São Benjamim, de origem Persa, nasceu no ano de 394. Cristão fervoroso, Diácono, era pregador exímio do Evangelho. Chamava atenção e convertia muitos a Cristo através de sua caridade.

Naquela época, os cristãos da Pérsia viviam um período de paz, mas esta logo foi quebrada e uma grande perseguição se desencadeou depois que o Bispo Abdas tomou a decisão, no ano 420, de queimar um templo dedicado ao deus sol, um lugar muito prezado pelos persas pagãos.

O rei Isdegerd ameaçou destruir todas as Igrejas cristãs, a menos que o Bispo reconstruísse o templo. Como ele se negou, as Igrejas foram demolidas, e o próprio Abdas foi condenado à morte.

Muitos cristãos foram torturados e sofreram o martírio. A perseguição durou cerca de quarenta anos. Entre estes mártires, estava São Benjamim que, depois de ser espancado, foi preso por um ano. Benjamin era um jovem de grande zelo apostólico e amor às almas. Durante esse período, falou com muita eloquência, levando muitas pessoas à conversão, inclusive entre os sacerdotes de uma seita pagã. Os meses que passou na prisão, serviram-lhe para pensar, orar, meditar e escrever.

Ao final desse ano, foi solto por intermédio do embaixador de Constantinopla, com a condição de que não falasse sobre a religião cristã e não convertesse nenhum persa.

Mas o santo não aceitou o tratado e declarou que era seu dever anunciar a Cristo e que não poderia ficar calado. Mesmo assim foi solto e logo em seguida não perdeu uma oportunidade de pregar sobre a pessoa de Jesus. Muitos sinais foram realizados por meio dele: cegos voltaram a ver, leprosos foram curados, muitas pessoas se converteram.

Ordenando novamente a sua prisão, o rei o enviou para a tortura em lugar público e, enquanto enfiavam ferpas embaixo das unhas e em outras partes sensíveis do corpo, o impeliam a negar a sua fé. Sem obter nenhum resultado, repetiram as torturas diversas vezes.

O santo perguntou, então, ao rei se ele gostaria que algum de seus súditos fosse desleal a ele. O rei obviamente declarou que não. E assim, São Benjamim afirmou que também ele não poderia renunciar à sua fé, pois assim se tornaria desleal a seu Rei, Jesus Cristo. O rei, vendo que sua fé era irrevogável, ordenou que fosse transpassado por uma estaca para rasgá-lo.

Morre são Benjamim, expirando em terrível agonia, por volta do ano 424.

Diante desse precioso exemplo de fé, que possamos nos encorajar a permanecer fiéis ao nosso Rei Jesus Cristo, prontos a dar testemunho de nossa fé em qualquer circunstância. 

São Benjamim, rogai por nós!

São Benjamim

Nascimento: 394, Pérsia

Falecimento: 424, Constantinopla




Escreva seu comentário