VOCAÇÃO DE JESUS!
Deus seja amado com todas as forças de nosso coração e de nossa alma.

POR QUE HÁ PESSOAS QUE ENCONTRAM A FELICIDADE,
E HÁ OUTRAS QUE NÃO ENCONTRAM?

Por que algumas pessoas procuraram a felicidade e não encontraram?

Estamos todos à procura da felicidade! Quem a encontrará?

As pessoas sempre quiseram e querem ser felizes.
Quem não quer? Todos queremos, mas há o modo certo e o errado de buscar a felicidade. 

É nesse ínterim, nesse tempo de espera para ser feliz plenamente, de quem procura a felicidade, que os servos do inimigo das pessoas agem. Eles sabem que quem procura a felicidade está querendo, está esperando encontrá-la.

Sabendo disso, agem como uma quadrilha de predadores de pessoas, mentes e almas. Eles se postam camuflados em suas palavras cheias do poder hipnótico da força das trevas. Essa força os faz eloquentemente ardilosos para usarem os argumentos preparados para enganar e conquistar pessoas que procuram a felicidade de modo errado.

Incansavelmente, ficam à espreita de suas vítimas, assim como o leão se esconde à espera de sua presa. Estas pessoas, inspiradas pelo destruidor de felicidade, destruidor de almas, apresentam-se como aquele que sabe dizer como ser feliz.

No mundo, estes servos do destruidor de felicidade propagandeiam que a felicidade está no sucesso, no dinheiro, no poder, na beleza, na saúde.

Dentro da única Igreja Católica, que Jesus fundou em Pedro, e das muitas outras igrejas que os homens fundaram, eles dizem que a felicidade está no milagre, no que Deus pode fazer por você.

Usam a verdade de que Deus faz milagres, a verdade do que Deus pode fazer por seus filhos, para fazer as pessoas quererem o milagre que vai facilitar suas vidas em tudo. Com isso, vão matando o entendimento a respeito do que Jesus falou: que nos é necessário carregar a cruz, que é imprescindível perseverar na fé, que “é necessário entrarmos no Reino de Deus por meio de muitas tribulações”. (At 14, 22)

Fazem as pessoas se interessarem no que Deus pode fazer por elas, roubando a compreensão de que nós fomos criados e existimos em Deus para O amar e O servir. Ensinam as pessoas a quererem a felicidade, de modo que estas querem ser felizes buscando a felicidade sem o rumo certo. O rumo certo é Deus. É impossível ser feliz buscando somente a felicidade. Encontraremos a felicidade e seremos felizes se procurarmos ser felizes da única forma correta, que é procurar a Deus em primeiro lugar.


QUEREMOS A FELICIDADE SEM QUERER A DEUS?

Se uma pessoa procura a Deus para ser feliz e não para conhecer, amar, renunciar a si e servir a Deus, cairá nas armadilhas do destruidor de almas. Se um homem quer ser padre, ou uma mulher quer ser freira, se um leigo quer entrar em alguma comunidade religiosa ou leiga na Igreja com a intenção de ser feliz, se frustrará, trairá a Deus e seus irmãos.

O HOMEM não será um bom sacerdote, porque não deixará o espírito de sabedoria, amor, humildade, sacrifício, renúncia de si, temor de Deus, conduzir sua vida.

A MULHER não será boa freira, porquanto não deixará o espírito de sabedoria, amor, humildade, sacrifício, renúncia de si, temor de Deus, conduzir sua vida.

O LEIGO, com certo tempo, abandonará a comunidade em que se engajou, pois não deixará o espírito de sabedoria, amor, humildade, sacrifício, renúncia de si, temor de Deus, conduzir sua vida.

Buscar a felicidade, buscar se realizar, buscar conseguir ter coisas boas, necessárias, para si e para os outros, buscar o que se considera importante, que fará a felicidade na vida religiosa, profissional ou afetiva, sem buscar a Deus em primeiro lugar, é não encontrar a felicidade; é não viver a felicidade; é ficar impossibilitado para ser feliz plenamente, pois é agir contrariamente à Palavra de Vida e Espírito de Jesus:

“Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo”

(Mt 6, 33)

A FRAQUEZA HUMANA

A força dos destruidores de almas não está apenas em Satanás, está também na fraqueza humana.

O homem é fraco fisicamente, mentalmente e espiritualmente, por causa do pecado original e do pecado pessoal. Cheio de fraqueza, muitos de nós, católicos, lemos ou escutamos as palavras de Jesus, que são claríssimas, orientando que devemos buscar em primeiro lugar O Reino de Deus e sua justiça para conseguirmos ter o que Deus quer nos dar, o que queremos ter; mas a maioria de nós é enganada por si mesma ou pelos destruidores de almas.

Se ficamos cegos pelos enganos, viveremos buscando em primeiro lugar o que queremos na vida na terra, coisas que podem ser boas e importantes, mas que não são o Reino de Deus e a justiça divina. Os que estão nos xilindrós das tramoias, buscam, buscam, mas nunca conseguem ter o que querem.

Não conseguindo, começam a perder a paciência, culpar os outros, a si mesmos, às vezes culpam até a Deus. Os espertos demônios se aproveitam do momento em que a pessoa está em estado de espírito de rebeldia, orgulho, impaciência, raiva, falta de fé e humildade, e sugerem ao(a) tentado(a) pensamentos do que fazer para conseguir ter o que sempre quis. Os demônios não só sugerem, mas ajudam a pessoa tentada a conseguir ter o que eles estão sugerindo.

Pense!!
É o demônio que sugere o modo como a pessoa tentada deve agir para conseguir ter o que ela quer ter.

Pergunte-se!
Do demônio pode vir algo de bom?
O que acontecerá se a pessoa tentada ouvir as sugestões demoníacas?

“Ninguém, quando for tentado, diga: É Deus quem me tenta. Deus é inacessível ao mal e não tenta a ninguém”

(Tg 1, 13)

“Cada um é tentado pela sua própria concupiscência, que o atrai e alicia”

(Tg 1, 14)

NOS MOMENTOS DIFÍCEIS
Na minha adolescência, ouvi um ensinamento que dizia que não devemos fazer escolhas nem tomar decisões enquanto interiormente estamos impacientes, inquietos, ou com outras negatividades; que devemos deixar passar esses sentimentos ruins para tomar decisões.


DESCONFIE DAS FACILIDADES

Uma pessoa tola entra facilmente em um negócio em que seus idealizadores estão fazendo propaganda, prometendo deixar qualquer um rico em pouco tempo caso ela faça um investimento, comprando deles a franquia ou os produtos para revenda; a pessoa tola, então, entra no “negócio” (coitada!) e só percebe que caiu na armadilha e perdeu tudo o que investiu quando já é tarde demais.

Assim como esta pessoa foi enganada facilmente porque seu interesse era ganhar dinheiro fácil, e não trabalhando duro e honestamente, assim acontece com quem quer ser feliz facilmente: vai cair na armadilha de Satanás.

Querer ser feliz sem carregar a cruz atrás de Jesus é encontrar a infelicidade.

Querer ser feliz sem suportar os sofrimentos por amor a Deus, a salvação das almas e a libertação das almas do Purgatório, é ser possuído pela infelicidade.


QUERER SER FELIZ SEM ENTENDER A METODOLOGIA DE DEUS ATENDENDO NOSSAS ORAÇÕES E PEDIDOS, É AFUNDAR NA INFELIZ IGNORÂNCIA.

Se oramos pedindo paz para a Igreja, para o mundo, para nossa família, para os outros, para nós mesmos, porque tudo o que queremos é que venha a nós o Reino e a justiça de Deus, então entenderemos que Jesus não nos dá a paz como o mundo dá, nem no-la dá de modo mágico.

O mundo dá a paz a quem se torna seu amigo; mas como seremos amigos do mundo, se Jesus nos alertou sobre essa má amizade? “Não sabeis que o amor do mundo é abominado por Deus? Todo aquele que quer ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”. (Tg 4,4)

Quem pensa que Deus dará a paz de modo mágico ou espera que Ele assim o faça, está cego, engana-se, porque está preso nos interesses dos destruidores de almas ou em seus próprios interesses. Como a intoxicação medicamentosa, a hipertensão, a diabete e as inflamações causadas por vírus ou bactérias afetam a visão humana, assim os interesses pessoais, se estão acima dos interesses de Deus, cegam os olhos espirituais.

Uma pessoa sem visão, entendimento, discernimento, sabedoria espiritual, não entende que, quando pede a paz para a Igreja, para o mundo, para a família, para os outros, para si mesma, Deus atenderá à oração, dando situações para ela se renunciar, doar-se mais a Ele, sacrificar-se, vigiar-se e orar mais.

As situações que tiram a paz da Igreja, do mundo, da família, das pessoas; que tiram a nossa paz; são permissões de Deus para nos unirmos a Ele, perguntando como Ele quer e pode nos usar para darmos a nossa medida de contribuição para que a paz de Jesus comece a se estabelecer dentro de nós, fora de nós, e da mesma forma nas outras pessoas.

É pela falta de paz que o seguidor de Jesus aprende a construir a paz.

É pela impaciência que o seguidor de Jesus aprende a ser paciente.

São João da Cruz

..:: O seguidor de Jesus sabe que “é plantando amor onde não há amor que se colhe amor” (São João da Cruz). Por isso entende que os momentos de conflito, difíceis com as outras pessoas, seja em família ou estranhos, são oportunidades para se levar o amor de Deus.

..:: O carregador de sua cruz lembra as Palavras de Jesus: “Se amais somente os que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem assim os próprios publicanos?” (Mt 5,46). Lembrando, pensa! É perdoando e amando os que me odeiam que aprendo a amar.

..:: O seguidor de Jesus sabe que “a fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê” (Hb 11,1).

..:: O seguidor de Jesus crê que: em todas as vezes em que tudo parece estar sem jeito e perdido, Deus pode intervir e resolver facilmente o problema.

.:: O seguidor de Jesus sabe e entende que Deus arranca o medo de nós nos dando oportunidades para confiarmos nEle mais do que sermos corajosos humanamente. Se a coragem que está em nós se origina na fé em Deus, somos, então, não somente corajosos, somos também sábios.

O jovem que faz roleta russa com um revólver; o que pula de um prédio de 30 andares para outro, recebendo aplausos com elogios de “corajoso”, não sabe qual é a verdadeira coragem.

A verdadeira coragem é firme, serena, conduz à vida eterna. A coragem humana muitas vezes é só loucura ou exibicionismo.


O CAMPO DE BATALHA

Só Deus é amor. Nós temos em nós o amor de Deus, mas nós não somos o amor. Por não sermos o amor, mas o termos em nós, temos mais do que dever de amar, temos necessidade de amar, de fazer o amor crescer em nós. Para esse amor crescer em nós, temos de exercê-lo, e nós o exercemos no campo de batalha.


O campo de batalha é a guerra que fazemos contra nós mesmos, contra o mundo, contra Satanás, para amarmos a Deus, amarmos as pessoas, sejam amigas ou inimigas, cumprirmos os Mandamentos. É fácil? Não, é difícil. E, na dificuldade, existem muitas coisas boas, que serão nossas, se enfrentarmos os obstáculos. A luta é grande, mas necessária.


“NÃO QUERO IR PARA O CÉU, LÁ A VIDA É MONÓTONA.”
“DEUS NÃO EXISTE.”
“VIDA DE CRISTÃO É VIDA TRISTE, PARADA.”
“A VIDA CRISTÃ É UMA ROTINA.”

Eu já ouvi pessoas dizerem essas coisas. Elas não sabem o que dizem, pois as atividades na terra não têm comparação com as atividades no Céu, que são infinitas. Se pudéssemos ver, ao mesmo tempo, a vida no Céu e a vida na terra, veríamos que a vida na terra é de pouquíssima atividade, de muita monotonia, cansativa. Veríamos que a alegria e a felicidade aqui na terra não são puras, duradouras, nem legítimas, nem constantes, em comparação com as atividades, alegrias e felicidades no Céu.

Dizer que a vida de cristão é vida triste e parada, é não conhecer as lutas dia e noite, até dormindo, que nós, cristãos, temos para nos manter amando a Deus e ao próximo. É não conhecer a luta para carregar a cruz atrás de Jesus, enfrentando o maligno e suas tentações.

A vida cristã é uma rotina? Rotina que nada! A cada inimigo vencido, avançamos no campo de guerra, desconhecido por nós, para enfrentarmos outros inimigos, muitas vezes, mais inteligentes, mais espertos, bem maiores e mais fortes que nós.

Se no campo de batalha avançamos para onde existem outros perigos, isso é vida de rotina? É vida parada, se temos de acrescentar novos exercícios espirituais difíceis aos que ainda estamos dominando? É vida sem fazer nada, se as sequências de instruções do Espírito Santo nos levam de etapa em etapa nas atividades dos assuntos e planos de Deus? Quem não gosta de rotina deveria entrar no Reino de Deus.


MUITO TRABALHOSO X ENGANO FÁCIL

Os destruidores de almas no mundo têm muitos meios de fazer propagandas de seus produtos. Eles têm meios de comunicação, têm sistemas educacionais do início dos estudos até sua conclusão; têm o poder dos governos com leis que condenam o inocente e absolvem o culpado.

Sabem como usar desses e de outros meios para oferecer as diversões, alegrias, prazeres, riquezas do mundo.

Muitas são as promessas de agradar a todos os que escolherem passar pela porta larga, viver e andar no caminho espaçoso.

Milhões e milhões de pessoas que veem sua propaganda na TV, Internet, filmes, novelas, shoppings, lojas, revistas, livros, músicas, esportes, festas e uma infinidade de distrações, vão sendo conquistadas para o caminho espaçoso, porque estão olhando e ouvindo o que não deveriam ver e ouvir.

Vendo e ouvindo todos os dias o que o Diabo mostra, vão se apaixonando mais e mais pelo mundo, chegando ao ponto de não compreenderem as Palavras de Jesus dizendo a todos: “Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduzem à perdição e numerosos são os que por aí entram. Estreita, porém, é a porta e apertado o caminho da vida e raros são os que o encontram”. (Mt 7, 13-14)

“Procurai entrar pela porta estreita; porque, digo-vos, muitos procurarão entrar e não o conseguirão”.

(Lc 13, 24)

O MUNDO NÃO É NOSSA FELICIDADE

Deus é a nossa felicidade. Mas, se buscarmos a felicidade sem procurarmos a Deus em primeiro lugar, não encontraremos a felicidade, porque não encontramos Deus. Quem quer ser feliz plenamente, não deve inverter essa ordem da lei de Deus. O primeiro Mandamento não é: “procure ser feliz em primeiro lugar”. O primeiro Mandamento é: “amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu espírito e de todas as tuas forças”. (Mc 12, 30)

As pessoas que buscam a felicidade sem buscar a Deus em primeiro lugar, estão atrás de realizar suas vontades, seus sonhos. Muitos desses sonhos são irrealizáveis, outros se originam em carências, outros em infantilismos, outros estão completamente fora da realidade. Dopadas por seus próprios pensamentos errados, essas pessoas não querem compreender que: “Vive-se de fé, não de sonhos” (São Pio de Pietrelcina). Quem vive de sonhos, vontades pessoais, e não de fé, cairá nas garras dos “milagreiros“.


OS MILAGREIROS QUE DESVIAM AS PESSOAS DE CRISTO

Os milagreiros querem ser famosos. Eles são envaidecidos. Gostam de mostrar seus dons, gostam de fazer curas e milagres para o mundo ver. Seus dons não são dados por Deus, seus falsos milagres e curas são feitos por Satanás. Suas principais vítimas são as pessoas que vivem atrás de milagres mais do que procurando se renunciar para carregar a cruz atrás de Jesus.

O avanço dos milagreiros é ter pessoas atrás de milagres mais do que de Deus, por isso tentam formar nas pessoas a mentalidade de que Deus fará todo milagre e cura que a pessoa pedir. É melhor para nós e para nossos irmãos, por ser mais seguro à nossa espiritualidade, ofertar a Deus orações e penitências pela conversão de todos nós, do que vivermos atrás dos milagres; pois Deus realizará muitos milagres em nossas vidas, mas só os que Ele pensa e quer, não é como nós pensamos e queremos.

Há milagres que pedimos a Deus, mas o que Ele quer que vejamos como milagre, é o milagre de Ele não realizar o milagre que estamos pedindo e nós nos sentirmos em perfeita alegria por não termos o milagre do nosso modo, e sim do modo de Deus.

Deus não pode fazer milagres? Claro que pode. Tudo é possível a Deus. Deus pode realizar tudo o que quer. “Todos os seus adversários se encheram de confusão, ao passo que todo o povo, à vista de todos os milagres que ele realizava, se entusiasmava”. (Lc 13,17)

OS MILAGREIROS DIZEM QUE DEUS NÃO QUER SACRIFÍCIOS, COMO ROMARIAS

Quando pessoas de seitas lhe disserem que Deus não quer sacrifícios, lendo para você Hb 10, 5: “(…) Ao entrar no mundo, Cristo diz: Não quiseste sacrifício nem oblação, mas me formaste um corpo”; leia para eles Rm 12, 1: Eu vos exorto, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, a oferecerdes vossos corpos em sacrifício vivo, santo, agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual”.

A visão católica quanto à oração e ao sacrifício, é a visão bíblica de Jesus: fazemos orações e sacrifícios para a glória de Deus, para nos convertermos e convertermos os outros.

Na Igreja Católica, o sacrifício não é ensinado como é nas seitas.

Nas seitas é pregado, em milhares de igrejas deles pelo mundo, no Nome de Jesus, que se você fizer o voto, como sacrifício, de doar dinheiro na igreja toda semana ou mês, Deus vai lhe abençoar, dando-lhe mais dinheiro e saúde.

Esse ensinamento não vem de Deus, mas de charlatões que querem dinheiro. Não são enviados de Deus para levar as almas a Deus, são líderes de igrejas cheias de gente, que estão indo para o buraco e levando seus seguidores. Quanto a eles, Jesus diz: “Deixai-os. São cegos e guias de cegos. Ora, se um cego conduz a outro, tombarão ambos na mesma vala”. (Mt 15,14)


DEIXANDO OS SACRIFÍCIOS DE LADO POR CAUSA DOS MILAGRES

Devemos ter cuidado com os pregadores de milagres que criam nas mentes um preconceito contra os sacrifícios exigidos por Deus. Esse preconceito faz as pessoas quererem viver de milagres, deixando de lado os sacrifícios penitenciais pedidos por Deus. As pessoas ficam de um jeito que querem viver de milagres, como se Deus fosse um mágico que faz truques para agradar seus espectadores.

Os seguidores dessas seitas querem milagres e felicidade mais do que a verdade do Evangelho em suas vidas. Querem ouvir pregações sobre milagres, não querem ouvir as explicações do valor do sofrimento por amor a Deus. Passagens bíblicas como: “Vós sabeis que felicitamos os que suportam os sofrimentos de Jó. Vós conheceis o fim em que o Senhor o colocou, porque o Senhor é misericordioso e compassivo” (Tg 5, 11) os apavoram, fazem que eles deem outro sentido ao que São Tiago afirma. 

Tenhamos cuidado com os eloquentes pregadores pregando sobre milagres sobre os seus interesses e não sobre o interesse de Deus. Esses pregadores usam o tema dos milagres, fazendo promessas que as pessoas, sem conhecimento da verdade e com a mente fraca, querem ouvir. Seu objetivo é o de encherem suas igrejas. Por causa dos falsos milagres, os membros dessas seitas chegam a pensar que Deus está no meio deles, mas quem os inspira nas pregações e faz falsos milagres e curas em suas igrejas não é o Espírito Santo, mas o espírito de Satanás.

Em todos os tempos, houve falsos profetas se fazendo passar por profetas de Deus. Falando sobre eles, São Paulo disse haver:

“…aqueles que procuram algum pretexto para se envaidecer e se afirmarem iguais a nós. Esses tais são falsos apóstolos, operários desonestos, que se disfarçam em apóstolos de Cristo, o que não é de espantar. Pois, se o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz, parece bem normal que seus ministros se disfarcem em ministros de justiça, cujo fim, no entanto, será segundo as suas obras.”

(II Cor 11, 12-15)

Nós, católicos, seguindo os ensinamentos de nossa Igreja, queremos milagres, queremos ser felizes, queremos tudo o que Deus quer para nós. Mas, compreendendo que seguir Jesus é carregar a cruz, compreendemos que “é melhor padecer por Deus do que fazer milagres” (São João da Cruz, Ditos de Luz e Amor). 

Podemos dizer: receber ou fazer. “É melhor padecer por Deus do que (receber ou) fazer milagres”

Os pregadores de milagres dizem que:
“Ninguém precisa fazer sacrifícios porque Jesus já se sacrificou por todos na cruz’’;
“Jesus é o Deus dos milagres, Ele só quer que você creia no milagre que Ele pode fazer em sua vida”.

Esse ensinamento é mentiroso. Qual é a verdade?
A Verdade é que Jesus, de fato, realiza milagres, quer realizar muitos milagres em nossas vidas, mas quer que, recebendo nós Dele os milagres, façamos sacrifícios penitenciais.

Os milagres que Deus faz em nossas vidas não devem nos levar a uma vida em que, diante de qualquer probleminha, dorzinha, já peçamos logo um milagre, sem perguntar antes se Deus deseja que carreguemos a cruz do sofrimento por um tempo, como forma de sacrifício penitencial e reparatório de nossos pecados e dos pecados dos outros.

Se Deus não quisesse sacrifícios, mas só fazer milagres como dizem as seitas; então por que o Evangelho fala sobre os sacrifícios? 

“Desde então, Jesus começou a pregar: ‘Fazei penitência, pois o Reino dos céus está próximo’.”

(Mt 4, 17)

Jesus diz que a geração de sua época será condenada pelos ninivitas, que fizeram penitência com a palavra de Jonas, enquanto que em Jesus, mesmo sendo maior que Jonas, o povo, a raça que O ouve, não acredita, não se arrepende de seus pecados, não faz penitências. Jesus disse: “No dia do juízo, os ninivitas se levantarão com esta raça e a condenarão, porque fizeram penitência à voz de Jonas. Ora, aqui está quem é mais do que Jonas”. (Mt 12,41)

Os milagres e prodígios de Deus em nosso favor geram em nossa alma gratidão que fortalece a espiritualidade. Uma espiritualidade fortalecida entende o valor dos sacrifícios aos olhos de Deus. Jesus recriminou duas cidades que receberam milagres e prodígios, mas pagaram o bem com o mal ao não reconhecerem seus pecados e se sacrificarem em gratidão a Deus e busca de salvação. “Ai de ti, Corozaim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e Sidônia tivessem sido feitos os prodígios que foram realizados em vosso meio, há muito tempo teriam feito penitência, cobrindo-se de saco e cinza”. (Lc 10,13)


A CONTAMINAÇÃO DAS SEITAS EM MUITOS MEMBROS DA IGREJA CATÓLICA

“Jesus respondeu-lhes: (…) Em verdade vos digo: se tiverdes fé, como um grão de mostarda, direis a esta montanha: Transporta-te daqui para lá, e ela irá; e nada vos será impossível. Quanto a esta espécie de demônio, só se pode expulsar à força de oração e de jejum”

(Mt 17, 20)

Muitos católicos estão, em si mesmos, valorizando a fé. Isso é bom.

Estão valorizando a fé nos milagres, isso é bom porque estão crendo no poder de Deus. Estão crendo em Deus. Todavia, estão em perigo, pois creem e valorizam uma parte da verdade desprezando ou se mantendo em ignorância quanto à verdade em si, a verdade total.

Uma vez que nenhuma pessoa é capaz de conhecer a verdade total por causa da limitação humana, refiro-me a não excluir o que é possível conhecer da verdade pela verdade. Quer dizer, é necessário ter fé, é bom crer no poder de Deus, crer que Ele faz milagres, mas essa fé não deve excluir como desnecessária à vida de penitência, que é o que está acontecendo com muitos católicos que foram contaminados pelas ideias dos fundadores de igrejas no mundo.

Pensam que crer que Deus faz milagres é o suficiente para resolver todos os problemas da vida. Esse tipo de intuição (pois em muitas pessoas o pensamento fica na intuição, sem vir à tona da mente), é um grave erro, uma vez que leva as pessoas a quererem ser servidas por Deus e não a servirem a Deus.

Leva as pessoas a quererem ir para o Céu, indo direto para a ressurreição, sem passar pela morte. Leva as pessoas a quererem viver de alegrias espirituais e humanas, de modo que não querem carregar a cruz; quererem estar com Jesus, mas sem cruz.

Esse tipo de doutrinação forma católicos frouxos, fracos, sensíveis demais. Por qualquer dificuldade, já reclamam, murmuram, desanimam, entristecem-se, pensam em abandonar a cruz. De tanto pensar, cedo ou tarde o mau pensamento não renunciado cresce, se fortalece, e a pessoa larga a cruz.

Larga porque pensa que o Reino de Deus é para satisfazer vontades pessoais; é vida feliz sem nenhum perigo; é festa, alegria, comida e bebida. Ora, o Reino de Deus é paz de espírito por se viver conduzido pelo Espírito Divino. “O Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e gozo no Espírito Santo”. (Rm 14,17) O Reino de Deus é morte para a vida. “Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caído na terra, não morrer, fica só; se morrer, produz muito fruto”. (Jo 12,24)

A fé no poder de Deus, a fé em Deus, não exclui a fé do carregar a cruz, a fé da necessidade humana e da alma de fazer penitências, orações, jejuns, como as potestades dos ares colocam no coração das pessoas que não entendem o Reino de Deus.

Quando os discípulos perguntaram porque não tinham conseguido expulsar o demônio, Jesus explicou que não foi somente por falta de fé, mas também pela falta de oração e jejum. Quer dizer que Jesus quer nossa fé, oração e jejum. Quer dizer que há situações em nossa vida que somente a fé e a oração não vão resolver, pois é necessário fé, oração e jejum.

Jesus diz que, se tivermos fé, nada nos será impossível. Ao fazer essa afirmação, Jesus, que mostra a importância da fé, não exclui a necessidade humana de viver vida de oração e jejum.

O nosso jejum é, aos olhos de Deus, um ato:
. de amor,
. de fé,
. de esperança,
. de oração,
. de humildade,
. de confiança Nele,
. de renúncia de nós mesmos,
. de penitência,
. de sacrifício,
. de proteção contra nós mesmos,
. de proteção de nosso corpo, mente e alma, segundo os desígnios de Deus,
. de proteção de nossa espiritualidade,
. de proteção contra o mundo,
. de escudo contra Satanás e seus demônios,
. de proteção contra situações sinistras no mundo,
. de proteção de nossas famílias sanguínea e vocacional,
. de proteção do matrimônio,
. de proteção da profissão,
. de proteção de nossos lares,
. de reparação de pecados, pois é somente por causa de Deus que nos privamos de toda espécie de alimento por um período de tempo.


O DESENVOLVIMENTO DE TEMAS QUE ESCRAVIZAM ALMAS

Os destruidores de almas se utilizam da palavra “milagre”, usando-a no Nome de Deus.  Dizendo que “se alguém tem fé, Deus fará milagres em sua vida”, vão desenvolvendo esse tema e outros, com o objetivo de conquistar pessoas e prendê-las em suas igrejas.

Nas reuniões deles, dizem que as pessoas precisam participar de reuniões (cada uma delas tem um nome), que ao fim de cada um destes cursos, os participantes serão muito abençoados com curas e milagres na vida espiritual e financeira.

Depois de algumas reuniões, as pessoas já ficam de mente fechada para o que diz a Palavra de Deus, só acreditam no que ouvem de quem está destruindo as almas deles. O trabalho de doutrinação é tão diabólico que estas seitas chegam a dizer em suas igrejas que “só se deve crer na Bíblia”. Seus ouvintes repetem essa frase de modo que, entre eles, se torna um jargão.

Apesar de dizerem que só se deve crer na Bíblia, os membros destas seitas, que dizem ler a Bíblia, não creem nem obedecem a Palavra de Deus, pois recebem dos destruidores de almas interpretações erradas das Sagradas Escrituras. As interpretações erradas da Bíblia feitas pelos destruidores de almas têm uma força tão devastadora e escravizadora, que suas vítimas, ao lerem a verdade, não a veem como verdade, pois estão adestradas, mentalmente, nas prisões da mentira, para pensar segundo o que ouvem de seus inimigos, os quais pensam ser servos de Deus.

Nós, católicos, não devemos ser católicos… católicos… que pulam de galho em galho (como é mesmo o nome do animal que pula de galho em galho?), pois é, católico não é para viver frequentando as muitas e diferentes igrejas fundadas pelos homens.

Meditemos sobre o que significa lealdade, fidelidade.

Fidelidade à Igreja Católica que Jesus fundou em Pedro.

Nossa fidelidade à Igreja nos fará querer conhecer a Doutrina Católica. Conhecedores dela, saberemos nos proteger dos inimigos que atuam dentro e fora dela, não somente fora. Estes inimigos, são inimigos de Jesus Cristo, único Senhor e Salvador de todo o que Nele crê. Por odiarem a Jesus, querem destruir nossas almas.

Vigiemos e oremos para não sermos enganados e cairmos nas armadilhas existentes e nas outras que Satanás preparou para estes finais dos tempos, de modo que “se aqueles dias não fossem abreviados, criatura alguma escaparia; mas por causa dos escolhidos, aqueles dias serão abreviados”. (Mt 24,22)

Deus, que é bom, misericordioso e poderoso, abençoe-nos a todos.
J.V.

5 comentários

  1. Só Jesus, o Cristo é a FELICIDADE! Encontramos a FELICIDADE na vontade de Deus…fora disso, toda busca é vã e decepção! Bendito seja Deus pela Vocação de Jesus!

  2. Deus me falou que preciso perseverar para carregar minha cruz, e não perseverar porque Deus fará milagres e prodígios em minha vida. O maior milagre acontece quando deixamos Deus decidir onde e quando Ele pode nos atender com aquilo que pra nós é milagre, mas pra Ele é apenas um tempo de Ele nos fazer esperar.

  3. Obrigada meu Salvador, pelo rico e balanceado alimento que recebi nesta formação! Que eu tenha a coragem de viver a fé verdadeira, e que eu encontre a verdadeira felicidade buscando – a em Deus e em sua santa vontade…
    Bendito, Amado, adorado, glorificado seja nosso bom Deus por tudo!

Escreva seu comentário