maria Claret)

“Um cristão sem Rosário é um soldado sem armas”.
(São Miguel Febres. Santo Hermano Miguel)

Deus, que é bom, misericordioso e poderoso, abençoe-nos a todos.
J.V


Referências:

Roger Dupuy, Nova história da França contemporânea. A República Jacobina, 2005, p. 21

O’Leary, Margaret R. (2012). Forjando a Liberdade: A Vida de Cerf Berr de Médelsheim (em inglês). Bloomington, IN: iUniverse. p. 344. ISBN 978-1-4759-1013-1

Lombard de Langres, Mémoires Anecdotique, I, 137. O autor, amigo de Fouché, publicou o testemunho do famoso Arthur, guilhotinado com Robespierre, portanto o autor é testemunha dos fatos, que contradiz a versão segundo a qual é o povo, os Sans- culottes, ou ainda o povo de Paris que quis, decidiu e perpetrou os massacres.

Ver os trabalhos de Buchez e Roux que em sua “História Parlamentar da Revolução” deu a conhecer documentos que foram destruídos durante o incêndio do “Câmara Municipal” sob a Comuna de 1870

 Masson, “O Departamento de Relações Exteriores sob a Revolução”

Lombard de Langres, “Testemunho de Arthur” em Anecdotal Memoirs, Paris, 1823.

Andress, David (2005). The Terror (em inglês). Nova Iorque, NI: Farrar, Straus and Giroux

Bannon, Edwin (1992). Refractory Men, Fanatical Women: Fidelity to Conscience During the French Revolution (em inglês). Leominster, RU: Gracewing Publishing. ISBN 0-85244-226-2

Beigbeder, Yves (2006). Judging War Crimes And Torture (em inglês). Leiden/Boston: Martinus Nijhoff Publishers

Connelly, Owen (2012). The Wars of the French Revolution and Napoleon, 1792–1815. Londres: Routledge. ISBN 1134552890

Dunn, Susan (1994). The Deaths of Louis XVI: Regicide and the French Political Imagination (em inglês). Princeton: Princeton University Press

Farr, Evelyn (1995). Marie-Antoinette and Count Axel Fersen: The Untold Love Story (em inglês). Ann Arbor, Michigan: P. Owen. ISBN 0720609607

Fraser, Antonia (2001). Marie Antoinette: The Journey (em inglês). Nova Iorque, NI: Anchor. ISBN 0385489498

Fremont-Barnes, Gregory (2007). Encyclopedia of the Age of Political Revolutions and New Ideologies, 1760-1815 (em inglês). Santa Bárbara, Califórnia: Greenwood Publishing Group. ISBN 978-0-313-33445-0

Hardman, John (2000). Louis XVI: The Silent King (em inglês). Nova Iorque, NI: Oxford University Press

Johnson, Alison (2013). Louis XVI and the French Revolution (em inglês). Jefferson, NC: McFarland. ISBN 978-0-7864-7355-7

Jordan, David P. (1979). The King’s Trial: The French Revolution Vs. Louis XVI (em inglês). Oakland, CA: University of California Press. ISBN 0-520-03684-0

Mansel, Philip. The Court of France 1789–1830 (em inglês). Cambridge: Cambridge University Press. ISBN 0-521-30995-6

McLynn, Frank (2011). Captain Cook: Master of the Seas. New Haven: Yale University Press. ISBN 097-8-300-11421-8 Verifique |isbn= (ajuda)

Hasan, Mohibbul (2005). History of Tipu Sultan (em inglês). Deli, Índia: Aakar Books. ISBN 81-87879-57-2

O’Leary, Margaret R. (2012). Forging Freedom: The Life of Cerf Berr of Médelsheim. Bloomington, IN: iUniverse. ISBN 978-1-4759-1013-1

Plain, Nancy (2002). Louis XVI, Marie Antoinette, and the French Revolution. Singapura: Marshall Cavendish. ISBN 978-0761410294

Price, Munro (2011). The Fall of the French Monarchy: Louis XVI, Marie Antoinette and the Baron de Breteuil (em inglês). Londres: Pan Macmillan. ISBN 1447211693

Tackett, Timothy (2003). When the King Took Flight (em inglês). Cambridge, MA: Harvard University Press. ISBN 067401054X

Thody, Philip (2002). The Fifth French Republic: Presidents, Politics and Personalities: A Study of French Political Culture. Londres: Routledge. ISBN 1134661541

Waller, Sally (2002). France in Revolution, 1776-1830 (em inglês). Portsmouth, NH: Heinemann. ISBN 978-0435327323

Weber, Caroline (2007). Queen of Fashion: What Marie Antoinette Wore to the Revolution (em inglês). Londres: Macmillan. ISBN 1429936479

Zweig, Stefan (2002). Marie Antoinette: The Portrait of An Average Woman (em inglês). Nova Iorque, NI: Grove Press

6 comentários sobre ““Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o Maligno”. (1 Jo 5, 19)

  1. Bendito seja Deus e a vocação de Jesus, por essa formação, que nos esclarece muito sobre as mentiras de Satanáse as verdades de Deus. Gratidão a Deus e a JV

  2. Esclarecedora formação sobre ação do inimigo neste mundo.Bendito seja Deus que através da vocação de Jesus nos abre os olhos para lutarmos contra as potestades e poderes malignos que querem perder as almas.Que nossa senhora passe a frente da vida de cada vocacionado protegendo guardando e livrando de todo mal.

  3. Obrigada, Senhor Deus, por nos formar e nos conduzir ao Céu por meio da Vocação de Jesus! Nossa Senhora do Rosário, rogai por nós para que sejamos fiéis a Deus até o fim.

Escreva seu comentário